Vegetarianismo à luz da Gnose

78
2446

Em nome da verdade, devo dizer que existe uma grande lei que se poderia denominar assim: LEI DO ETERNO TROGO-AUTOEGOCRÁTICO CÓSMICO COMUM. Tal lei tem dois fatores básicos, fundamentais: comer e ser comido. Alimentação recíproca entre todos os organismos.

Sem dúvida, o peixe maior sempre tragará o menor. Nas selvas profundas, o mais fraco sempre sucumbirá diante do mais forte; é lei da vida… Por mais vegetarianos que fôssemos, na negra sepultura nosso corpo seria devorado pelos vermes. Assim se cumpre a Lei do Eterno Trogo Autoegocrático Cósmico Comum.

Todos os organismos vivem de todos os organismos. Se descermos ao interior da terra, descobriremos um metal que serve de centro de gravitação para as forças evolutivas e involutivas da natureza. Quero me referir de forma enfática ao cobre. Se aplicarmos o fator positivo da eletricidade a esse metal, por exemplo, poderíamos evidenciar com o sexto sentido, processos evolutivos maravilhosos nas moléculas e nos átomos.

Porém, se aplicarmos a força negativa, veremos o inverso, processos involutivos bastante parecidos com os da humanidade decadente de nossos dias. A força neutra manteria o metal em um estado estático ou neutro.

A radiação do cobre também é transmitida para outros metais que se encontram no interior da terra e vice-versa, as radiações deles são recebidas pelo cobre. Portanto, os metais, no interior da terra, alimentam-se reciprocamente. Eis aí a Lei do Eterno Trogo Autoegocrático Cósmico Comum.

É maravilhoso saber que a radiação dos metais, das entranhas da terra, onde se desenvolvem, é transmitida para os outros planetas. Elas viajam até as entranhas vivas dos planetas vizinhos do nosso sistema solar. Os metais contidos nas entranhas desses outros planetas recebem tais radiações e por sua vez também irradiam suas ondulações energéticas, as quais chegam até o interior do nosso planeta para alimentar os metais que ali estão.

Todos os mundos vivem de todos os mundos. Isto é indiscutível, evidente, manifesto. Sobre esta lei de recíproca alimentação planetária fundamenta-se o equilíbrio cósmico. Interessante não é verdade?

Os mundos, alimentando-se uns dos outros, vivendo uns dos outros, se ajustam num equilíbrio planetário maravilhoso e perfeito. A água nos mundos é, diríamos, o elemento básico para a cristalização desta grande Lei do Eterno Trogo Autoegocrático Cósmico Comum. Pensemos por um momento no que seria de nós, do nosso planeta, das plantas e de todas as criaturas animais se a água acabasse, desaparecesse, se evaporasse…

Nosso mundo se converteria em uma grande lua, em um cadáver cósmico, não cristalizaria a grande Lei do Eterno Trogo Autoegocrático Cósmico Comum. As criaturas faleceriam de fome. Esta grande lei processa-se de acordo com as leis do Santo Triamatzikano (o Santo Três) e do Sagrado Heptaparapharshinock (a Lei do Sete).

Observe como estas leis se processam: um princípio ativo, por exemplo, aproxima-se de um princípio passivo. Para ser mais claro, a vítima é tragada pelo princípio ativo. Esta é a lei, não é verdade? O princípio ativo seria, diríamos, o pólo positivo, o princípio passivo seria o negativo e um princípio que conciliasse a ambos seria a terceira força.

A primeira é o Santo Afirmar, a segunda, o Santo Negar e a terceira, o Santo Conciliar. Esta última concilia o afirmar com o negar e a vítima é devorada, claro que por quem lhe corresponde de acordo com a própria lei, entendido?

O tigre traga, por exemplo, ao humilde coelho. O tigre seria o Santo Afirmar, o coelho seria o Santo Negar e a força que concilia a ambos, o Santo Conciliar. Assim, se realiza a Lei do Eterno Trogo Autoegocrático Cósmico Comum. A águia seria o Santo Afirmar, o pobre pinto seria o Santo Negar. Ela o traga e a terceira força, o Santo Conciliar, concilia ambos como um todo único.

Que isso é cruel, sim, aparentemente… mas que vamos fazer? Esta é a lei dos mundos. Esta lei existiu, existe e existirá sempre! Lei é lei e a lei se cumpre por cima das opiniões, dos conceitos, dos costumes etc.

Temos de nos aprofundar mais neste assunto. De onde vem realmente esta Lei do Eterno Trogo Autoegocrático Cósmico Comum? Digo-lhes que vem do ativo Okidanok onipenetrante, onisciente, onimisericordioso… E de onde emana, por sua vez, este ativo Okidanok? Qual é a sua origem? Sua causa ou origem não é outra que o Sagrado Absoluto Solar. Logo, do Sagrado Sol Absoluto emana o Santo Okidanok.

Ainda que ele esteja dentro dos mundos, não fica envolvido por eles. Não pode ser aprisionado. Para a sua manifestação criadora, precisa desdobrar-se nas três forças conhecidas como positiva, negativa e neutra. Durante a manifestação, cada uma destas três forças trabalha independente e separadamente, mas sempre unida a sua origem que é o Santo Okidanok. Depois da manifestação, os três fatores ou três ingredientes, positivo, nagetivo e neutro, voltam de novo a fundirem-se, unirem-se, com o Santo Okidanok.

No fim do Mahavantara, o Santo Okidanok, íntegro, completo o total, se reabsorve no Sagrado Absoluto Solar. Vejam pois a origem do Lei do Eterno Trogo Autoegocrático Cósmico Comum. Partindo deste princípio, o vegetarianismo fica de fato sem base. Os fanáticos do vegetarianismo fizerem dele uma religião de cozinha, o que é lamentável.

Os grandes mestres tibetanos não são vegetarianos. Quem duvidar que leia o livro intitulado Bestas, Homens e Deuses, escrito por um explorador polaco. Ele esteve no Tibete, foi recebido pelos Mestres e constatou curiosamente que em tais banquetes e festins havia carne de touro, a qual se constituía no alimento básico. As minhas palavras parecerão absurdas aos fanáticos do vegetarianismo, mas alegrarão a Ossendowsky, o autor do livro citado, porque verá que eu compreendi este importante aspecto.

Absurdo afirmar que os grandes Mestres do Tibete, são vegetarianos. Quando o grande Iniciado Saint Germain, o príncipe Rakoczy, o grande Mestre da Loja Branca que dirige o Raio da Política Mundial, trabalhou durante a época de Luís XV, não se apresentou como vegetariano. Viram-no nos festins comendo de tudo. Alguns até comentam como saboreava a carne de frango. De onde saiu, portanto, essa coisa de vegetarianismo?

Indiscutivelmente, a escola vegetariana é contra o Lei do Eterno Trogo Autoegocrático Cósmico Comum.

Por outro lado, as proteínas animais de modo algum podem ser desprezadas. São indispensáveis para a alimentação. Eu fui um fanático vegetariano e em nome da verdade digo-lhes que fiquei desiludido com o sistema. Ainda me lembro quando quis tornar um pobre cachorro cem por cento vegetariano. Naquela época ainda morava na Sierra Nevada (Colômbia). O animal aprendeu e praticou o sistema vegetariano, mas quando aprendeu, morreu.

Pude observar os sintomas que aquela criatura apresentava antes de morrer. Mais tarde, já na República de El Salvador, senti os mesmos sintomas quando voltava para casa. Subindo por uma comprida rua que mais parecia ser vertical do que horizontal, já que era bastante inclinada, suava espantosamente. A debilidade aumentava horrivelmente. Acreditei que ia morrer. Não me restou outro remédio do que chamar a mestra Litelantes, minha esposa, e pedir-lhe que assasse um pedaço de carne de boi.

Ela o fez e eu comi a carne. Senti as energias voltarem ao corpo, senti que voltava a viver… Desde então me desiludi com o sistema.

Conheci aqui no México o diretor de uma escola vegetariana. Conheci-o no restaurante vegetariano, era um alemão… Seu corpo foi se debilitando espantosamente, terrivelmente, até apresentar os mesmos sintomas daquele cachorro do meu experimento. O infeliz senhor, por fim, terrivelmente debilitado, morreu.

Conheci também a Lavagnini, um iogue, astrólogo e não sei que mais. Era um fanático vegetariano insuportável. Representava a Universidade da Mesa Redonda aqui na capital do México. Seu organismo debilitou-se terrivelmente com o vegetarianismo, apresentou os sintomas do pobre cachorro do meu experimento e morreu.

Assim, pois, caros irmãos, saibam que a Lei do Eterno Trogo Autoegocrático Cósmico Comum existe e que é inútil tentar escapar desta Santa Lei. Ela emana do ativo Okidanok e não se pode alterá-la ou modificá-la. Não quero com isto dizer que devemos nos tornar exageradamente carnívoros, não.

