Lista dos principais defeitos psicológicos

80
6194
Pantáculos

EU NÃO TENHO SANGUE DE BARATA…

Sempre fomos educados a acreditar na “realidade” de nosso Ego. Sempre imaginamos que quanto menos Ego tenhamos, menos existentes e vivos seremos. Muitos pensam que quanto mais se anula e elimina a presença do Ego em nossa vida, mais infeliz e anulada será nossa vida.

Em nosso estado mental cotidiano, nosso Ego parece enorme, concreto e importante; ele parece ser justamente nosso melhor amigo, protetor e benfeitor, aquele que nos faz sentir “alguém na vida”. É esse Veneno Mental, o nosso querido Ego, que nos faz sentir a necessidade de ser importantes, de reagir perante os problemas e afrontas que a vida nos joga. Grande ilusão esta.

Na verdade, ele é o nosso pior inimigo, uma fraude que nos engana, fazendo-nos sentir que não podemos existir ou viver sem ele. Como um monstro morando em nosso coração, em nossa mente e em nossas energias, ele está sempre pronto para fazer coisas ruins e causar problemas a nós e aos outros.

Nosso Ego tem um monte de truques para se manter na ativa. Por isso, devemos prestar atenção quando começarmos a nos dizer: “Se eu não cuidar do número 1 (‘eu mesmo’), não vou trabalhar e vou acabar passando fome, ou serei desprezado por todos, não me destacarei no emprego, não serei alvo das atenções de ninguém”… “Se eu ficar me distraindo com esse assunto de ‘Morte do Ego’ acabarei virando um vegetal. Posso até morrer ou ficar insano!” Enfim, o ego tem mais defesas do que imaginamos.

Não há dúvida de que é do nosso próprio interesse nos livrarmos desse “demônio interior” o mais rápido possível (a menos que sejamos desequilibrados, endurecidos psicologicamente e masoquistas, e gostemos da eterna dor física, emocional e mental).

Ao recolher e responsabilizar nosso Ego por todos os nossos problemas, com certeza iremos gerar o desejo de cuidar mais e melhor de nossa Consciência Divina, de nosso mundo interno e de nos livrar desse ego o mais rápido possível. Para isso, precisamos enxergá-lo como um mentiroso, um embusteiro, examinando se de fato ele existe como parece ou não.

Meditando dessa forma, começaremos a caçar nosso Ego aparentemente vivo, nosso verdadeiro inimigo, e isso nos força a confrontar nossas suposições pessoais, fantasias, objeções, projeções erradas sobre nossa “verdadeira identidade interior”, nunca examinadas sobre O QUE SOMOS DE FATO.

Eis um desafio bastante significativo do ponto de vista espiritual: descobrir que nossa percepção básica da Realidade é uma grande bobagem. Ter esta tomada de consciência é o início da verdadeira autocura absoluta, e por isso devemos prosseguir, cheios de alegria, no trabalho sobre nós mesmos, a cada dia, a cada segundo de nossas breves vidas.

Assim, descobrindo gradativamente, por meio da luz de nossa sabedoria interior, dessa Luz Divina que provém de nosso Ser Divino, de que nosso Ego sempre foi e sempre será uma fraude, que sempre foi e sempre será a causa de nossas tristezas, frustrações, fantasias, problemas, karmas etc., tudo o que nos resta é uma “negação maravilhosa”, e daí nos surge na Alma um vasto espaço ou vacuidade que não implica nada mais, mas prova apenas que nosso Ego não é a nossa Alma verdadeira, nossa Vida, nosso Ser, nosso Deus Íntimo.

O gnóstico anseia, implora, pede intensamente, não por cobiça egoica, mas porque a nossa Essência Divina assim o quer, por este Vazio Iluminador, essa Negação Positiva, esse Sunyata, esse Êxtase do “nada cheio de Deus”.

A psicologia revolucionária gnóstica, também chamada didaticamente de Fator Morte, nos entrega os procedimentos corretos para nos livrarmos desta carga pesada que nos torna a vida problemática e infeliz. Em psicologia esotérica estudamos os sete corpos, dos quais os mais básicos são chamados de 4 Corpos de Pecado – Físico, Vital, Astral e Mental. Esses 4 corpos formam o chamado Quaternário Inferior.

