As sete rondas planetárias

As sete rondas planetárias

- emAntropologia
3913
14

Durante o Grande Dia Cósmico de Manifestação, as ondas de vida ou Chispas Virginais vão atravessando 7 Períodos de manifestação ou Rondas sucessivas, constituindo, estas últimas, a Evolução Planetária.

PRIMEIRA RONDA: RONDA MENTAL (ou PERÍODO DE SATURNO)

No primeiro período de manifestação de nossa Alma-Planetária no Sistema Solar de Ors (este é o nome de nosso Sistema Solar na Grande Fraternidade Branca, mas pode ser chamado também de Orbital Revolutionary System), a natureza toda era mental, as formas já desenhadas na Mente Cósmica foram tomando diferentes graus de densidade em sucessivos Períodos de manifestação. Samael, em sua fantástica e portentosa obra A Revolução de Bel, diz:

Penetrei clarividentemente na Época de Saturno… Aqui não vejo nada vago ou vaporoso… Besant, Leadbeater, Heindel, Steiner…

Onde estão vossos poderes? Que se fizeram de vossos conhecimentos? Para que me falais de coisas vagas, quando tudo aqui é concreto e exato?

Estes homens da Época de Saturno eram Homens… e homens de verdade, porque tinham o “Ser” e sabiam que O tinham…

As humanidades sempre são análogas, e estes homens da Época de Saturno eram como os atuais… o ambiente era semelhante.

Quando se fala de humanidade, vêm à mente negócios, tabernas, lupanares, orgias, belas garotas e gentis galãs, princesas sequestradas e velhos castelos, Tenórios de Barrio e poetas tresnoitados. O ancião que passa, a criança que chora, a mãe que sussurra uma esperança e o frade que murmura alguma oração… enfim, toda essa gama de qualidades e defeitos, variados, diversos, que constituem os valores humanos…

A humanidade é uma matriz onde se gestam anjos e diabos… Da humanidade, no sai senão isto: anjos ou diabos.

Quando as Mônadas Divinas animam os três reinos inferiores, não há nenhum perigo. O perigo reside ao chegarmos ao estado humano: desse estado sai para anjo ou diabo…

A matéria toda era mental… Todos os humanos usavam Corpos Astrais… Comiam, vestiam-se, bebiam e se divertiam como agora, porque o corpo astral é um organismo quase tão denso como o Físico e está analogamente constituído como o Físico…

Certamente, os homens da Arcádia recordavam antigos cataclismos e formosas tradições milenares… de épocas pré-saturnianas… porém, em pleno apogeu do estado humano, a vida era semelhante à atual…

Os homens dessa Época de Saturno usavam Corpos Astrais e eram muito altos: nesse ínterim, nossos corpos humanos eram tão só germes com possibilidades de desenvolvimento. Os atuais “Íntimos” humanos eram então só Chispas Virginais que animavam o Reino Mineral…

 

sete-rondas-gnosisonline2O crepúsculo da Noite Cósmica estendia a sombra de suas asas misteriosas sobre os vales profundos e as enormes e gigantescas montanhas da velha Arcádia. As corpulentas árvores milenares, últimos vestígios de pais desconhecidos, haviam visto durante longos anos cair as folhas de outono, e agora pareciam secar-se definitivamente para cair nos braços da morte. Nossos atuais corpos humanos pareciam fantasmas de homens e os Íntimos de nossa atual humanidade já haviam recebido suas mais finas vestimentas.

Terríveis terremotos sacudiam a Arcádia, e por onde se queira sentia-se um hálito de morte; daquelas enormes multidões de seres humanos haviam saído duas classes de seres: anjos e diabos.

SEGUNDA RONDA: RONDA ASTRAL (ou PERÍODO SOLAR)

Depois de um período de repouso cósmico, a vida recapitulou a Época de Saturno e então se iniciou a Época Solar: A Terra brilhava e resplandecia com os coloridos inefáveis da Luz Astral, e a matéria do Universo era a mesma Luz Astral. Os Corpos Físicos de nossa atual humanidade se desenvolveram um pouco mais e receberam o Corpo Vital que hoje em dia serve de base a toda a biologia humana.

Os anjos e os diabos da Época de Saturno flutuavam no ambiente da Época Solar.

O universo brilhava e resplandecia cheio de inefável beleza. A humanidade da Época Solar era análoga às demais humanidades de qualquer Época, e entre os homens daquela época houve um que se esforçava terrivelmente por chegar à perfeição. Esse homem foi mais tarde Cristo, o divino Rabi da Galileia, o Logos Solar.