Sejamos equilibrados. O dr. Krumm-Heller dizia que necessitamos comer uns 25% de carne aproximadamente entre os alimentos. Estou de acordo com o Mestre Huiracocha nesta cifra. Repito: por mais vegetarianos que nos tornemos, a Lei de cumprirá quando baixemos à sepultura. Os vermes comerão nosso corpo físico, gostemos ou não. Lei é lei, não é verdade?

As vacas são cem por cento vegetarianas e, sem dúvida, como já disse um grande Iniciado, jamais vimos uma vaca iniciada. Se com deixar de comer carne nós nos autorrealizássemos a fundo, asseguro-lhes que, ainda que morresse, deixaria de comer carne, aliás, todos deixariam de comer… Mas ninguém se torna mais perfeito porque deixou de comer carne.

Alguns dizem: como vou meter dentro do organismo elementos animais, se estou na senda da perfeição? Esses que dizem tais coisas ignoram a sua própria constituição interna. Melhor comer um pedaço de carne do que continuar com os agregados psíquicos animalescos que carregam em sua psique…

O organismo humano tem como base um corpo vital (ou Lingam Sarira) do qual os teósofos falam. Mas, além dele, o que existe nos organismos desses humanoides vivos e intelectuais? Os agregados animalescos, aqueles agregados psíquicos que personificam nossos erros, os bestiais monstros das nossas paixões. Pois bem, mais vale eliminar esses monstros do que se preocupar com o pedacinho de carne servido à hora da comida.

Quando comemos a carne de boi ou de galinha não nos prejudicamos de forma alguma, mas esses agregados bestiais que carregamos não somente nos prejudicam como ainda, e isto é que é o pior, prejudicam os nossos semelhantes. Por acaso é pouca coisa a ira? A cobiça? A luxúria? A inveja? O orgulho? A preguiça? A gula? Que diremos de todas estas feras que levamos dentro e que se manifestam sob a forma de calúnias, murmuração, intrigas etc.

Melhor que não lavemos tanto as mãos nos presumindo de santos… Chegou a hora de nos tornarmos mais compreensivos. Importa morrer em si mesmo, aqui e agora!

Além de larvas astrais, os átomos etéricos da carne de porco, por serem involutivos, tornam o corpo “pesado”

Não quero, tampouco, negar a seleção de alimentos. De modo algum eu aconselharia, por exemplo, a carne de porco. Já se sabe que este animal é leproso e que tem uma psique demasiado brutal, a qual prejudica o nosso organismo. Convém o alimento sadio: a carne de rês, de galinha, porém, jamais chegar ao exagero, porque os excessos são danosos e prejudiciais.

Cremos que o que foi dito até aqui a respeito do vegetarianismo já é o suficiente como orientação para se saber como alimentar o corpo.

Não se esqueçam principalmente de manter tudo dentro de um equilíbrio perfeito. Isto é tudo.
Samael Aun Weor, Sobre o Vegetarianismo

  • É Fogo!

    Um pouco de presunto, apenas um pouco. E lá estava, no mundo onírico, um bandido armado e eu sem munição!
    Alimento dado por alguém que disse que era carne de peru.
    Como dizia aquela piada do turco: “meu filhinha, não confia nem em “babai”!

  • Sandra Regina

    então… essa é a Lei do Livre Arbitrio… cada um encontra apoio e argumentos para fazer bom o que quer fazer… Há sábios para tudo, para dizer que sim e que não… Mas há um sábio interior… um Mestre que nos responde internamente… E, quantos as mortes dos vegetarianos, não conheço ninguem que ficou para semente… nem carnivoros e nem vegetarianos… Enfim, há um livro interno no qual está a Verdade, e os Mestres, não fazem nada alem de apontar para este Livro.
    No meu caso, se eu posso me alimentar da Vida viva deixo a Morte alimente o que ela vem para alimentar…

    Respeito e Carinho sempre! viajamos na mesma Astronave!

  • Samuel Martins

    E disse Deus: Eis que vos tenho dado toda a erva que dê semente, que está sobre a face de toda a terra; e toda a árvore, em que há fruto que dê semente, ser-vos-á para mantimento.
    Gênesis 1:29

  • Graziella

    Triste… Acho que o vegetarianismo poderia ser muito considerado na Gnosis, mas não o é. Hoje já é comprovado que uma alimentação vegetariana, se feita da maneira correta, é saudável… Mas também entendo que o Mestre Samael viveu décadas antes, quando esse assunto era tratado de forma bem diferente, e não entendo porque o Mestre Samael não cita os diversos povos orientais que não comem carne. Para mim, comer carne vai contra o princípio da não-violência.

    E sobre esse apego com os alimentos de origem animal na Gnosis, também me pergunto o porque dos mais espiritualizados não deixarem de comer açucar (há não se o das frutas), por exemplo, já que não é necessário para o nosso organismo. Ao comer um docinho uma vez ou outra, não se estaria alimentando um ego?

  • David

    Bem, essa deve ser uma das poucas coisas as quais discordo em relação a esse site. Acredito que uma humanidade ideal deveria ser vegetariana. E não estou me usando apenas de aspectos morais mas práticos e egoístas. A quem puder e tiver algum tipo de sensibilidade que viste um matadouro e perceba a energia negra que pode ser sentida lá. Ou ainda os espíritos perdidos que vivem na churrascaria. Comer carne é um vício e ao meu ver um crime grave contra os animais. Jamais eu veria o ato de matar um animal (como nos matadouros) como algo normal. Aliás, não consigo “seguir” um grande mestre que não seja vegetariano. Além de tudo isso, quando comemos carne, nosso campo áurico fica muito pesado e isso reflete em alguns sintomas como raiva. Isso ocorre porque o animal aterrorizado o momento em que está morrendo “contamina toda a carne com energia negativa”. Até alguns magos negros são vegetarianos para que suas práticas malignas não sejam prejudicadas pela energia densa da carne. De que adiantaria abandonar o ego e não ser sensível à grande desgraça atual que são os matadouros ?

    • Boa reflexões suas, David. Parabéns…

    • marcia

      Concordo completamente com você. Desconhecia essa lei e to chocada com os argumentos oferecidos.

  • João Filipe Pereira Duarte

    Caro irmão, estou a escrever esta resposta pois posso estar enganado mas há algumas partes do raciocinio que considero incompleto!
    Antes demais já se questionou se a sua alimentação estava a ser levada de forma diversificada, equilibrada e construtiva!’ Já pensou que existem milhões de vegetarianos que além de não sofrerem falta de nutrientes, têm um organismo ainda mais saúdavel do que quem o faz!? E já pensou alguma vez porque entre milhões de seres vivos, o ser humano é o único a quem Deus, seja ele qual for, decidiu dar a mente e a inteligência evoluida que temos!?
    Eu penso que você fez um mau regime vegetariano e que os problemas surgiram exactamente por a sua psique não estar convencida que estava no caminho certo e esses agregados animalescos (como o nome refere), da sua psique, o levaram a desistir, pois o lado animalesco e portanto obrigatoriamente instintivo, dominou o seu corpo e espirito.
    Já por isso é que o vegetarianismo é visto como uma evolução espiritual, pois não é so mudar a alimentação mas mudar também a alma.
    Quanto ao seu cão, isso sim foi animalesco, pois ele não tem de mudar a sua Natureza, e assim o seu comportamento foi errado pois não estava a respeitar a sua natureza mas sim a altera-la em prol dos seus desejos. O que também não demonstra respeito pelos outros seres.
    Conheço várias pessoas que desistiram e se convencem que foi porque o corpo não sobrevive e por outras razões que a mente trata de arranjar… mas honestamente acho que é como em tudo uma forma de fugir á responsabilidade de amor e compaixão que como seres evoluidos deveriamos ter por todos o seres que nos rodeiam.
    Por outro lado quando for para a terra pouco me importa que os bichos me comam pois alem de estar morto, faço-o como um acto de compaixão. Não é a toa que a compaixão e dos parametros espirituais mais dificeis de alcançar.
    Tenho 5 anos de vegetarianismo, não sinto falta de força e as minhas análises sanguineas tenhem vindo a melhorar desde então. Estranho!!!!
    Se você também se interessar por fisiologia e anatomia, pode constactar que o seu organismo e vegetariano e não carnivoro. Os Budistas não são vegetarianos, mas os Hindus que nasceram muito antes são desde sempre, que e uma das primordias religiões!
    Concluo assim que você, caro amigo, trocou uma teoria e crença, por outra mais comoda e agradavel, para que os impulsos animalescos da sua psique fiquem controlados, achando que a tal lei do não sei o quê o protege… Mas tenho-lhe a dizer… Espete uma faca na garganta de um animal e olhe-o nos olhos até á última gota de sangue deixar de escorrer (como eu já fiz), e depois descreva-me o evento!
    Já agora os animais carnivoros não cozinham a carne, portanto se se considera carnivore experimente comer um pedaço de carne morna de um animal que acabou de matar!
    Boa sorte com o seu caminho e espero que um dia compreenda que um dia desistiu do caminho mais nobre que poderia ter traçado… o da compaixão!!!
    Um abraço cósmico.