Dentro desse quaternário está o Ego. A título de exemplo, Imagine uma pequena casa com quatro paredes, e dentro delas encontra-se o verdadeiro morador (nossa Essência Divina). Essas quatro paredes (nosso corpo físico, nossas energias vitais, nossas emoções e pensamentos) possuem buracos dos quais saem insetos, ratos, morcegos, pragas diversas que assolam a casa e incomodam seu morador. Esses buracos nas paredes podemos chamá-los de maus hábitos, atitudes mecânicas no dia a dia, emoções e pensamentos negativos, fascinações, medos, traumas, bloqueios, complexos etc.

Ou seja, é por meio desses “buracos” que o Ego e suas múltiplas facetas surgem, incomodam e roubam nossas energias, que estão armazenadas em baterias especiais, chamadas na Gnose de “centros psíquicos da máquina humana”.

Portanto, estimado Buscador Gnóstico, o primeiro passo para a autêntica auto-realização é o que se chama na Gnose fechar as paredes. Isso significa trabalhar sobre nossos condicionamentos, maus hábitos, atitudes mecânicas, repetitivas, bloqueios, falta de disciplina e, pior ainda, hábitos desequilibrados em nossa vida. E com que instrumentos pessoais se inicia este Trabalho Superior? A resposta é: COMPREENSÃO.

A Compreensão é o primeiríssimo e grande passo que nos liberta do Ego (o segundo passo é o trabalho mágico com nossas energias criadoras, estudado em nossos textos no link Tantrismo). Segundo o mestre Samael Aun Weor, a virtude da Compreensão só pode ser despertada e aprofundada por meio da Meditação e da Auto-Observação. Ou seja, quanto mais praticarmos Meditação e quanto mais observamos nossa Conduta no dia a dia, maior será o despertar da Compreensão…

O Ego, didaticamente falando, expressa-se em inúmera facetas. Podemos analisá-lo dividindo-o em sete partes, ou em muitas outras. Isso serve para nos ajudar a verificar como o Ego invade nossas “quatro paredes” e como ele rouba nossas energias psíquicas.

Vamos citar, a partir de agora, algumas expressões egoicas ditas “de segundo escalão”. A partir daí, você, estimado estudante gnóstico, deve analisar, refletir e meditar profundamente no Ego e descobrir como ele se manifesta mais facilmente, em que circunstâncias, que hábitos cotidianos dão mais força em sua manifestação etc.

O Ego e seus Múltiplos Desdobramentos

O Ego, ao ser dividido em sete partes, é chamado nas religiões de Sete Pecados Capitais, os Demônios que Jesus tirou de Madalena, os Cabeças de Legião, os Infiéis etc. Esses defeitos são os seguintes: Luxúria, Ira, Orgulho, Preguiça, Cobiça, Inveja e Gula. Com o passar do tempo as diversas partes, ou expressões, do Ego nascem e se robustecem e aí são criados mais e mais Eus Psicológicos (“eus” são as frações do Ego, do todo, do aspecto negativo da mente).

Cada Cabeça de Legião oscila entre 1.000 e 1.500 agregados. Na totalidade, temos cerca de 10.500 defeitos, e conforme vai-se trabalhando, descobrimos novos e mais profundos defeitos. Existem agregados que reconhecemos muito facilmente, no dia  a dia, como por exemplo, no trânsito, nas festas, no ambiente profissional etc.. Porém, há outros que nem sequer ousamos admiti-los; se os reconhecemos, procuramos encontrar justificativas para eles.

As etapas que decididamente fazem o agregado psicológico nascer são:

1. Inconsciência (esquecimento do Trabalho Esotérico no dia a dia, de nós mesmos)
2. Identificação (atração emocional em relação a uma situação momentânea vivida)
3. Autoconsideração (importância ilusória que damos ao objeto de desejo)
4. Fascinação (consciência que se engarrafa em um novo Eu)
5. Sonho (Ego manifestado, alimentado e fortalecido).

Analisemos agora alguns exemplos de agregados psíquicos (primeiramente estudados e divulgados pelo venerável mestre Dessoto, com a anuência do VM Samael), que são desdobramentos dos Cabeças de Legião. Medite em cada um deles após uma análise crítica de si mesmo para que tenha uma ideia inicial de como são abundantes os desdobramentos do Ego em nossa vida:

Luxúria

* Eu do Adultério (quer unir-se sexualmente a uma mulher, ou homem, porém que já possui um companheiro/a)
* Eu da Amizade (querer a amizade de alguém para conseguir a união sexual)
* Eu Aproveitador (aproveita qualquer circunstância para satifação sexual)
* Eu Dançarino (excita-se ao dançar; há também os que se excitam vendo alguém dançar)
* Eu Altura (sente-se atração por pessoas altas e/ou baixas)
* Eu Bissexual (sente-se atraído por ambos os sexos)
* Eu Don-Juan (conquista por satisfação, mesmo sem interesse nem atração; nasce de outros eus)
* Eu dos Ciúmes (possessão sexual; nasce do eu da insegurança)
* Eu Voyeur (sente prazer em ficar observando)
* Eu Galã (sente-se atraente e gosta de conquistar com gestos, delicadezas, olhares, sorrisos  e gentilezas)
* Eu Fantasia (quando a imaginação erótica é frequente; eu muito instintivo e forte)
* Eu Esfregador (sente prazer ao se esfregar em outra pessoa; em ônibus, metrô, trens, locais públicos)
* Eu Exibicionista (mostra suas partes íntimas ou roupas íntimas, como decotes, saias curtas, calças apertadas mostrando volumes)
* Eu Coprolalia (conversa em linguagem obscena)
* Eu Esquentador (aquele ou aquela que excita e depois rechaça)
* Eu Sádico (sente prazer golpeando o parceiro; suave ou violentamente: é uma questão de grau, desde simples tapas nas nádegas a estupros abomináveis)
* Eu Travesti (sente grande prazer em vestir roupas e assumir gestos do sexo oposto; homem que sente excitação ao usar vestidos e lingeries e mulher que usa ternos e cuecas; sutil ou clara tendência bissexual ou até mesmo homossexual)
* Eu Sexivestido (sente grade prazer em usar roupas do sexo oposto sem assumir gestos; grau menor que o Eu Travesti)
* Eu Cantador (sente prazer em fazer galanteios a todas as pessoas; o famoso eu da cantada)
* Eu Ninfolepera (atração por jovens de pouca idade; o grau mais acentuado é o Eu Pedófilo)
* Eu Narcisista (sente atração pelo próprio corpo, é uma espécie de auto-homossexualismo)
* Eu Masoquista (sente prazer sexual apanhando; ligado ao eu da Ira; procura por parceiros com tendências sádicas)
* Eu Sentimental (expressa sentimentos fingidos para conquistar e/ou excitar)
* Eu Grafite (gosta de fazer desenhos obscenos em banheiros públicos e outros lugares)
* Eu Masturbador (sente prazer na masturbação, mais até do que no próprio ato)
* Eu Fornicário (sente prazer no derrame da energia, no orgasmo, na ejaculação)

Ira

* Eu da Antipatia (maior ou menor grau de repugnância, repúdio ou aversão. “Não fui com a cara de fulano”, “Não gostei” etc. Há dois tipos: provocada ou mecânica; nascem da inveja ou dos complexos e das comparações)
* Eu Educador (pais, professores ou educadores “dizem” querer encaminhar a criança ou o jovem com disciplina, mas o que se manifesta neles é a atitude descontrolada da ira; seu símbolo é a palmatória)
* Eu da Crítica Mordaz (ofende e afeta para destruir, age com ferocidade verbal, auxiliado por ironias, sarcasmos e palavras de duplo sentido)
* Eu Burlador (faz atos ou gestos, por causa da Ira, para ridicularizar, como mostrar o dedo do meio)
* Eu da Crueldade (sente satisfação em ver alguém sofrer; às vezes acompanha o Eu Educador)
* Eu Briguento (não levo desaforo pra casa, não tenho sangue de barata)
* Eu da Cólera (zanga-se descontroladamente)
* Eu da Displicência (mostra-se indiferente a outro, em palavras, roupas ou gestos)
* Eu Discutidor (entra em polêmicas, dialoga exageradamente, é um eu mentaloide)
* Eu da Imposição (impõe e domina; típico de chefias)
* Eu Irreflexivo (age sem nenhuma lógica)
* Eu Grosseiro (usa vocabulário grosseiro e obsceno)
* Eu Iniquidade (pratica a injustiça por maldade, é a Ira admitida)
* Eu da Injúria (ultraja por palavras)
* Eu da Intolerância (não quer entender os demais, é lunático e temperamental)
* Eu Assassino Verbal (vontade de matar meu chefe; eu mato quem mexeu nas minhas coisas… usar a palavra matar no sentido egoico é típico das 96 leis infernais)
* Eu Irritadiço (irrita-se por qualquer coisa, típico em mulheres com tpm, crianças mimadas e pessoas ansiosas)
* Eu Irritável (irrita-se com tudo o que as pessoas fazem ou falam)
* Eu Machista (sente-se dono da mulher ou superior a elas, quer protegê-la pensando que a ama)
* Eu do Ódio (é o contrário do Amor)
* Eu Suscetível (“Estão rindo de mim, vou tomar satisfações”; “está olhando o quê?”)
* Eu Ressentimento (sentimento profundo de dor, que ativa o Eu do Rancor)
* Eu Ofensivo (fere com palavras)
* Eu Inconformado (tudo o desagrada, as pessoas, os lugares, as coisas; comum em adolescentes)
* Eu Desagradável (faz e fala coisas que o tornam desagradável, fala o que as pessoas ao seu redor não querem ouvir, se crê uma pessoa autêntica)
* Eu Blasfemo (renega, maldiz, insulta ou atenta contra o que é sagrado, contra Deus  e as religiões)
* Eu do Protesto (pessoa que não está de acordo com qualquer determinação, opinião etc.)