Havia na Época Solar outro templo de magia negra onde se iniciaram também muitíssimos homens que mais tarde se converteram em demônios. Astarot foi iniciado nesse negro e gigantesco templo.

Depois de milhões de anos, ao se aproximar a Noite Cósmica daquela Época Solar, os Quatro Senhores da Chama dotaram os atuais Íntimos humanos de Alma Espiritual, ou Corpo Búdico, que é o Corpo da Intuição.

O veículo da intuição está conectado diretamente com o coração. O coração é, pois, o centro da intuição. O chacra, ou flor de lótus, da intuição gira e resplandece com extraordinária beleza. Nesse chacra há sete centros atômicos que servem de instrumentos às sete grandes Hierarquias Cósmicas para atuar sobre nosso maravilhoso organismo.

Como já dissemos em nosso livro intitulado O Matrimônio Perfeito (ou, Porta de Entrada à Iniciação), o coração do Sol está analogamente construído como o coração de nosso organismo humano. Assim como no Sol há sete Hierarcas que dirigem os sete Raios Cósmicos, assim também em nosso coração há sete cérebros que pertencem às sete grandes Hierarquias Cósmicas.

 

sete-rondas-gnosisonline

Ao final da Época Solar, a humanidade daquele tempo chegou ao estado angélico e são os Arcanjos de hoje.

O mais alto Iniciado deles foi Cristo (Nota do GnosisOnLine: para saber mais sobre A AUTÊNTICA BIOGRAFIA DE JESUS, clique aqui), porém, nem todos os humanos desse então chegaram a esse estado, pois a maioria se converteu em demônios.

Javé, o polo contrário do Cristo, foi o mais alto iniciado negro e tenebroso daquela Época.

Chegada a Noite Cósmica, o Universo pareceu submergir-se no caos. A natureza inteira entrou no sonho feliz…

As sementes de todo o vivente entregaram-se nos braços do sonho… e os espaços infinitos vibraram deliciosamente as harpas dos Elohim.

TERCEIRA RONDA: RONDA ETÉRICA (ou PERÍODO LUNAR)

Passada a Noite Cósmica do Período Solar, iniciou-se o alvorecer do Período Lunar. O Universo Solar condensou-se em matéria etérica. A vida recapitulou todos os estados dos passados Períodos Cósmicos, e depois desses processos de recapitulação, iniciou-se em nossa Etérica Terra, chamada Terra-Lua, o Período Lunar em toda a sua plenitude.

Os homens da Época Lunar eram pequenos de estatura e seus corpos eram de matéria etérica. Construíam suas casas sob a terra, ainda que sobre a superfície pusessem tetos análogos aos tetos de nossas atuais casas. Negociavam, trabalhavam e se divertiam como nós, suas povoações urbanas eram pequenas e estavam conectadas como as nossas com caminhos e estradas.

Tinham também automóveis semelhantes aos nossos e as montanhas eram transparentes como o cristal e de uma cor azul-escuro muito formosa – essa é a cor que vemos nas distantes montanhas, esse é o Éter. Toda nossa Antiga Terra era dessa bela cor.

Os vulcões estavam em incessante erupção e havia mais água que em nossa Época atual. Por onde quer que fosse, viam-se lagos imensos e mares dilatados…

A flora e a fauna dessa tempo eram muito diferentes das nossas: ali vemos clarividentemente vegetais-minerais (ou seja, semivegetais, semiminerais), vegetais semianimais etc. Isso quer dizer que os três Reinos da Natureza não estavam completamente definidos como agora, nessa Época um reino se confundia com o outro. Havia nas árvores uma marcante tendência a tomar com seus galhos e folhas formas côncavas, as quais as faziam semelhantes a gigantescos guarda-chuvas. Adivinhava-se através de todo o existente uma marcada tendência a inclinar-se “para baixo”, quer dizer, até a condensação de nossa Terra atual. A Natureza é uma vivente escritura por todo lugar, e com essa vivente escritura escreve seus desígnios.

Vemos, em troca, agora em nossa Época atual do século 20, uma marcada tendência a construir elevados edifícios e aviões cada vez mais rápidos etc. Nossos atuais arbustos não querem se inclinar senão subirem ao Sol, para cima. É que nossa Era já chegou ao maximum de condensação material e agora anela subir novamente, voltar a eterizar-se…

Na realidade, o Éter está inundando o ar e eterizando a Terra cada vez mais, e ao final da grande Raça Ária o Éter se fará totalmente visível no ar, e então as criaturas que vivem no Éter compartilharão com o homem suas atividades.