    • Cada um é livre para escolher o que bota na boca e na barriga. O eixo central de nossa vida iniciática não é, nem deve ser, este, a comida, embora seja algo importante.
      O que se deve ter como o mais importante é o crescimento de nosso SER DIVINO.
      Quando nos conectarmos com ELE, nosso Bem-Amado Pai Interno, aí sim, ELE E SOMENTE ELE NOS DITARÁ ORDENS SOBRE O QUE COMEREMOS…

  • maurício duran

    respeitosamente; alguem tem conhecimento da realidade do matadouro moderno, do tratamento dado a vacas, bezerros, galinhas e porcos, esfolados vivos, esquartejado, escaldadoss ainda com os olhos abertos?onde há “paz” nisto?

  • Gostei muito do comentário de Milton Medeiros. Que Deus te conserve assim. Ademais, não podemos esquecer do elefante e do cavalo.

  • Benildo Souza

    Pra mim comer carne, é um vício difícil de ser abandonado! É um defeito psicológico! Proteína pode ser encontrado em outras fontes! Por que colaborar com assassinato de animais, comendo carne??

    • Nousvate

      Meu caro, nao e mal comer carne o mal e ser viciado

  • MsReiki

    Bem, resumindo, eu posso ser vegetariano sem problemas certo? Um colega meu disse que tinha um texto que falava que a carne vermelha tinha elementos astrais do fogo indispensável a transmutação sexual, procede isso em algum texto gnóstico? Devido a não saber como os animais formam mortos e tal, eu pretendo ser vegetariano, pois ainda não sou ^^

  • Roger

    Todos os grandes mestres foram vegetarianos: Krishna, Buda, Pitágoras, Plotino, muitos grandes filósofos, grandes yogues, muitos homens ditos Santos pela Igreja e os fundadores principais da teosofia. Os essênios foram vegetarianos, assim como João Batista. Logo Jesus, que foi educado pelos essênios, deve ter sido vegetariano também, se usarmos a lógica. Segundo os yogues a carne dificulta a evolução espiritual por obstruir as nadis e canais com elementos astrais impuros, dificultando a ascensão da kundalini. Estou me referindo apenas a questão “espiritual” pois se fôssemos citar as questões ambientais, econômicas e éticas implicadas criação e abate de várias espécie e o extermínio de ecossistemas para cultivo de pasto e de soja para alimentação dos animais para abate, o texto seria bastante longo. Sem dúvida o vegetarianismo irá se tornar cada vez mais importante na nova era, seja na questão espiritual, ética ou ecológica.

  • Felipe

    O Corpo de Doutrina é a Carne do Cristo, e afirmam os Mestres que quem “veste” ou melhor, faz Carne e Sangue da Doutrina, se converte Nele, em Cristo.
    Esse Corpo de Doutrina, é o próprio Caminho que não existe, porém cujas pegadas invisíveis são deixadas pelos grandes Mestres que seguem em busca de sua Via Crúcis. O Corpo de Doutrina é um Todo Organizado, como o nome já diz, “Corpo”, e se diz conter toda a Ciência Cósmica Fundamental, e por isso se trata de um grande quebra cabeça, que cada um deve montar enquanto percorre seu Caminho Invisível.
    Por isso sempre foi e será absurdo tomar “um dedo ou perna”, ou seja, um fragmento de ensinamento que foi usado em um Momento do Tempo e do Espaço, e segui-lo cegamente, e o pior, querer dar aos outros boca à baixo.

    Sobre o consumo de Carne. Destaco o comentário do Vinicius Britto Moraes, pois temos aqui uma realidade atual. Até os dias de hoje a Síntese deixada pelo VM Samael não foi modificada por nenhum Mestre. VM Lakhsmi, considerado um Grande exemplo de fidelidade e experimentação do que foi deixado pelo M Samael, ainda afirma que Ser Humano nenhum que tenha caído, que tenha perdido seus Corpos Solares, os recria sem o tal do “Ignis” da carne bovina.
    Porém, monte as outras peças do Corpo Doutrinal e verá que com muita lucidez o mesmo Mestres e médico no mostra que nenhum homem e mulher é CASTO, enquanto possua enfermidades que causam perda involuntária de ENERGIA SEXUAL, como corrimentos vaginais, espermatorreia, poluções noturnas,etc. E tampouco cria Corpos Solares nessas condições, que raríssimos hoje não às tem, e um grande motivo é o estado terrível dos derivados de animais, e da quantidade do consumo. Percebemos o quanto é triste ver irmãos que porque comem sua “taxa alquimica” de carne bovina, mecanicamente, e ainda de “brinde” incluem em sua dieta quantidades terríveis de produtos artificiais, químicos, suínos ocultos na industrialização, gorduras trans, etc. Com seu corpo intoxicado e portador de doenças que não permitem a Castidade Científica, e portanto a criação dos Corpos Internos, burlando de irmãos que buscam sinceramente seu Caminho, e que cuidam muito melhor de sua Obra dessa forma.

    Percebendo o quão amplo, misteriosos e complexo é esse nosso Corpo Doutrinal, que em Síntese são 3 Fatores, porém em Detalhes são 33 Câmaras, que cada qual recebe de seu Real Ser. Vemos o grande pecado que é reprimir irmãos que buscam seu Caminho Secreto, através de crenças e comodismos de quem tem medo de se lanças a Auto-Gnosis.

    Agradeço a oportunidade de participação. Luz à TODOS!

  • Milton Medeiros

    Caríssimo com respeitos pelo dedicado e eu não, entretanto cada qual no seu cada qual, todavia, de médico arquiteto e louco todos temos um pouco, dai me atrevi praticar rsrs, sobretudo, porque neste mundo de sete/ponto cinco bi de almas; Quem; o que é ser São? E, tendo lido vossos pensamentos lembrei que o Touro; marido rsrs da referida… NÃO come carne, entretanto, NÃO MORRE ESPANTOSA DEBILITADO COM ELE, NÃO PONHO AS “CARAS” rsrs Então????

    • Nousvate

      Meu caro seu comentario e vazio e sem proposito isso e falta de conhecimento profundo

    • Estou impressionada com o uso de quem fundou a Fraternidade Rosacruziana Antigua defender a prática do não vegetarianismo. Ademais, pelo Lei do Amor ao próximo isto é inadimissível. Desde 1976 que não como carne e até hoje nada foi abalado na minha saúde. Sua linha de raciocínio é nula para quem quer evoluir espiritualmente. Tenho 62 anos e nada me fará mudar os meus hábitos alimentares.
      “Amar a Deus sobre todas as coisas e ao seu próximo como a ti mesmo.” – Jesus, O Amor em Si
      “O próximo é todos ser vivente.” – Mahatma Gandhi

      • Lucas Muniz

        Maria, suas afirmações carregam demasiada repulsa.
        Isso é produto do Ego, logo suas afirmações são as que se tornam nulas, não se pode refutar as afirmações de um Mestre iniciado jamais, é muita prepotência sua achar que apenas porque viveu todo esse tempo sem consumir a proteína animal, crer mesmo não estar debilitando seu corpo, que já nasceu débil? O tempo de Malkut não existe, é uma grande ilusão. Ê em verdade lhe digo irmã, se não tens a ‘mente’ aberta para novas opiniões, e as refutarem sem mesmo obter sua própria comprovação, está a caminho de se tornar uma completa tola.

        • Leandro

          Má vontade. Tem apenas um nome. Se houvesse boa vontade em seus atos, buscaria justamente o contrário. Viveria sem matar os animais. Sem causar esse inferno em vida que é a escravidão animal pensando estar fazendo a coisa certa. Pensando ser uma pessoa espiritualizada e bonita. Consumir animais sabendo de toda a dor que está causando e sabendo que pode abster-se desse sofrimento insano é um ato covarde. Mais covarde ainda é chamar o outro de tolo. O vegetarianismo felizmente já está comprovado não apenas pela prática de seus adeptos mas pelas próprias organizações mundiais de saúde, como ADA, FAO, OMS, ONU, entre outros.

          • Leandro, em outros planetas, mesmo sendo habitados por seres altamente espiritualizados (como em Vênus, onde todos estão cristificados), come-se proteína animal, neste caso, peixes com frutas.