Orgulho

* Autoconsideração (É A PORTA DE ENTRADA DE TODOS OS DEFEITOS. A pessoa sente-se ferida, mal amada, mal agradecida, injustiçada. Atrai, primeiro, a ira)
* Autossimpatia (esforça-se em ser simpático para ter aceitação, típico em ambiente profissional, manifesta-se especialmente pela distribuição de sorrisos para todos)
* Automérito (crê-se merecedor, mesmo não fazendo nada)
* Autovalorização (valorizar os esforços realizados. Quer recompensa)
* Autossuficiência (não necessita de ninguém, só acredita no próprio valor, não admite que alguém o ajude)
* Burla (caçoar ou debochar de alguém através dos olhos ou de gargalhada, quer chamar a atenção)
* Impontualidade (chega atrasado para ser notado)
* Gargalhão (ri estrondosa e escandalosamente)
* Complexo de inferioridade (crer-se menos que os outros, gera indecisos)
* Complexo de superioridade (crer-se mais que os outros)
* Indiferença (não ligar para os demais, fingir que não escuta ou liga para os outros)
* Pilatos (justifica seus erros ou atitudes)
* Desobediência (não aceita seguir ordens ou sugestões)
* Orgulho físico (ególatra que admira o corpo ou determidada parte dele)
* Orgulho mental (admira-se de seu preparo intelectual, seu diploma acadêmico, sua experiência etc.)
* Eu Fama (ambiciona ser famoso, conhecido, notório, quer ser manequim, ator/atriz, político, sentir a luz dos holofotes em seu rosto etc.)
* Nacionalista (apego ao país, à região – Eu Sulista, Eu Nordestino, Eu Gaúcho, Eu Argentino etc.; pode chegar ao genocídio)
* Paranoico (doença mental, nunca aceitaria seus erros ou deficiências; complexo de perseguição)
* Egotismo (só fala de si mesmo, incessantemente; gosta de interromper quem está falando para falar de si)
* Incredulidade (não aceita os fatos por excesso de orgulho)
* Pudorado (manifestar demasiado pudor, veste-se de forma pudica, com shador, lenço na cabeça, roupa preta pesada como os fundamentalistas de qualquer religião)
* Ressentimento (emoção mediana entre a ira e a autoconsideração)
* Eu Guru (pretende sempre dar respostas “superiores”, dar “lição de moral” nos outros, sempre tem uma frase de efeito para mostrar sua presença “humildemente superior”)

Preguiça

* Apatia (pouca ou nenhuma iniciativa)
* Desinteresse (não se interessa por nada, para não ter com que se preocupar)
* Abandono de Si (a pessoa se estira numa cadeira, sofá ou outro lugar, joga as pernas e sente que a preguiça tomou conta de si)
* Bocejo Frequente (tudo provoca indiferença, sono e cansaço, não confundir com esgotamento físico ou mental)
* Busca de Desculpas (“hoje estou cansado, com dor de cabeça”)
* Dormir Demais (ter mais de sete ou oito horas de sono é uma manifestação de preguiça, mas também pode ser escapismo)
* Desalento (apoia-se, com os cotovelos ou pés sobre a mesa, como num eterno cansaço, ou inclina-se na cadeira)
* Enfermidade do Amanhã (vive o futuro sem experimentar o presente, cria desculpas para adiar: depois eu lavo a louça, depois estudo)
* Esquecimento Constante (não se esforça para pensar)
* Desperdício de tempo (não dá importância ao tempo)
* Impontual (nunca chega no horário, sai de casa sempre na última hora)
* Inércia (incapacidade de ação, não sabe ter ação ou iniciativa, muito menos ser proativo, lei do mínimo esforço)
* Inconstância (está sempre mudando para não terminar, não termina um livro, um documentário, um trabalho)
* Incapacidade (por preguiça de assumir, incompetente por preguiça)
* Mal Vestir (preguiça de combinar, às vezes até de abrir o guarda-roupas; por pouco não anda de pijama na rua ou no trabalho)
* Preguiça de Ler (alguém leu as obras gnósticas recomendadas? Ou se lê, termina o livro? Ou medita nele?)
* Pessimismo (“Para que mudar se não vai dar certo mesmo?”)
* Tradicionalismo (segue só a sua tradição, religião, família, com preguiça de mudar sua vida)
* Surdez (a preguiça muitas vezes afeta até os sentidos físicos)
* Preguiça Verbal (não entra em discussão ou não responde por preguiça)
* Preguiça Física (esse ego determina até as formas, como a barriga, o rosto, o andar, a postura; dá-se a impressão de que o preguiçoso físico está a ponto de derreter)

