A queda dos anjos

A queda dos anjos

O reinar justifica a ambição,
Inda que seja no próprio Inferno!
É preferível reinar no Inferno
Do que servir como escravos no céu!

(John Milton, O Paraíso Perdido)

A “Queda dos Anjos”, o “Pecado Original”, a “Redenção da Humanidade”… Esses arquétipos repetem-se  em todas as línguas, revestem-se de todas as cores, e a tradição do pecado, do erro, da culpa, da rebeldia, permanece…

A memória de um grande erro renovando a enorme culpa perplexa e incompreensível. Qual foi, afinal, o grande crime da humanidade? De quantas humanidades?

A culpa da humanidade católica, a culpa dos judeus, a culpa dos muçulmanos, a culpa dos brâmanes e dos budistas, a culpa da ignorante massa de hinduístas, de fetichistas curandeiros das tribos incultas da África… Afinal, o que fizeram essas multidões para carregar todas as lembranças de sua desobediência ou ingenuidade original?

Para os gnósticos, teosofistas e ocultistas em geral, o “mito” do pecado original, da queda angelical e sua maldição foram um fato ocorrido muitos milhões de anos atrás, em tempos que nem remotamente sonham os historiadores acadêmicos. Tempos em que seres fantásticos se misturavam aos Deuses, Homens e Bestas. Ali ocorreram tragédias que os grandes mitólogos, tratadistas e profetas explicaram em contos tais como a história de Adão e Eva, a Serpente e o Paraíso, a guerra nos céus, a desobediência…

As escrituras mais antigas e tradições orais mais bem preservadas dizem que primeiro os anjos caíram e depois o homem pecou, um pecado que são se limita ao mero erro de consequências reversíveis. Ao contrário, cometeu um “erro fatal”, escolheu um caminho sem volta. Sem volta?

O Gênesis judaico-cristão, em linhas alegóricas gerais, descreve esses erros causados por desobediências: a primeira por SOBERBA, do mais exaltado dos Anjos, e depois pelo homem, que comeu um “fruto proibido” (era proibido comer; comeu, se deu mal. Não teve remédio, teve de ser expulso do Jardim do Éden, da felicidade paradisíaca, nirvânica).

A Queda dos Anjos. Este é um dos mais profundos mistérios da Teologia. A Bíblia afirma que Deus fez os Anjos tão perfeitos, mas como podem tais seres pecar? Esse Paraíso existiu realmente neste mundo físico.

Tratou-se da legendária Lemúria, tão decantada por Madame Blavatsky e o venerável mestre Samael Aun Weor (para saber mais sobre a Lemúria, clique aqui).

Este grande mestre gnóstico tece comentários interessantíssimos sobre alguns dos principais chefes angélicos dos primitivos tempos lemúricos.

Gente de alta estirpe espiritual que se transformou em demônios ou bodhisatvas caídos, em mestres caídos. Vejamos seu texto sobre os Anjos Caídos:

O ultramoderno Lúcifer-Prometeu, involucionando espantosamente no tempo, converteu-se agora em Epitemeu, o que se vê somente após o acontecimento, porque a gloriosa filantropia universal do primeiro se degenerou há muitos séculos em interesse e adoração próprios. Ó Deuses Santos!

Quando poderemos romper estas cadeias que nos atam ao Abismo do mistério? Em que época da história do mundo ressurgirá o brilhante Titã, livre de outrora no coração de cada homem? Morrer em nós mesmos é essencial se verdadeiramente ansiamos com todas as forças da alma harmonizar as duas naturezas: Divina e Humana em cada um de nós.

Invulnerabilidade ante as forças titânicas inferiores, impenetrabilidade em grande escala, somente são possíveis eliminando-se integralmente os nossos defeitos psicológicos, esses horríveis Diabos Vermelhos mencionados no Livro da Morada Oculta. Seth, o ego animal, com todos os seus sinistros agregados subjetivos sabe ser terrivelmente maligno.

Escrito está com carvões acesos no tremendo Livro do Mistério que o Dom Luciférico, terrível como nenhum outro, tornou-se mais tarde, para desgraça nossa e de todo este aflito mundo, a causa principal, senão a própria origem do mal.

 Lúcifer, de Gustave Doré, para a obra O Paraíso Perdido, de John Milton
Lúcifer, de Gustave Doré, para a obra O Paraíso Perdido, de John Milton

Zeus tempestuoso, o que amontoa as nuvens, representa claramente a hoste dos progenitores primários, os Pitris, os Pais que criaram o homem à sua imagem e semelhança. Não ignoram os poucos sábios do mundo que Lúcifer-Prometeu, Maha-Asura, o doador do fogo e da luz, e acorrentado horrivelmente ao Monte Cáucaso e condenado à pena de viver, representa também os Devas rebeldes que caíram na geração animal no amanhecer da vida.