          • Lucas Muniz

            Meu caro irmão Leandro, já começo este pequeno trecho humildemente me desculpando, caso algo que eu tenha direcionado à irmã acima tenha lhe ofendido. Em verdade digo a tí meu irmão, jamais chamei a irmã de tola. Todo o pequeno trecho que escrevi acima se faz válido à você. Irmão nomes de organizações de nada tem valor, o importante é a conclusão que você virá à ter se fizeres um pequeno experimento por si mesmo, e disso tirar suas próprias conclusões. Você não vai estar “Causando um inferno” se matares os animais para consumo próprio, pelo contrário, se consumido logo, você poderá absorver o restante de energia do animal em questão, e se é que já esteve em contato com a bíblia, sabes porém que o nosso Elohim criou os animais para o nosso dispor. Sim irmão, antes havia em uma obra intitulada “Fundamentos da Gnose” pelo V.M. Samael Aun Weor que ao consumirmos carne, absorvíamos os ácidos dos animais em questão, pedindo então para que nós não consumíssemos a proteína animal, tanto que fiquei neste quadro por vários meses, com os mesmos sintomas do Venerável Mestre Samael. No entanto não podemos nos privar da proteína animal, como dito no artigo acima. E para que compreendas isso irmão, deves meditar sobre e praticar. Paz reverencial!

  • Matheus

    Por um lado entendo que um é tudo e tudo é um, então não faz diferença do que se come, por outro lado não acho justo a forma que tratam os animas em granjas, matadouros, etc. é uma coisa que nem animais merecem… Lembrando que não quero ir contra nenhum mestre isso é o pilar da ciência, investigação e estudo sobre algo.

    (Genesis 1: 29,30,31
    E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra.
    E disse Deus: EIS QUE VOS TENHO DADO TODAA ERVA QUE DÊ SEMENTE, QUE ESTÁ SOBRE A FACE DE TODA A TERRA; E TODA A ÁRVORE, EM QUE A FRUTO QUE DÊ SEMENTE “SER-VOS Á PARA MANTIMENTO”.
    E a todo o animal da terra, e a toda a ave dos céus, e a todo o réptil da terra, em que há alma vivente, TODA A ERVA VERDE SERA PARA MANTIMENTO E ASSIM SE FOI”.
    Gênesis 1:28-30)

    • Raquel

      Certa vez li um comentário, de um presidente de uma certa granja de aves, ele dizia que na granja deles todos os anos fazem um Ritual Sufrágio em prol dos espiritos das aves abatidas, para eles entenderem que não foram sacrificados por prazer, ganancia, divertimento ou esporte, mas devido aos principios naturais da cadeia alimentar, para se transformarem em alimento para o homem, que, segundo ele tem uma missão sagrada na terra.
      Achei bem interessante.

  • RICARDO

    Não esperava esta explanação involutiva neste espaço , sangue é sangue , evolução é entender a dor na carne , esta dor pode ser no seu filho , no animalzinho de estimação , no animal do pasto , não quero provocar esta dor , também não quero julgar ninguém , mas mentira não , ninguém morre subnutrido ao não comer carne , muito pelo contrario , a variedade de alimentos disponível é muito melhor aproveitada por quem não come carniça.

    • Cientistas afirmam: O status nutricional resultante da dieta vegetariana restrita (sem nenhum tipo de carne) pode afetar a função neuronal e a plasticidade sináptica, o que pode influenciar em processos cerebrais relevantes para a manutenção de doenças mentais. Estudos tem reportado que os vegetarianos restritos apresentam menores concentrações nos tecidos de ômega-3 e vitamina B12 o que pode aumentar o risco para a depressão.

  • Luiz

    Com todo respeito que tenho ao gnosticismo e a Samael, cujos escritos são luz de muita difusa e profusa iluminação:
    – tornei-me ovolactovegetariano porque não gosto mais de carne;
    – não vejo mais sentido em ingerir proteína de carne animal se o ser humano já conseguiu sintetizar outros fontes protéicas;
    – é ignorância pura acreditar que o homem precisará, sempre, comer carne animal para sobreviver;
    – obviamente que ser vegetariano e qualquer variação sem a proteína da carne dá muuuuuito mais trabalho que se fartar nas churrascarias e açougues de esquina.
    Mas, concordo com Samael quando diz que cada um deve construir a sua ponte sobre os alicerces que julgar mais apropriados em sua jornada em direção à Fonte.
    Até porquê, se eu for me basear por metade das coisas que se diz por aí, nunca mais sairei do inferno. Paz e Luz!

  • Jordão de Barros Sousa

    E comer inseto é considerado antivegetarianismo, já que insetos também são biologicamente considerados animais?
    Trbalho com dedetização. Tiro daí o meu sustento, o que vocêsdizem sobre isso. Agradeço todos os comentários de antemão.

  • Radames sousa

    Sinceramente acho essa questão pessoal e irrelevante, na verdade existem sim muitos mestres iluminados que trilharam a senda da perfeição e que são absolutamente vegetarianos, mestres tibetanos alias, sugiro que leiam o livro de um metre iluminado, contemporaneo nosso, chama-se Del Pe(livro: Os Perigos Ocultos da Meditação e da Ioga)…ele treinou com 4 sabios iluminados do Himalaya, sendo um deles um imortal com mais de 400 anos. No livro voce encontra orientaçoes sobre a importancia do vegetarianismo quando se manipula energias, principalmente a luz Divina. Fala inclusive de outros centros energeticos ocultos do qual Samael nunca comentou…mas se quiserem comer carne, podem comer, o problema e que a energia de carnes vermelhas, em especial, podem causar algumas obstruçoes e atrapalha na contruçao do anthakarana(OBS: nao se trata do cordão de prata aqui, mas da ponte de conexão entre a personalidade e a alma e da alma para a monada) devido o contraste entre a frequencia da luz platina e a energia da carne…

  • Carlso

    Olá. Também fiquei intrigado com o texto. Conheço inúmeros vegetarianos que não tem o perfil de fracos. Pelo contrário. Muito mais saúde e energia que carnívoros. Há relatos de muitos iniciados e mestres indianos vegetarianos. Pode ser uma questão cultural e local isto, não acho que seja determinante para a auto-realização. Agora comer 25% de carne nas refeições me parece exagero, com todo respeito ao V.M. Samael e V.M. Krumm Heller. Sou estudante assíduo de suas doutrinas. Sabe-se atualmente com a ciência naturalista que não deve-se misturar a carne com cereais, tubérculos e outros mais, pois é prejudicial, e ocasiona várias fermentações e putrefações intestinais. Acredito que cada organismo é diferente e deve escolher seu caminho sem fanatismos e falsas crenças, mas sim na prática, com experimentações pessoais. Muito Grato pela oportunidade.

  • Márcia

    Eu como carne de frango.

  • Márcia

    Tem uma passagem na Biblia Sagrada (não lembro agora qual)
    que quando Jesus Cristo expulsou demonios,estes entraram em porcos e esses animais correram e cairam em abismos.Acho que e mais ou menos isso…

  • mario mendonça fernandes

    Gosto de comer carnes que é o elemento fogo.Gosto de beber agua e comer peixes que é o elemento agua.Gosto de comer frutas que é o elemento ar.Gosto de comer arroz,feijão e cereais,raizes que é o elemento terra.Não se esqueçam que nós nos alimentamos com as coisas que nós vemos e ouvimos muito cuidado com estes 2 alimentos.

  • Alexandre

    Ola, e essas galinhas criadas em aviarios que se vendem nos mercados, elas podem ser ingeridas ou seria melhor criar as proprias galinhas e mata-las…?! Carne de boi eu não consiguiria mais comer por causa da forma como são mortos…

  • Paz inverencial….
    Com todo respeito ao maravilhoso labor de expandir a Gnosis universal Samaeliana a todos os recantos do mundo atravéz da internet, Peço aos idealizadores do site que respondem como Gnosisonline que se atentem ao “sagrado livre arbitrio” de cada individuo.
    Meus caros, uma pessoa pode chegar a fazer a vontade do pai interno, chegar a auto-realização intima comendo o que quiser…
    Sendo ou não vegetariano, isso pouco importa, pois cada um de nós pertence a um raio cósmico individual, particular, e dentro deste Raio temos um elemento que nos rege; dentro dos 5 elementos da natureza que são fogo, terra, água, ar e éter
    Sendo assim, cada um tem seu biorritmo de acordo com sua natureza.
    Certa vez perguntaram à grande Yoguine mártir do século 19 Helena Petrovna Blavatsky se uma pessoa que tivesse o “vício de fumar” e trabalhasse sobre si mesmo, sobre seu ego, o descobrisse e o eliminasse, se esta chegaria à autorrealização íntima do Ser. E ao contrário, se uma pessoa que não tem vício algum e não trabalhasse sobre si mesma, esta jamais faria a “vontade do pai”.
    Meus estimados Irmãos de todas as religiões, escolas, ordens e seitas… Faz-se a vontade do Pai cumprindo o decálago ou dez mandamentos da lei de Deus entregues a moisés e à humanidade.
    Se o cumprires da melhor forma possível, dentro do seu entendimento estarás fazendo a sua parte… e cumprindo as leis de Deus… chegando até o pai.
    Não percam seu tempo em discuções e teorias que destroem os intelectos e de nada servem.. estudem a verdadeira “GNOSIS” PRATIQUEM-A,VIVÊNCIE-A;Saiba mais a respeito dos três fatores de revolução da conciência.. Independente da instituição estude Gnose. Gnosis.
    Vopus, Ageac, Ageacac, Iga, Cea, Iceg, Movimento Gnóstico Nova ordem, Movimento Gnóstico na antiga Ordem, Instituto Gnóstico Rafael, Instituto Gnóstico Quetzcolt, Instituto Gnóstico Stella Maris, etc.etc.
    Atenciosamente, Um Missionário Gnóstico do rio grande do sul.