No Período Lunar, os corpos físicos de nossa atual humanidade chegaram a uma maior grau de perfeição e então recebemos o Corpo Astral. Os homens de hoje éramos os animais do Período Lunar, e os anjos e os diabos dos antigos Períodos flutuavam na atmosfera etérica de nossa Terra-Lua; eram visíveis e tangíveis para a humanidade.

O homem percebia por trás do fogo dos vulcões em erupção aos arcanjos (ancangeloi) ou criaturas do fogo e por trás de todas as formas existentes aos Senhores da Forma. Os Filhos da Vida regulavam as funções vitais de todo o existente e as criaturas elementais dos cinco elementos da Natureza conviviam com os homens.

Ao finalizar aquele grande Período Lunar, os Íntimos da atual humanidade receberam o Corpo do Espírito Humano, ou Corpo da Vontade, que Krishnamurti tanto deprecia.

Chegada a Noite Cósmica do Período Lunar, Jeová e seus anjos, e Lúcifer e seus demônios, retiraram-se do Cenário Cósmico e a Natureza toda entrou em profundo repouso.

QUARTA RONDA: RONDA FÍSICA (ou PERÍODO TERRESTRE)

Passada a Noite Cósmica do Período Lunar, o Universo se condensou na Nebulosa de que Laplace nos fala. Este foi o começo da Época físico-química na qual nós vivemos. A Natureza recapitulou os passados Períodos Cósmicos, tal como alegoricamente o Gênese nos descreve.

Esses foram os tempos da Nebulosa de Laplace durante os quais a Terra recapitulou a Época de Saturno. As moléculas da nebulosa quente e obscura entraram em fricção, sob o impulso da Palavra Perdida do Criador, e então, a Nebulosa se fez ígnea.

Esta foi a Época Hiperbórea, durante a qual entraram em atividade os Átomos Solares da Época Solar. Nossa Terra foi então um globo ígneo cheio de Sabedoria do Fogo, e da Luz que o próprio Fogo produz. E nesse globo ardente viveram os Arcanjos que foram os homens da Época Solar, r se expressaram em toda a plenitude de sua Sabedoria.

Logo, disse Deus: Haja expansão em meio às águas, e separou as águas das águas.

Deus fez a expansão e afastou as águas que estavam debaixo da suspensão daquelas águas que estavam sobre a expansão, e foi assim.

E chamou Deus a expansão céus e foi a tarde e a manhã do dia seguinte. (Gen. 1:6 a 8) Aqui a Bíblia segue falando da recapitulação do Período Solar: o globo ardente ao contato com as úmidas regiões interplanetárias produzia vapor d’água e se formavam enormes que, ao condensar-se, caíam em forma de chuva, formando enormes mares e poços que ferviam incessantemente sobre o globo ardente e as nuvens separaram as águas do céu, das águas do ardente globo.

“Deus também disse: Unam-se as águas que estão debaixo dos céus em um lugar, e descubra-se a seca. E assim foi. E Deus chamou a seca de Terra, e a reunião das águas chamou Mares. E viu Deus que era bom.” (Gen. 1: 9 e 10)

Os poços de água que ferviam sobre o ardente globo vieram a se cristalizar em forma de “cascas” sobre a superfície do ardente globo, e assim cumpriu-se a Palavra do Criador, que disse: “Descubra-se a seca. E Deus chamou a seca de Terra”. Foi assim que se formou a primeira crosta terrestre chamada Lemúria.

Nessa época lemuriana a Terra recapitulou o Período Lunar, porque é uma lei da vida que a Natureza, antes de iniciar suas novas manifestações, recapitula todas as suas passadas manifestações.

Quem quiser conhecer objetivamente todos os processos evolutivos da humanidade, que observe o feto humano desde sua concepção.

No ventre da mãe, o feto recapitula todas as metamorfoses do corpo humano, desde antiquíssimas origens.

RONDAS FUTURAS

A futura 5ª Ronda se desenvolverá no Mundo Etérico, a 6ª será no mundo astral e a 7ª no mental. Depois, virá a grande Noite Cósmica (Pralaya).

Posts relacionados

  • Lucia

    Ha uma possibilidade do Ser Interno do ser “humano” ser um anjo? Caso sim, anjos são andróginos? caso sejam, nós pessoas comum e corrente podemos desenvolver a androgenia?
    Grata Lucia.