Citamos neste livro ardente do fogo, alguns desses Titãs caídos ao raiar da aurora:

Recordemos, inicialmente, Moloc, Anjo outrora luminoso, horrível rei manchado de sangue dos sacrifícios humanos e com as lágrimas dos pais e das desesperadas mães. Apesar dos sons de tambores e tímbalos, apenas eram ouvidos os clamores dos filhos, quando arrojados ao fogo, e imolados sem piedade por aquele execrável monstro, belo deus de outros tempos.

Os amonitas o adoraram em Rabba e em sua úmida planura, em Argob e em Bassam, até as mais remotas correntes do Arno.

Conta a lenda dos séculos que Salomão, filho de Davi, rei de Sião, levantou um templo a Moloc no monte do opróbrio. Dizem os Sete Senhores do Tempo que posteriormente o velho sábio dedicou ao tal anjo caído um bosque sagrado no doce vale de Hinnom. Fecunda terra perfumada que por tal motivo tão fatal, trocara desde então seu nome de Tofet e a negra Geena, verdadeiro tipo de inferno. O Grande Pecado dos Anjos se chama SOBERBA.

Seguindo Moloc, Homem-Anjo da arcaica Lemúria vulcânica, onde os rios de água pura da vida emanavam leite e mel, vem Baal-Pehor, o obsceno terror dos filhos de Moab, que habitavam desde Aroer até Nebo e ainda muito além da parte meridional do deserto de Abarim. Povos de Hesebom e Heronaim, no reino de Sión e além dos florescentes vales de Sibma, atapetados de vinhedos, e em Elealé, até o lago Asfaltites. Espantoso, esquerdo, tenebroso Baal-Pehor, em Sittim incitou os israelitas durante sua marcha pelo Nilo a que fizessem lúbricas obrigações, que tanto mal acarretram-lhes.

Desde ali este Elohim caído entre os vermelhos incêndios luciferinos astutamente estendeu suas lascivas orgias tenebrosas até o próprio monte do escândalo, muito próximo do bosque do homicida Moloc. É óbvio que assim ficou estabelecida a concupiscência abominável ao lado do ódio, até que o piedoso Josias os arrojou ao inferno.

Com essas divindades terrivelmente malignas que trazem os nomes indesejáveis de Baal e Astarot, e que no velho continente Mu foram homens exemplares, anjos humanizados, socorreram as delícias ribeirinhas banhadas pelas águas tormentosas do antigo Eufrates até a torrente que separa o Egito da terra da Síria.

Continuando, depois, em ordem sucessiva, aparece Belial. Desde o Empíreo certamente não tem caído um espírito mais impuro, nem mais grosseiramente inclinado ao vício, do que essa criatura que nos antigos tempos lemúricos fora realmente um Mestre, ou Guru Angélico de inefáveis esplendores. Esse demônio terrível em outros tempos não tinha templos, nem lhe eram oferecidos sacrifícios em nenhum altar.

Entretanto, ninguém está mais presente do que ele nos templos e nos altares. Quando o sacerdote torna-se ateu, como os filhos de Eli, que infelizmente encheram de prostituições e de violência a casa do Senhor, convertem-se, de fato, em escravos de Belial.

Hierofante sublime das épocas arcaicas de nosso mundo, anjo singelo, agora perverso demônio luciférico, que reina também nos palácios e nas cortes faustosas e nas cidades dissolutas, onde o ruído do escândalo, da luxúria e do ultraje eleva-se sobre as mais elevadas torres.

E quando a noite obscurece as ruas, então vagueiam os filhos de Belial, plenos de insolência e de vinho. Testemunhas dele são as ruas de Sodoma e aquela noite horrível em que uma porta de Gaaba expôs-se uma matrona para evitar um rapto mais asqueroso.

Inspirem-me, musas! Falem-me, deuses! Para que meu estilo não desdiga da natureza do assunto. E que direi agora de Azazel, glorioso Querubim, homem extraordinário da terra antiga? Oh, quanta dor! Essa criatura excelente também caiu na geração animal… Que terrível é a sede da luxúria sexual!

O caído arranca da haste brilhante o sinal imperial. Esta, estendida e agitada ao vento, brilha como um meteoro, com as pérolas e o rico brilho do ouro que desenham nela as armas e os troféus seráficos.