    • carlos joessemam santos

      Caro amigo releia o texto,e verá que o que foi dito é exatamente isto.Não distorça os fatos,livre-se do ego.

    • mario mendonça fernandes

      Muito bom estou de acordo com tuas palavras Dagomar.Vejo que não é critica mas sim uma contribuição.

  • Leandro

    Este é um tema que me leva a descredibilizar a gnose e outras religiões. Nenhuma religião que desconsidera a condição dos animais e a libertação destas paixões de comer animais, tem crédito comigo.

    No entanto, sei que mesmo que estas religiões tenham sido modificadas e deturpadas, tiveram em seu início a boa intenção, que foi a intenção de seus mestres, que acabou mutilada por profanos e perversos no decorrer da nossa história.

    Jesus Cristo era um vegetariano, e o milagre da multiplicação dos peixes foi um embuste. Estudiosos consideram algumas hipóteses, como o nome de uma alga, que acabou, após traduções de uma língua pra outra, terminando como peixe. Ou ainda, que foi propositalmente colocado na bíblia porque era intenção divulgar o Cristianismo a certo povo judeu que não receberia bem a idéia de deixar de comer animais.

    No entanto, sabemos que ainda restou alguma da boa intenção, e a maior delas está no Gênesis, onde se trata da dieta planejada pelo Criador, que consistia de folhas, frutos e sementes, e isto era para todos os animais. Em Isaías, consta o retorno ao estado de graça, onde os seres viverão em harmonia, e a dieta pura será retomada até pelos animais que hoje são carnívoros.

    Jesus sempre falou sobre amor aos animais, e abominou os sacrifícios dos mesmos, que tinham por trás a suposta intenção de oferecer aos Deuses, mas que, na verdade, terminavam como comida pra saciar às paixões.

    Deturparam os ensinamentos dos grandes mestres, e por isso temos muitas religiões tão inúteis.

    Budistas que comem carne, por exemplo, comem carne de animais mortos por causas naturais ou acidentes. Mas estou certo de que o grande Buda não ensinou tal prática, sendo mais um embuste. E, se tiver ensinado, foi para situações de emergência, como a tal “benção” para comer certos animais, citada na bíblia, numa situação de extrema necessidade.

    No tibet, um grande alimento é a tsampa, espécie de mingau feito com a cevada moída, que é capaz de manter monges e eremitas nutridos para continuar suas jornadas. Sendo que a carne é uma luxúria reservada às classes abastadas e nefastas, sendo comumente provenientes de sacrifícios de animais.

    Aliás, a pecuária, tão cruel para os animais, saúde e meio ambiente, é uma grande e nefasta sacrificadora de animais, espalhando as trevas sobre o mundo.

    Outra grande prova de que a dieta vegetariana é ideal, é que os pesados corpos e fluidos animais são considerados por vários mestres como barreiras para viagens astrais.

    Temos grandes atletas vegetarianos puros, que, inclusive, são muito bem sucedidos em provas de ultramaratonas, que são maratonas de centenas de km.

    A necessidade da dieta com base em animais é formada pela fé, e quem nunca esteve certo sobre seguir a dieta vegetariana, obviamente vai ter problemas, pelo condicionamento de sua própria mente. E vai, então, retornar à dieta perversa, como um pseudo-sábio, difamando àqueles que conseguiram tal sacrifício pessoal, que é aderir à dieta planejada pelo Criador.

    Os animais tem seus propósitos de existirem, que não é para nosso bel prazer. Nossa evolução não deve ser espelhada no conformismo de uma situação de destruição recíproca, que existe apenas nos mundos inferiores, pois estou certo de que tal cenário citado não existe em mundos iluminados, ao contrário do que se deu a entender.

    Nossa evolução deve focar na eliminação das paixões, do ego e etc. Estou certo de que existem muitos pseudo-mestres comedores de carne, como bem alertou Jesus que tais “mestres” viveriam entre nós.

    • Jesus vegetariano? Buda vegetariano? O dalai-lama vegetariano? Embustes?
      Sugiro que estude seriamente este tema, para que defenda sua postura melhor, e não jogue mentiras ao vento, amigo.

      • carlos joessemam santos

        Oque torna o homem pecador é o abuso as coisas da natureza,não a necessária busca pelos alimentos indispensável a sobrevivência.É discutivel a idéia budista de que evoluimos dos animais.A espécie homem não é animal,mineral ou vegetal,apenas utiliza um invólucro de matéria grosseira onde jas em armonia estes elementos.Animal é animal,dotado de alma,mas espirito somente o homem.

        • Roger

          Buda foi vegetariano sem dúvida. Jesus provavelmente pois teve contato com essênios e possivelmente foi educado pelos mesmos segundo muitos estudiosos. Dalai Lama, cuja função é essencialmente política ao invés de espiritual, não é vegetariano.