Cobiça

* Ânsia de Poder Material (mais dinheiro, mais cargos…)
* Poder Psíquico
* Avarento (apego exagerado ao dinheiro)
* Explorador
* Ladrão
* Mau Orientador
* Conhecedor (adquire conhecimentos só para atingir fim anelado)
* Eu do Assalto
* Cleptomaníaco
* Mesquinho (não divide seus bens com ninguém)
* Usurário (empresta dinheiro a juros)

Inveja

Enquanto a Cobiça é o querer para si, a Inveja é o pesar ou desgosto pelo bem, pela felicidade ou pelo sucesso alheio.

* Eu Bruxo (consciente ou inconscientemente lança vibrações psíquicas de fracasso a outrem: “Você comprou um carro? Que maraviiilhaa”)
* Eu Competitivo (pode até matar por inveja)
* Traidor (a Grande Fraternidade Branca considera o grau extremo desse defeito como Alta Traição, cuja condenação é a queda ao Nono Inferno Dantesco, mesmo que a pessoa ainda esteja viva; ou seja, o corpo da pessoa ainda está vivo, mas sua Alma já não está mais ali: é o chamado Morto-Vivo)
* Falso Julgamento (Caluniador)
* Fracasso de Alguém (este Eu se manifesta na maioria das pessoas, porém, em nível inconsciente; por isso se pede ao gnóstico que mantenha sigilo e não fique “fofocando”, comentando com todo mundo suas experiências, seus projetos, planos materiais ou espirituais)

Gula

* Eu do Meio-Dia (“sente” fome ao saber que determinada hora chegou)
* Devorador (não mastiga os alimentos, ou no máximo, dá duas mastigadas e engole afoitamente)
* Ideia Fixa (de comer sempre. Não mede consequências físicas, morais ou internas)
* Medo da Fome (come por medo de passar fome mais cedo ou mais tarde)
* Acumulador (mistura de medo e gula)

Eus dos Vícios

Existem agregados que são elos entre um eu principal e outro. Lembremo-nos de que há mais de 10 mil agregados. Temos ainda outros eus, muito fortes nos dias atuais, como os Eus dos Vícios, tais como:

* Eu Pescador
* Eu das Rifas
* Eu Tabagista
* Jogador de Cartas
* Eu Caçador
* Eu Jóquei
* Eu Maconheiro
* Eu Refrigerante (p.ex., “adora” Coca-Cola)
* Demônio Algol (alcoolismo)
* Eu Caça-Níqueis
* Eu Bilharista
* Eu masca chiclete (vive ruminando o dia inteiro, também por culpa do nervosismo e da ansiedade)
* Eu do Fliperama
* Eu da Loteria
*Eu Futebolista (eu amo o Corinthians, eu adoro o Flamengo; pode se associar a eus mais pesados da ira, do orgulho…)
*Eu Bingueiro
(Esses Eus do Vício ligam-se à Sexta Esfera Dantesca; os que jogam, mesmo por caridade, ligam-se astralmente, vibratoriamente, ao demônio Sanagabril, um dos seres mais horríveis do Inferno)

