Uma doença chamada Malí-Malí

0
425

A evolução humana estagnou e depois entrou no caminho descendente de involução e degeneração. A mente humana não tem mais a bela espontaneidade natural de outros tempos. A mente desta perversa geração de víboras tornou-se espontaneamente desajeitada e não retém nada de sua antiga vivacidade e elasticidade.

Pais de família e professores estão doentes, terrivelmente doentes com o materialismo e a estupidez, e com suas teorias e as opiniões infectam horrivelmente a mente das crianças. Nas Filipinas existe uma doença chamada “Malí-Malí”, é um tipo de psicose muito curioso. Os pacientes Malí-Malí são 100% imitadores.

Se alguém anda pela rua, as pessoas com Malí-Malí a seguem. Sentam quando a pessoa se senta e levantam quando a pessoa se levanta, e eles pegam o que a pessoa pega… Repetem como papagaios tudo que a pessoa diz etc. etc.

O Malí-Malí na Europa e na América é chamado de MODA. Se uma mulher famosa aparece em público usando minissaia, todo mundo usa, e se ela aparece seminua, todos a imitam. Assim é a “moda”.

Um dia, o Príncipe de Gales decidiu deixar o chapéu em sua residência com o propósito de enganar seus bajuladores e dar-se ao luxo de andar livremente pelas ruas como qualquer cidadão, mesmo que fosse sem chapéu. No dia seguinte nasceu a moda de não usar chapéu; agora poucos usam chapéu. Isso é o Malí-Malí.

Nos tempos do nazismo, todos queriam ser nazistas, e nos tempos de comunismo todo mundo queria ser comunista. Isso é o Malí-Malí. Marx tirou dessa infeliz humanidade seus valores espirituais; agora todo mundo quer ser marxista. Eis aí o Malí-Malí. O Malí-Malí materialista infectou as mentes das novas gerações.

As ideias materialistas infectam as mentes das crianças e dos jovens, com a aprovação das autoridades oficiais. Os ignorantes esclarecidos do materialismo dialético lançaram o dogma de que você não deve aceitar nada que não seja comprovado pelas evidências dos sentidos e do raciocínio. Esta é uma frase chamativa com a qual muitos tolos se presumem inteligentes.

Só podemos aceitar a infalibilidade da razão e da evidência dos sentidos, quando existe a exclusão dos elementos subjetivos. Apenas o raciocínio objetivo e a receptibilidade objetiva são exatos, mas a dialética materialista, sendo subjetiva, nada sabe sobre a objetividade… Os educadores modernos, com seu materialista Malí-Malí, estão destruindo a mente humana para tornar essa moda elegante.

As crianças não aceitam mais o que não seja Malí-Malí, elas já estão doentes com a psicose materialista. Nestes tempos as frases de tipo Malí-Malí estão muito populares, e para tudo que não se encaixar nessa moda existem frases como: “Isso não está comprovado”, “isso não existe”, “isso é uma alucinação” etc. etc. etc. Não há mais contos de fadas e sereias e palácios encantados, ninguém mais está interessado nas Mil e Uma Noites…

Agora as crianças e os jovens de ambos os sexos alimentam suas mentes com teorias materialistas e filmes de assassinos, prostitutas e ladrões. O resultado de tal alimentação intelectual temos diante de nós: “Rebeldes sem causa”, assassinos prematuros, ladrões recém-saídos da concha, alunas grávidas abortando secretamente, assaltantes mimados entre os chamados “bons filhos” etc. etc. etc. Se alguém tem uma percepção extra-sensorial, se consegue ter a felicidade ver alguma criatura das dimensões superiores do espaço, tudo dizem que foi uma alucinação e logo o levam ao psiquiatra.

Sob tais condições, a mente humana tornou-se assustadoramente mecânica. O materialista Malí-Malí aprisionou a mente humana e ninguém aceita algo diferente do Deus Matéria… As pessoas só pensam em termos dos princípios abomináveis ​​do materialismo.

A humanidade é um órgão da natureza, o ser humano é uma “Interface”. Todo ser humano atrai as energias do cosmos, certo tipo muito especial das energias cósmicas. Cada pequena máquina humana transforma as energias cósmicas que vêm do espaço interplanetário e as adapta às necessidades das camadas anteriores da terra.

A natureza tornou-se muito exigente porque evoluiu. A natureza agora exige um novo tipo de vibrações humanas mais sutis, mais espirituais. A natureza agora está exigindo o que o homem degenerado não pode mais dar. Há um conflito entre o homem moderno e a natureza, a raça humana atual não está mais à altura das circunstâncias, e a natureza exige um novo tipo das vibrações mais espirituais.

O resultado de tal conflito será a destruição do que não funciona, a natureza sempre destrói o que não funciona. Podemos ter certeza de que haverá terríveis cataclismos e grandes eventos que acabarão com nossa raça degenerada.

O fim dos tempos chegou…

(Por Samael Aun Weor, de seu livro O CRISTO SOCIAL, cap. O Problema da Educação Pública)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.