      • Vinicius Britto Moraes

        Irmão, não sou a pessoa que proferiu as palavras anteriores, mas assevero convictamente que estas quatro perguntas elencadas acima, em tuas palavras, não são meras mentiras atiradas ao vento. Por Favor, peço que procure por esses escritos que existem em abundância nos evangelhos apócrifos, e sobre os escritos Essênios e Nazarenos. Não te peço para acreditar nessas palavras, mas que estude estes escritos e que infiras teu sentir disso. Não creio que tu objetes contra o fato de Siddhartha Gautama nos ensinar a alimentação não-cárnea, pois a estrutura do Budismo se dá nessa compreensão, inclusive o Hinduísmo. Acho que não é relevante falar aqui de Dalai-Lama, que em muitas entrevistas e livros relatou sobre o quão desnecessário e atroz é essa prática: “Não vejo razão para que os animais devam ser abatidos para servir como dieta humana quando existem tantos substitutos. Afinal, o homem pode viver sem carne.”
        Sua Santidade Dalai Lama
        novamente não peço para que acredite em minhas meras palavras, mas que investigue, logre a veracidade dos fatos por si mesmo. Sobre Gautama no Mahâparinibbâna-Sutta, texto canônico em páli, há um trecho altamente controverso que já foi interpretado como um sinal de que o Buda não era vegetariano. Segundo esse Sutta (4.20), que faz parte do Dîgha-Nikâya, o Buda, pelo menos em uma ocasião, comeu sûkara-maddava – uma palavra em páli que significa algo como “delícia de porco” – no pomar de mangueiras do ferreiro Cunda. As antigas autoridades budistas entendem que o termo se refere a carne de porco; outros dizem que significa uma planta apreciada pelos porcos (isto é, trufas); outros ainda o interpretam como um tipo de cogumelo. O que quer que seja o sûkara-maddava, foi ele o fator físico que desencadeou a morte do Buda. Curiosamente, antes de comer, diz-se que o Buda pediu a Cunda que servisse o sûkara-maddava somente a ele, oferecendo outros alimentos aos membros de sua comunidade. Depois da refeição, pediu a Cunda que enterrasse o que restava do sûkara-maddava, pois somente um tathâgata (isto é, o próprio Buda) poderia digeri-lo. Ou seja, o Buda considerava essa substância problemática desde o início. Com efeito, caiu doente de imediato, sofrendo dores violentas e vomitando sangue, sintomas de disenteria. Entretanto, em virtude do extraordinário controle que tinha sobre o corpo, o Buda ainda conseguiu ir até Kusinara, onde deu mais instruções e formalmente isentou Cunda de toda culpa pelo acontecido; na manhã seguinte, separou-se do corpo. O V.M. Samael Aun Weor, nos inspira antes de mais nada a vivermos a ciência gnóstica, o esoterismo prático, pois a ciência de viver os ensinamentos é anterior a tudo. Samael nos convida a refletir, a questionar e experimentar, assim como o próprio fez. A primazia gnóstica é a prática, gnosis não é um credo vazio, uma doutrina fundamentalista e dogmática que condiciona a uma fé cega e fanática. Este é o tema principal aclamado pelos mestres, o V.M. Lakhsmi Daimon tanto reverberou seu verbo, sacudindo a consciência do povo gnóstico que em grande parte está soterrado no conformismo da credo cego e carente de experimentação prática. Todos os mestres tanto nos dizem que é um absurdo um estudante gnóstico de longa data não desdobrar em astral, isso é uma blasfêmia, uma prova de que muita crença intelectual e muita ciência prática ou nenhuma, acarretam por fazer destes estudantes meros crentes que se enganam estar auto-realizando-se. Quem participa das convivências e enfrenta os novos desafios colocados pelos mestres compreende isso. o Mestre Aron na última convivência que se fez presente, lançou seu Verbo com tremenda tônica sobre exatamente este problema: a indústria da carne. discorreu enfaticamente sobre a situação de produção de carne no mundo, sobre os animais objetos de manipulação genética, aves e bovinos geneticamente modificados, que recebem diariamente injeções de anabolizantes, antibióticos, vacinas e hormônios de crescimento catalizadores de postura de ovos e reprodução. falou que em seu país(colombia)meninas de 5 anos já iniciam o ciclo já menstruam, vítima da enorme quantidade de hormônios, presentes nos corpos dos animais industrializados. não deixou também de comentar sobre os a maneira brutal que e desrespeitosa que estes seres são aniquilados, que a medríase e adrenalina contida em seus corpos devida e extrema tensão e sofrimento ocorrida no processo de abate(que os bois são sangrados vivos para seu próprio coração bombear todo seu sangue para fora, afim de não proliferar bactérias, e por fim o animal é esfolado vivo pelo mesmo motivo) nos abatedouros de produção em massa de nosso sistema. Quem esteve presente nesta convivência no monastério Mória não irá objetar essas afirmações mencionadas pelo Mestre Aron, que por fim disse que “é preferível mil vezes ser vegetariano que que colocar pra dentro o corpo destes pobres animais nestas contas condições deploráveis”, ele não prega o vegetarianismo, mas fala que existe maneiras mais humanas de conseguir a porção mínima de carne necessária, como os animais crioulos criados livres( por pessoas que os tratam com respeito e dignidade), com alimentação orgânica, onde completam seu ciclo de vida que lhes é seu por direito. Irmão, eu não consumo animais á 6 anos, e minha experiência vivida nestes anos, foi uma incrível qualidade de vida que nunca tive, vigor, saúde e vitalidade; faz 4 anos que não ingiro nenhum fármaco e nem fico doente, não me falta força para realizar minha obra e minha vida alquímica; desde que parei com essa alimentação, senti uma leveza anímica muito grande, e grande facilidade para realizar as prática, meu corpo com o tempo foi ficando mais leve, e por ser cada vez mais fácil chegar ao relaxamento necessário para meditar, não obstante as prática de desdobramento também se tornaram mais possíveis, deveria eu abrir mão de todos esses bens por não irem de acordo com a “doutrina” (que na verdade, como foi comentado, não ijmpões tais imperativos) . Nem por um momento pretendo através deste testemunho, converter o irmão a alguma conduta alimentar específica, mas tão somente relatar o quão triste é para minha pessoa, ver tantos irmãos reprimirem seus próprios sentidos corporais, anímicos e até mesmo sua própria consciência interna, o cristo íntimo, por suas posturas não “irem de acordo com a doutrina”, conheci irmãos que não se alimentavam com carne há 6 , 8 e até mesmo dez anos. lutar contra seus próprios seres, e nesta luta tentar consumir carne, e a saúda e equidade física-espiritual que gozavam antes se perder com crises de dor abdominal congestão e vômito. conheço também inúmeros que não consomem carne a inúmeros anos outros poucos anos, e que estão edificando sua obra plenamente, com força e ubicação, assim também como conheci outros que após anos de dieta não-cárnica, sentiram profundas necessidades de consumi-la, e desde que procuraram carne orgânica e crioula e a consumiram, se sentiram melhor.
        Torno a dizer, que não intento por meio dessas palavras proferir imperativos de conversão a alguma conduta alimentar, mas tão somente dizer respeitosamente, que o caminho da luz aponta para a ciência prática, para a experiência íntima que cada ser realiza a sua de forma autônoma e jamais heterônoma, e que uma Lei Maior lavra uma lei menor, e sinto ser a ciência esotérica prática a primazia de toda nossa existência, início e fim de todas escopos erigidos pelos mestres e pela cultura gnóstica, tal como dizia V.M. lakhsmi.

        Que a luz sagrada do cosmos nos ilumine e elucide nossos caminhos. Paz Inverencial, FIAT LUX.

  • Eduardo Reis

    Eu tenho visto alguns videos na internet em que mostra animais sendo torturados e mortos de forma cruel em matadouros,eu não sei todos os matadouros são dessa forma ou se querem pegar a exceção como regra para converter todo mundo,mas na duvida e como eu não sei de onde vem a carne que eu como resolvi que vou virar vegetariano,e se isso realmente ocorre nos matadouros acretido que o medo a dor e o sofrimento desses animais formem larvas astrais que podem ser prejudiciais a quem come,mas eu tenho algumas dúvidas:Se eu virar vegetariano isso pode atrapalhar as minhas praticas ou impedir que eu desperte?em algum lugar nesse site citaram que a carne é o 4 elemento mas não achei nenhum texto sobre isso,pode me passar algum link ou nome para que encontre mais informações?eu pretendo criar minhas próprias galinhas e me alimentar dos ovos delas que tem grande quantidade de proteína animal, os ovos podem substituir a carne?

    • Eduardo Reis

      já achei as respostas só ainda não achei sobre o 4 elemento

      • Leandro

        Talvez no passado, devido à escasses de vegetais, ocorrida provavelmente na era glacial, havia necessidade de comer animais. Hoje não existe tal necessidade, e ainda provoca-se um desperdício de recursos, já que para produzir carne, leite, ovos e etc, gasta-se toneladas de água e vegetais que poderiam alimentar diretamente humanos. Isso sem falar nos outros problemas que a pecuária causa.

        Creio que os antigos “mestres” que citam a não necessidade de abandonar a carne não tinham a menor idéia do ponto a que isso chegaria para o planeta.

        Deixar a carne pode atrapalhar seu despertar? Hã? Muito pelo contrário, meu amigo, o verdadeiro despertar vem após se livrar das paixões, e uma delas é deixar de alimentar seu corpo com crueldade e sofrimento, e com alimentos pesado como a carne e fluidos de animais.

        Criar seus próprios animais vai apenas fazer brotar em seu coração a compaixão ao perceber o que está causando, isso se você for alguém abençoado. Caso contrário, poderá ficar admirado ao comprovar sua própria frieza.

        A gnose pode, se quiser, se atualizar quanto ao tema e rever os ensinamentos, pois o sábio pode mudar de opinião, mas o ignorante não.

        • Concordamos com você, caro Leandro, o que importa não é comer ou deixar de comer carne, isso é de foro íntimo.
          O que importa, essencialmente, é a ELIMINAÇÃO DE NOSSOS DEFEITOS PSICOLÓGICOS.

  • andre salomao

    oi, estou com problemas espirituais, gostaria de saber se os animais involutivos por sua condiçao podem absorver nossa energia negativa como larvas astras , pois na biblia cita que jesus ao expulsar demonios de uma certa pessoa eles se dirigirar aos porcos , gostaria de saber se é possivel eu fazer um anima involutivo absorver minhas energias negativas … abraço

    • André, a lógica não é esta. A Gnose preconiza uma REVOLUÇÃO INTERIOR, ESPIRITUAL.

      Quanto mais você realiza as práticas ensinadas pela Gnose, sinteticamente chamadas de 3 FATORES DE REVOLUÇÃO DA CONSCIÊNCIA, sua vida se transmutará radicalmente, absolutamente.

      Sugiro que estude sobre o que sejam os 3 Fatores no GnosisOnline e em outros sites gnósticos. Vale a pena!!!

  • Carlos L de Souza

    Na minha opinião, comer carne, é satisfazer um simples prazer do paladar!Além de colaborar, para o assassinato de animais! já que a proteína que tem na carne, pode ser encontrada em outros alimentos, de origem vegetais!

    • Mayra

      … mas é o que você disse, essa é a SUA opinião.
      Não se trata de proteínas, pois estas você mesmo disse que podem ser encontradas em outros alimentos, mas trata-se de certa matéria etérica que pode apenas ser encontrada na carne, matéria sem a qual não se poderia despertar o fogo.
      Se acredita ou não, fica a seu critério. Da mesma forma que deve-se respeitar a SUA opinião, deve-se respeitar QUALQUER opinião.

  • Benildo A de Souza

    sou vegetariano, e não me sinto debilitado! me sinto até melhor! Há vegetarianos saudáveis, e vegetarianos debilitados! E Há não vegetarianos saudáveis e não vegetarianos debilitados! Para mim, o ser humano precisa é de proteína e não de carne. E proteína pode ser encontrado em outros alimentos de origem vegetais!