Não Classificados/Diversos/Secundários

* Eu da Timidez (nervosismo crônico em todas as situações; não confundir com a timidez natural)
* Eu Pedinte (pede demasiadamente tudo: informações, cura, dinheiro, milagres etc.)
* Eu Santarrão (muito comum entre os esoteristas, que falam excessivamente em Conduta, Santidade etc., não lembrando que o único Santo é Deus)
* Eu Piromaníaco (atração mórbida pelo fogo)
* Eu Patada (ou, como o mestre Samael o chamava, Yo Patón: brincadeiras com chutes e empurrões, entre irmãos, amigos etc.)
* Eu Místico (usa roupas extravagantes nas ruas, tem palavrório e postura de mãos, rosto, olhos, sorrisos, com aparência mística na hora errada)
* Eu Malicioso (capcioso, duplo sentido, irônico)
* Eu Tiques Nervosos (ombros, piscar, coçar-se, repetições de palavras: né?, você tá me entendendo?)
* Eu Raciocinador (quer encaixar tudo em suas lógicas, não reflete ou medita)
* Eu Palhaço (sempre há um funcionário na empresa, família, escola, que é o “palhaço da turma”, insiste em fazer os outros rir)
* Eu Suicídio (medo de viver, tédio, desejo de vingança; forma sutil )
* Eu Imitador (muito visto nesses “humoristas” que sempre imitam as pessoas, com voz e gestos)
* Eu Homicida
* Eu Irresponsável (orgulho de falar e agir sem consideração e consciência)
* Eu do Aborto (eu assassino que se disfarça de Feminista, Moderno, Progressista etc., influenciado pelo Inferno)
* Eu Presenteador (típico de pessoas inseguras, que querem a aprovação do outro, ou orgulhosas)
* Eu Musical (adolescentes que só querem ouvir música e esquecem de seus deveres na escola)
* Eu Humilde (faceta ridícula do orgulho, pode ser também timidez ou complexo de inferioridade)
* Eu da Falsa Promessa (eu enganador, que descumpre a Lei da Promessa)
* Eu da Mentira (que nasce da dissimulação, medo, interesses; seu karma futuro será nascer com corpo defeituoso)
* Eu Ateu (eu mental, superficial, baseado somente nos cinco sentidos; ligado ao orgulho)
* Eu Explicador (você pergunta como vai e ele conta toda a vida dele; liga-se ao orgulho, às frustrações, ao sadismo ou ao eu mentaloide)
* Eu da Curiosidade (que se confunde com os Anelos da Alma; quer saber de tudo e sobre tudo)
* Eu da Ingenuidade Esotérica (“Ora, para que manter discrição e segredo? Vamos falar sobre Rituais”)
* Eu Roedor de Unhas (inseguranças, bloqueios, tristezas, que geram esse hábito)
* Eu Sectário (minha linha gnóstica, minha seita, minha religião, meu partido, time etc.)
* Eu Fingidor (observe duas mulheres elogiando uma à outra).

Incensos

80 COMENTÁRIOS

  1. Estava precisando refletir sobre meus defeitos e achei essa lista imensa à minha escolha. Ajudou-me muito. Só aceitando meus defeitos é que posso me tornar uma pessoa melhor. Obrigada!

    • na verdade pedir perdão e fácil, mas se qualificar e se tornar algo útil,e mais difícil.no entanto e só viver os três fatores o resto nos veremos com os processos de crescimento espiritual.

  2. Comecei a ler e achei que os defeitos que tinha, não eram defeitos mas sim qualidades ,depois de conhecer esse rol de eus.
    Vou começar a quebrar meu ego a partir de hoje,sem falta.

  3. Parei aqui…Li, pensei e refleti.
    Tudo é tão simples, e nos permitimos no decorrer da nossa estadia terrena,sermos sabotados ou autossabotados.
    Cada necessidade, do nosso autoconhecimento é a chave que dispara do nosso verdadeiro lar. A Casa do Pai ou da Trindade.
    Peguei meu machadinho hoje e comecei a quebrar o meu EGO!
    Paz e Luz.

  4. Um dos principais defeitos do ser humano e nao aceitar que cada pessoa tem seus conceitos e esperiencias e quando alguem se manifesta um pouco critica a determinados conceitos imposto pela sociedade, nao e por e louco mas porque ja teve fatos real na sua vida e isso nao pode e nunca podera ser desprezado.E gnose e conhecimento de si mesmo e independente de aprovaçao, quando uma pessoa começa a deter conhecimento o universo e infinito para quem busca a verdade.

  5. gostei desta explicação. e reconheci alguns dos defeitos em mim. Chegar a um estado de vida sem defeitos depende da vontade de cada um? ou isto e um ideal?