    • Nosso Ser Interno, nosso Pai Divino, está acima dos gêneros, é uma força divina criada/expressada pelo Pai Cósmico Comum.
      Ele é todo perfeito, e a nossa Autorrealização espiritual é isso que se chama ENCARNAR DEUS…

  • JORGE MONTEIRO

    SENHORES ESSE ASSUNTO É MUITO COMPLEXO PARA SER EXPLICADO EM POUCAS PALAVRAS. GOSTARIA DE SABER, CASO SEJA POSSÍVEL:
    QUANTOS ANOS DURA 1 PERÍODO MUNDIAL, 1 RONDA E UM PERÍODO CADEIA.
    GRATO PELA ELUCIDAÇÃO DA MINHA DÚVIDA.

    • As obras de Helena Blavatsky A Doutrina Secreta Vol 1 – Cosmogênese) e Jinarajadasa (Fundamentos de Teosofia) elucidam muito bem este tema, e são claros em afirmar que como os processos evolutivos e involutivos do nosso sistema solar se dão também em outras dimensões (planos etérico, astral e mental), e não somente em nível físico, a questão de anos, séculos, milênios se torna muito subjetiva.
      O que podemos afirmar é que o plano evolutivo do sistema solar, apesar de ser espantosamente grandioso, não passa de um grão de areia perto deste Cosmo Einsteiniano (que tem uma sobrevida de 311 trilhões e 400 bilhões de anos.

  • Emerson

    “Chegada a Noite Cósmica do Período Lunar, Jeová e seus anjos, e Lúcifer e seus demônios se retiraram do Cenário Cósmico e a Natureza toda entrou em profundo repouso.“
    Não é o Lúcifer Prometeu é claro,a quem se refere ,ao Arcanjo Rebelde Javé o mais alto iniciado negro ou o Lucifer Arcanjo mesmo?
    E o Rabi da Galiléia foi o mais alto iniciado do Cosmos?

    • Um é o Lúcifer histórico, um cabeça de legião de demônios, mago negro do Raio Lunar. O outro é o Lúcifer mitológico, força expansiva e instintiva da natureza criada pelo Cristo Cósmico para a manutenção, procriação e expressão da vida.
      Jesus é um Paramartasatya, ou seja, um HABITANTE DO ABSOLUTO que está conosco para nos salvar…

  • waldemir

    A 3 Raça Mãe como pode (Tinham também automóveis semelhantes aos nossos).Os Lemurianos no inicio da suas sub-raças que são sete eram andrógenos, nascido do ovo, com mais 3 metros de altura, a visão era espiritual, o que era para ser o humano estava em formação. A hierarquia formadora eram os Barichades, atrasaram em sua evolução, aí teve a queda dos anjos para resolver o problema, só no fim das sub- raças, que o homem ganhou a mente. Como poderiam ter automóveis???

    • Quando se diz automóveis, entenda meios de locomoção. Não imagine um VolksWagen ou um Fiat.
      Além do mais, essa questão dos Barishads é errônea, foi um equívoco de Madame Blavatsky sobre a diferenciação entre uma QUEDA e uma DESCIDA à matéria.
      Os Senhores da Mente nos ajudaram a estruturar o corpo mental, mas isso nada tem a ver com a “expulsão de Adão do Paraíso”.

      • waldemir

        Só citei os Barishads como hierarquia plasmadoura do animal atrasou a evolução. Quem realmente dará mente ao homem os da terceira o foram pelos Pitris
        Makaras, Manus (Manus-kara ou ainda Kumaras).” Estes se sacrificaram oferecendo-nos
        a Mente, o Fogo divino do Pensamento, caindo entre nós, aceitaram nossas limitações
        físicas, inclusive as de nosso cárcere ou corpo carnal (donde a mitológica expressão
        Prometeu acorrentado no Cáucaso), mundo inferior ou infernal que as religiões pregam
        até hoje como “A Queda dos Anjos”, se bem que desvirtuando lamentável“…l
        Tentei mas não encontrei os meios de locomoção da LEMURIA, mas como criaram cidades devem existir….

  • sintia

    Acho muito interessante mas queria saber sobre o que foi dito se tem algo haver com a realidade, ou tudo que foi falado é apenas ficção??

    • Felipe

      Olá Amigo, tudo falado no texto não tem nada de ficção essa é a realidade da evolução do nosso sistema solar.

  • Thiago Santos

    Otimo texto. Poderiam postar sobre os sete raios cosmicos e suas influencias
    sobre os chakras.Paz Inverencial!

  • maria.amalia garzesi

    GRAÇAS VOS DOU!

  • É…

    Bonito… principalmente a parte da fase gênese.

Confira também

O fogo sexual e a espiritualidade

A transmutação sexual da “ens seminis” em energia