  • André Amorim

    Enquanto lia o texto, fui ponderando sobre o relato e considerando a maneira como foi escrito, as frases, descrições, exemplos, intenção. Pelo abordagem acima decredibilizei totalmente o texto e imaginei ser um membro gnóstico um pouco confuso que por uma razão pessoal, semelhante a culpa, ou algum ego da esfera da crueldade que buscasse justificativa para a morte e sofrimento de animais inoncetes aqui nesta ferramenta online. Quando li no fim da página o nome de Samael Aum Weor tive uma surpresa inenarrável, foi realmente um choque, uma decepção. Não pela lei em si, porque em nenhum momento ela inutiliza o vegetarianismo, mas oferece uma perspectiva mais ampla sobre as manifestações entre os princípios Ativo passivo e neutro, a relação existente destes em todos os níveis do absoluto. Isso de maneira nenhuma descredibiliza a nobre intenção de evitar o sofrimento de animais inocentes, pois podemos viver absolutamente sadios sem nos alimetarmos de cadáveres. É importante dizer que essa lei não foi feita por Samael, mas sim pelo absoluto, ele apenas a comentouneste relato. Tive uma surpresa de fato, com o texto do mestre gnóstico, não houve uma abordagem plácida e envolta na atmosfera transformadora dos escritos maestrais capazes de trazer á tona a consciência. Principalmente quando critica a prática pelos praticantes. Fanáticos existem em todos os locais, e o princípio em que se baseia o vegetarianismo não perde validade por haverem pessoas confusas nesta filosofia de vida. De fato não será cultivando o hábito de sermos depositários de cadáveres, verdadeiros túmulos para os animais que nos farão, boas pessoas, e iniciados na senda. Me parece que Samael em sua imensa sabedoria errou em seu discurso, o que me traz a sensação de que o mestre que veio nos entregar a ciência em uma época tão difícil já não consegue demonstrar a incrível maestria de outrora.

    • André, há mestres que são (aliás, “estão”) vegetarianos, e há mestres que não o são. Sabe por quê? PORQUE CADA UM TEM SEU MOMENTO CÓSMICO, E ELES OBEDECEM ÀS ORDENS DO SER DIVINO…
      Nós, infelizmente, comemos ou deixamos de comer não por OBEDECER À VONTADE DE NOSSO PAI INTERNO, mas por sentimentalismos esquisitos.
      Que absurdo é esse de dizer que nós somos túmulos que jogamos cadáveres para dentro?
      Isso é ofender Jesus (que comia carne sim senhor). É ofender o dalai-lama Tenzin Gyatso (que comia carne sim senhor). É ofender Maomé e Moisés, e Quetzalcoatl, e Odin (que comiam carne sim senhor). Etc.
      Por que os conceitos do VM Samael não são aceitos? Só porque ele diz não concordar com o sistema vegetariano? Será que não se respeita a opinião alheia?
      Pratique o vegetarianismo se quiser, mas não se ofenda com quem não concorda com esse sistema…

      • André

        No livro do V. M. Samael Aun Weor intitulado TRATADO ESOTÉRICO DE ASTROLOGIA HERMÉTICA, ele diz que existem 3 tipos de alimentos, a citar:

        SATTWICOS: flores, grãos, frutas – amor
        RAJÁSICOS.: fortes, passionais, picantes em excesso, demasiados, salgados, exageradamente doces, etc.
        TAMÁSICOS: sangue e carne vermelha, não tem amor, compram-se ou vendem-se ou oferecem-se como vaidade, soberba e orgulho

        Segundo o livro, devemos abandonar os alimentos TAMÁSICOS e optar mais pelos SATTWICOS.

        Por isso eu pergunto, vocês são capazes de responder de forma contundente que é definitivamente prejudicial a ingestão de carne vermelha? Ou por outro lado admitem que essa é uma questão ainda pouco esclarecida? Ou que talvez o entendimento dessa questão esteja submetido a certos condicionamentos individuais?

        Segundo o meu entendimento, com base na minha própria experiência e com base no que eu já estudei, a questão da ingestão de carne passa pela questão do hábito arraigado e perversão do paladar, que nada mais são do que ego agregado. Ser vegetariano não é passaporte para a auto-realização, mas ser carnívoro não parece contribuir em nada nesse caminho! As pessoas ingerem carne vermelha por capricho, e se utilizam de justificações bastante refinadas que se baseiam até na gnose para continuarem com o hábito.

        Por uma questão de coerência moral, eu defendo que qualquer gnóstico não deva ingerir carne vermelha, porque alguém que quer se purificar, não pode se dar ao luxo de ser contraproducente. O fato de haver questões maiores como a transmutação da energia sexual não justifica a continuação do capricho da ingestão de sangue. Vampiros é que gostam de sangue. Animais brutalizados é que ingerem carne. A própria natureza serve de exemplo.

        Evitar a carne vermelha não viola a lei do trogo-autoegocrático cósmico comum. As pessoas ingerem vegetais que vêm da terra, ingerem peixes com moderação.

        Mesmo que se justifique a ingestão de carne vermelha devido ao elemento fogo, não me parece prudente fazê-lo sabendo a procedência horrenda das carnes dos mercados. O que é que pesa mais na balança?

        Está na hora de as coisas serem postas nos seus devidos lugares.

        Eu gostaria de pedir a referência bibliográfica que indica as afirmações de que todas essas personalidades citadas ingeriam carne vermelha. Um dos nossos amigos aqui deste fórum citou uma passagem do Bhagavad Gita, que é uma obra de referência para a gnose, e o Sr. o respondeu de forma muito pouco construtiva.

        • Mayra

          Cuidado, muitos livros e materiais do VM Samael foram alterados. No livro O Mistério do Aureo Florescer ele deixa bem claro que a carne é indispensável para o despertar do fogo. No livro Sim, há inferno, Sim, há diabo, Sim há karma, ele deixa bem claro que o vegetarianismo não é correto.
          Pratique o vegetarianismo se quiser, é um problema exclusivamente seu, mas respeite quem não pratica.

      • André

        A propósito, eu sou outro André.

      • André

        … aliás, estou à espera de uma resposta digna a um outro comentário que fiz na página dos Animais Involutivos, e até hoje não fui brindado com tal atenção.

        • Pegorer

          Porque não procura as respostas por si só nos mundos superiores ?? não seria muito mais fácil :) grande abraço e fique em paz.

  • breno

    Poderiam por favor indicar a fonte que trata do caso de Saint-Germain? Algumas fontes que li dizem que ele nunca foi visto comendo ou bebendo qualquer coisa.
    Obrigado

    • E outras fontes afirmam já terem visto esse e outros mestre comendo e bebendo. Como Jesus, Buda, o Dalai-Lama, Moisés etc. etc. etc.

      • breno

        Agradeço pela atenção da resposta. Minha intenção não é um questionamento gratuito, nem argumentação para desmerecer seu artigo. Sou um simples estudante e estou interessado no tema, e agradeceria a gentileza e a caridade de me indicar a fonte literária para consulta.
        Segundo compreendi dos meus estudos até agora, comer e beber não é proibido, apenas não é necessário. A transmutação exercida por Saint-Germain chegava ao ponto de fundir diamentes, e obtê-los a partir de pedras comuns. Com isso, cogito se não seria possível realizar a nutrição de nosso veículo de carbono por transmutação, combinando elementos cósmicos e telúricos com o Sal Filosofal. Vocês me compreendem?
        Vocês me permitem participar de sua gnose?

  • Fábio Dutra

    Espírito come carne?

  • André

    Ok, mas nós ainda moramos no planeta Terra.
    Como que eu posso comer carne sem brutalidade se eu não moro no meio da floresta?
    Eu não acho que nós não devemos comer carne, mas eu fico horrorizado ao ver a forma de como os animais são tratados…
    E não só para a carne, mas também o ovo, o leite, etc…

    Você come a carne sabendo de onde ela vem?

  • André

    E o que vocês acham da brutalidade dos matadouros?
    Eu não tenho coragem de comer uma carne que passou por todo aquele processo de dor e sofrimento.
    Não creio que aqueles animais tenham boas energias :)

    • Ótima colocação, André, realmente o astral em matadouros é tenebroso, cheio de larvas e vampiros. E o Carma que os matadouros geram são as enchentes e outras catástrofes ambientais.
      Mas há formas menos desumanas de sacrificar os animais, como se vê em outros planetas, como em Vênus, Marte etc., cujas civilizações NÃO SÃO VEGETARIANAS.

      • Rogério

        Em Marte? veja bem, acabaram de visitar Marte, tiraram fotos e foi comprovado que não tem vida lá…podería esclarecer essa sua informação sobre o planeta Marte?

        • Rodrigo

          Gandhil

          Para mim, a vida de um cordeiro não é menos preciosa que a de um homem. Não estaria disposto a sacrificar a vida de um deles em nome do corpo humano. Acho que quanto mais indefesa a criatura mais direito ela tem à proteção dos homens contra a crueldade humana.