  6. amigo, eu acho que não devo lutar contra meu ego ou meus defeitos, se sou uma criação divina, então, deus me fez desta maneira e me deu capacidade para reconhecer meus erros, o grande objetivo deve ser reconhecer o erro e tentar não errar novamente.
    não acredito no inferno, eterno, se eu que sou uma pequenissima parte do criador e tenho amor pelos meus filhos a ponto de fazer qualquer coisa por eles, de perdoar os defeitos deles, de ama-los, chorar por eles, imagino que deus e bem superior a isto, religião ou filosofia ficam criando medos, regras, achando que estão certos, cristo nos perdoou, somos filhos de deus pai

    • Edson, o ensinamento gnóstico é preciso e maravilhoso, pois tira de nossa mente inúmeros conceitos que nos foram impostos ao longo de séculos por dogmatismos imaturos, ingênuos e incompletos.
      Convido você a estudar de forma mais acurada e sistemática a Gnose eterna.
      Os livros que sugerimos (que se encontram tanto gratuitamente quanto à venda, em nosso site) são:
      – Psicologia Revolucionária
      – A Grande Rebelião
      – O Matrimônio Perfeito
      – SIM, HÁ INFERNO, DIABO E KARMA
      – O Mistério do Áureo Florescer

      E as demais obras podem ser lidar após estes primeiros, e temos certeza de que várias dúvidas de sua parte serão dirimidas de forma clara, madura e objetiva…

  7. A falta de conhecimento e sabedoria é uma das causas de se entregar aos defeitos psicologicos. agradeço aos mestres gnosticos por me ajudarem, me tornei conhecedor há pouco tempo, mas mesmo assim tenho feito coisas horríveis, mas decidi morrer psicologicamente.

  8. Amigos, muito interessante o estudo. Acho que está num bom caminho, mas me parece que há muito ainda o que fazer.

    Por exemplo: Só podemos definir DEFEITO, se compararmos com um padrão específico de qualidade ( SEM DEFEITOS) e comparar o quâo próximo ou distante, algo está desse padrão.

    Que padrão usaríamos, ou referância, para definir se algo seria um defeito ou não ? Sabendo que Deus, Jesus Cristo e etc.. Não servem como padrão porque não temos acasso a eles diretamente, e nem tudo o que se fala deles, é verdade ou foi avaliado cuidadosamente, sendo somente, objeto de fé.

    Mas quem quer se melhorar de verdade, não pode depender de fé, tem que pesquisar a veracidade de cada argumento e confrontar com algo que seria o padrão de avaliação.

    A pergunta é: Que padrão usaremos para avaliar ??

    Grato e parabens pelo site.

    • esse padrão você jamais encontrará no mundo externo, e sim com bastante meditações e padecimento voluntário, você encontrará internamente, usar o intelecto é fascinate jorge, porem quando falamos de defeitos psicologicos, temos que esquecer a materia e buscar, como os intelectuais falam, dentro de nossa psiquê, se formos levar ao materialismo cientifico, temos muitas pesquisas cientificas, que valem a pena pesquisar, que relatam que as pessoas que ouvem musica e tem um religião que os façam a ter fé, curam-se muito mais rapidamente de enfermos e doenças de lento tratamento. essa pesquisa foi um trabalho do Instituto Dante Pazzanese, com quase 250 artigos de todo o mundo, concluiu que a prática regular de atividades religiosas – sejam elas quais forem – pode reduzir o risco de morte, do tratamento contra o cancer, em 30%.
      Mas não quero levar essa explicação para o materialismo, e sim lhe mostrar que a fé pode ajudar enfermos de todos os tipos, tanto psicologicos, como doenças fisicas.
      Dentro de você há um universo que você mesmo desconhece, e a destruição desses defeitos psicologicos sou estritamente intimas, cada um que faça o seu trabalho interno. paz reverencial.

  9. Olá, comecei a ler hoje sobre a Gnosis e estou muito interessada em me aprofundar. Noto muitos defeitos em mim, me vejo agindo muitas vezes com desequilíbrio, auto-sabotando meus planos, atacando as pessoas com palavras com o único intuito de feri-las e isso me incomoda muito. Não quero ser uma pessoa ruim.
    Creio que meu maior defeito deve ser a mania de mentir. Minto muitas vezes e vejo que é algo automático, algumas vezes minto por orgulho, ou para conseguir favores, outras tantas minto por mentir e me vejo me perguntando porque fiz isso. Estou num relacionamento e menti em algumas coisas para meu namorado. São mentiras sobre mim mesma e que não podem prejudicá-lo, todavia gostaria de saber como devo proceder para consertar isso? Quero ser sincera com ele, como são mentiras que ficaram no passado fico na dúvida se deveria contar tudo para ele, ainda que o magoe, ou se basta com que eu seja honesta a partir de agora e repare de alguma forma esses danos agindo sempre de forma honesta e verdadeira.
    Para reparar meus erros de mentira devo contar a verdade para cada pessoa que mentir ou basta que eu me vigie a partir de agora e não minta mais?
    Quando uma pessoa se arrepende de seus erros, como a mentira, e busca não comete-los mais, ainda assim nascerá com deficiencia na próxima vida?
    Obrigada.

    • Mariana, bem-vinda ao universo gnóstico. O maior e melhor trabalho que se pode realizar é dentro de você mesma.
      Essa afirmação não é novidade, toda autêntica escola iniciática sempre ensinou a necessidade da autodescoberta psicológica para uma renovação absoluta e radical de nossa vida.
      Continue lendo, estudando e refletindo sobre as didáticas e técnicas que podem nos levar à Autorrealização de nosso Ser Interno…

  10. Obrigado pelas respostas. Tenho lido bastante o site, e encontrado bastante respostas ao mesmo tempo que confirmo o que já pensava. A vida acontece e importa tanto no mundo espiritual como no material, e podemos ser felizes sempre. Me irrita quando dizem por aí que a verdadeira vida é no plano espiritual. Aqui neste plano, estamos sujeitos a experiencias que acho, lá, não estariamos. A reencarnação se faz necessaria, somos imortais, eternos, imagina viver uma eternidade sem ter uma folguinha? Para isso serve a reencarnação. Nascemos apenas levando o que importa , esquecemos o que de mal nos passou, evoluimos para depois voltar ao plano astral cheio de historias para contar e assim se vai….conhecendo novas pessoas, assumindo novos corpos, desbravando novos mundos. Por isso também um univerdo tão grande, infinito, para ser descoberto durante toda eternidade. Não sei se estou certo, mas este é meu ponto de vista e gostaria de conpartilha-lo.

  11. O que tenho dificuldade em aceitar é que na realidade livre-arbitrio é uma ilusão, principalmente aqui na Terra. Talvez quando estivermos mais evoluidos possamos traçar em detalhes nossas vidas em um plano material. E assim sermos plenamente felizes em um mundo material. Posso estar completamente errado, falando uma grande besteira, mas este é meu ponto de vista. Mas para isso acontecer temos que estar plenamente conscientes de nós mesmos e de Deus, da Ação e Reação, sendo seres já bastante evoluídos. Todos podemos ser plenamente felizes em um mundo material, mas precisamos merecer, merecer a confiança de Deus/Uno/Brahman, o nome não importa. Por isso tantas guerras, desavenças no mundo, tivemos nossos destinos escritoe nas estrelas, pela lei que rege o cosmos.

    • Realmente, Gui, você acertou. Este mundo é uma “prisão”, mas também um laboratório que nos dá todas as possibilidades de autorrealização espiritual. Isso é um paradoxo, mas é uma grande realidade.
      Basta darmos a devida importância ao mundo material, que é ao mesmo tempo “maya” (ou ilusão) e “escola” para a Autorrealização.
      Sugiro que estude a Sabedoria Gnóstica e amplie sua visão sobre como viver conscientemente neste mundo sem se apegar a ele…

  12. Pode me responder uma dúvida…Segundo os espiritas, a principal causa para um indivíduo nascer com problemas tais como Síndrome de Down é o suicídio. Qual a visao gnostica do suicídio, consequências, carma, e se a visão é tão cruel como dos espiritas? Leio sobre varias religiões, e nao consigo concordar com certas opiniões.

    • Realmente a vida é cruel, Gui. Nada é tão “cruel” como uma Mãe amorosa que põe seus filhos na linha reta para que aprendam corretamente nesta ESCOLA, que é o planeta Terra.
      É necessário abandonar uma mente infantilizada e cheia de fantasias sobre o que é realmente a Vida, para compreendê-la e aceitar as LEIS CÓSMICAS DE AÇÃO E REAÇÃO.
      Nossa Mãe não é cruel na realidade, é somente TERROR DE AMOR E LEI.

  13. os olhos mostram e o cerebro registra, não tudo, não todos, apenas o que desperta algo…se me mostrarem desde menino que atras do verde ou do azul, do marron, enfim, ali esta, ali estara até que eu prove o contrario.

Deixe uma resposta