          Gandhi

          Mas aquele que não está qualificado para esse serviço não é capaz de oferecer nenhuma proteção. Preciso de mais autopurificação e sacrifício, antes de ter a esperança de poder salvar os cordeiros desse massacre profano. Rezo constantemente para que nasça na Terra um grande espírito, homem ou mulher, animado por uma compaixão divina, que nos libertará desse pecado hediondo, salvará a vida das criaturas inocentes e purificará o templo. Como é que Bangala, com toda sua cultura, inteligência, abnegação e sensibilidade tolera essa carnificina? – GANDHI, Mohandas K. Autobiografia – Minha vida e minhas experiências com a verdade. São Paulo: Palas Athena, 1999. 3 ed. p. 212

          Há muito de verdade no dito de que o homem se torna aquilo que come. Quanto mais grosseiro o alimento tanto mais grosseiro o corpo.

          Sinto que o progresso espiritual requer, em uma determinada etapa, que paremos de matar nossos companheiros, os animais, para a satisfação de nossos desejos corpóreos.

          A grandeza de uma nação pode ser julgada pelo modo que seus animais são tratados.

          ___________

          A voz de Gandhi se fará ouvir no coro do vegetarianismo.

          Gandhi foi criado como vegetariano e, com exceção de alguns pedaços ilícitos de carne na juventude, foi vegetariano a vida toda.

          No entanto, só quando foi para Londres e estudou Direito é que desenvolveu as suas razões pessoais para viver como vivia.

          O seu pensamento é simples.

          – Em nossa vida, devemos nos esforçar para causar o mínimo de mal.

          – Quando comemos carne, somos cúmplices de um mal maior do que quando não comemos carne.

          – Portanto, devíamos parar de comer carne.

          É possível discordar de até onde vai o pensamento de Gandhi, mas não há como negar o desafio apresentado.

          Gandhi aprendeu muito nos anos em que esteve em Londres.

          Por exemplo, vejamos as palavras que disse em seu discurso de 1931 na Sociedade Vegetariana de Londres:

          “Há quarenta anos eu costumava misturar-me livremente com o vegetarianismo. Naquela época dificilmente haveria em Londres um restaurante vegetariano que eu não tivesse visitado. Eu fazia questão, por curiosidade, de visitar todos eles. Portanto, entrei naturalmente em contato com muitos vegetarianos. Descobri nas mesas [conta ele com tristeza] que a conversa girava principalmente em torno de comida e doença… nada além de comida e nada além de doença.”

          É claro que, se Gandhi estivesse vivo hoje, veria como os tempos mudaram.

          Hoje, à mesa, os vegetarianos não falam apenas de comida e doença.

          Hoje falamos de comida e doenças degenerativas.

          A voz de Gandhi, na minha opinião, deveria ser ouvida.

          Quem, entre os veganos purificados aqui reunidos, ousaria sugerir que a virtude da nossa vida está no mesmo nível da do Mahatma?

          Quem aí levanta a mão?

          Então, quando Gandhi declara “se alguém disser que eu morreria se não comesse bife ou carneiro, mesmo por ordem médica, eu preferiria a morte”, os veganos de hoje suspirariam numa só voz com admiração e solidariedade e murmurariam juntos “Gandhi era ou não era um vegano de princípios?”

          Mas é bom lembrarmos que, apenas poucas linhas antes, este mesmo homem, disposto a enfrentar destemido a morte em vez de comer bife ou carneiro, afirma: “Abriria mão do leite se pudesse, mas não posso, fiz esta experiência incontáveis vezes. Não consegui, depois de passar muito mal, recuperar minhas forças a menos que voltasse ao leite.”

          Gandhi não estava satisfeito com o leite em sua alimentação. Dele, diz: “Foi a tragédia da minha vida”.

          Felizmente para ele, isso foi antes dos grupos de discussão vegana na internet.

          Imaginem a avalancha ridícula e virtuosa que ele enfrentaria, cuja lógica parece ser: “se o senhor não é perfeito, Sr. Gandhi, o senhor não presta mesmo.”

          Então, sim, a voz de Gandhi precisa ser ouvida, não só devido ao bem que fez e ao bem que representa como também devido à profunda consciência das suas limitações morais, como quando nos recorda que, em suas palavras, “todos nós devemos errar”.

          Tom Regan – palestra no 1 Congresso Vegetariano Brasileiro e Lation-americano – texto enviado, pois por força maior não pôde comparecer.

  • Alessandro Ferreira

    Tolice. BIBLIA genesis 1:29/30 – Deus outorga os vegetais como alimento ao homem e aos animais;

    Bagvadh Ghita – o homem no modo da bondade é vegetariano. Apenas an passant…

    …Contudo, quando leio outros textos com carater mais informartivo-cientifico que constam do site, gosto.

    Ser vegetariano é maravilhoso!

    • Caro Alessandro, cortamos um pequeno trecho de seu texto por ser um pouco indelicado…
      Sobre o Vegetarianismo, cada um é livre para comer e beber o que bem entender, só não temos o direito de esquecer de Deus e de Sua Vontade.
      Ser vegetariano, segundo a Gnose (e toda autêntica escola de Mistérios) é um sistema maravilhoso de DEPURAÇÃO do organismo (dadas as condições impuras das carnes hoje). No entanto, o vegetarianismo NÃO é passaporte para o Reino dos Céus, para a Autorrealização.
      Se assim fosse, Jesus, Krishna, Maomé, Buda, Moisés etc. diriam:
      BEM-AVENTURADOS OS QUE COMEM ALFACE, POIS VERÃO DEUS FACE A FACE…

  • felipe

    Olha pessoal! Já tinha ouvido falar nessa história, mas me surpreendi ao saber que SAW já morava na Serra Nevada enquanto era Vegetariano e que tomou por iniciativa própria largar o sistema…
    Eu particularmente pratico Gnosis e sou vegetariano por me sentir perfeitamente equilibrado assim, prefiro não me deixar convencer cegamente, a Gnosis não se trata disso. Pratico conforme meu proprio ser caminha para entendimentos mais profundos…
    Queria que se alguém soubesse me passar a seguinte informação, que o fizesse: Quando SAW resolveu abolir o vegetárianismo, ele já tinha reconhecido seu intimo Aun Weor?
    Se souberem me responder e tiverem uma matéria sobre isso, ficaria satisfeito. Paz Inverencial!

    • Mayra

      No livro Sim, há inferno, Sim, há diabo, Sim há karma, ele deixa bem claro que o vegetarianismo não é correto, e quando esse livro foi feito ele já estava em contato com seu Real Ser.

  • Ednilson Olho

    A maior balela que já ouvi. Se animal é tudo igual, porque o porco é diferente ?
    Para mim não passa de justificativa para continuar comendo carne … aliás tudo o ser-humano tem uma justificativa….

    • Ednilson, é importante que você se aprofunde na temática esotérica para compreender o tema abordado.
      Os seres não são feitos só de carne, ossos e sangue, mas também energia e consciência.
      Quando citamos os animais involutivos, como é o caso do porco, não falamos só de seu aspecto físico, mas do energético e psíquico.
      Todavia, todos são livres para comer, beber, falar e pensar o que quiserem. As pessoas já foram avisadas.

      • Jacques da Rosa

        Corretíssimo! Também acho importante que as pessoas compreendam que a Gnose não trata de convencer a ninguém, de nada. De fato, quem começa a pôr em prática, de verdade, este ensinamento na sua vida cotidiana, verá com fatos, com objetividade o fundamento que há neste ensinamento do Mestre Samael sobre o porco e tantos outros… Sim, o porco é um animal leproso, eu do Fé e aquele que comer desta carne e buscar a trabalhar sobre si mesmo, se dará conta do dano que esta última causa a psique humana. Quem tem consciência fala com autoridade; quem não tem consciência se contentará em emitir opiniões, apenas.

  • Carla

    Interessante tudo isso. Não sou vegetariana mas também não como carne em excesso, mas fiquei com uma duvida: Porque o porco é considerado um animal leproso e de psique brutal? uma vez que é um animal irracional como outro qualquer e se comporta como outro animal qualquer. Porque por exemplo o boi, no caso de ser outro animal irracional não é considerado como leproso e de psique brutal? Gostaria de saber esse conceito sobre o porco e que essa minha dúvida fosse esclarecida.
    Obrigada

    • Carla, é importante que se aprofunde nos estudos gnósticos e entenda que a “alma” de certas espécies está em evolução, crescimento e aperfeiçoamente, enquanto a de outras espécies está em involução, degeneração e decadência energética, psíquica e anímica.
      Segundo ensinamentos dos mestres gnósticos, a aura desse animal está coalhada de larvas psíquicas e energias daninhas à vitalidade humana.
      Ao contrário, os “irmãos” selvagens do porco, como o cateto, o javali e outros, não têm sua energia negativa, portanto, que pode ser ingerida normalmente.
      Sugerimos a leitura do seguinte post:

      http://www.gnosisonline.org/magia-elemental/animais-involutivos/

  • bruno

    muito bom, gostei do esclarecimento.