E vem após Mammon, o menos elevado dos Homens-Anjos da antiga Arcádia, igualmente caído na geração bestial. Ele foi o primeiro que ensinou aos habitantes da terra a saquearem o centro do mundo, como assim o fizeram extraindo das entranhas de sua mãe alguns tesouros que valeriam mais se ficassem ocultos para sempre.

A gente cobiçosa de Mammon abriu em breve uma larga ferida na montanha e extraiu de seu seio grandes lingotes de ouro.

E quanto ao anjo Mulciber, que diremos agora? Não foi verdadeiramente menos conhecido nem careceu jamais de adoradores fanáticos na antiga Grécia, isso o sabem os divinos e os humanos.

A fábula clássica refere-se como foi precipitado do Olimpo, arrojado pelo irritado Júpiter, por cima dos cristalinos muros divinais; de nada serviu-lhe haver elevado altas torres ao céu. Homem genial da raça purpúrea no continente Mu, caído nos Abismos da paixão sexual.

E concluindo esta pequena lista de “Deidades” fulminadas pelo raio da Justiça Cósmica, é necessário dizer que de nenhuma maneira faltam no Pandemonium, a grande capital de Satanás e de seus pares, Andrameleck, de que tanto temos falado em nossos passados livros gnósticos, e Asmodeu, seu irmão, dois resplandecentes Tronos do céu estrelado de Urânia, caídos também na geração animalesca. Homens exemplares, deuses com corpos humanos na terra de Mu, revolvendo-se agora abjetos no leito de Procusto.

Quanto mais alto se está, pior é a Queda…

A hoste Luciférico-Crística que encarnou na Lemúria arcaica, induzida por aquele Nêmesis ou Karma Superior (que controla os inefáveis e que é conhecido como Lei da Katância), cometeu o erro de cair na geração animal. Nefasta foi à humana espécie a queda sexual dos Divinos Titãs, que não souberam usar o Dom de Prometeu e rolaram ao Abismo.

Nossos salvadores, os Agnishvattas, os Titãs superiores do fogo luciférico, não podem jamais ser enganados. Eles, os brilhantes Filhos da Aurora, sabem muito bem distinguir o que é uma Queda e o que é uma Descida. Alguns equivocados sinceros empenham-se agora em justificar a queda angelical.

Lúcifer é, metaforicamente, o archote condutor que ajuda o homem a encontrar sua rota através dos recifes e dos bancos de areia da vida. Lúcifer é o Logos em seu aspecto mais elevado, e o Adversário em seu aspecto inferior, refletindo-se ambos em nós e dentro de cada um de nós.

Lactâncio, falando da natureza de Cristo, faz do Logos, o Verbo, o primogênito irmão de Satã e a primeira de todas as criaturas. Na grande tempestade do fogo luciférico combatem-se mutuamente esquadrões de anjos e demônios (protótipos e antítipos).

Se aquele bom Senhor Amfortas, Rei do Santo Graal, tivesse sabido usar habilmente o Dom Luciférico no instante supremo da tentação sexual, é ostensível que haveria passado por uma transformação radical.

Outra obra de Samael Aun Weor sobre os Anjos Caídos: A Revolução de Bel.

Ali Onaissi, jornalista, escritor e coordenador do Portal GnosisOnLine

49 Comments

  1. Os lemurianos tinham karma a pagar para vivenciar esses “acidentes cósmicos mal canalizados”? Esses guardioes da evolução planetária “pagaram” por esses acidentes? Vivemos nessa civilização degenerada pq merecemos, de acordo com nossa evolução espiritual?
    Obrigado
    Paz Inverencial

  2. eu diria que nesse caso não devemos culpar a ninguém que por traz dessas coisas a outras maiores que o mero racionalismo não entende.

  3. muito interessante a queda dos anjos pela visão gnostica………….

  4. Quer dizer que os grandes Titâns faziam parte da Lemúria? Mas no evangelho apócrifo de Enoque, há um trecho que cita tais titâns como sentinelas, que tomaram as mulheres da terra e com elas tiveram filhos. Quero entender a diferença entre os lemurianos e os atlantes, pois em primeiro momento imagino que os atlantes são descendentes dos lemurianos, ou estou enganado? Como podem os Titâns (Lemurianos) terem tomado as mulheres da terra? Quer dizer que existiam tanto os titâns como homens vivendo na terra já no período da Lemúria?

    1. Quando se diz que os titãs tomaram mulheres da terra significa que praticaram magia sexual com derramamento da energia sagrada e foram involuindo em seu nível de consciência…
      Os seres mencionados fazem parte do Drama Lemuriano da “queda dos anjos” (pois a humanidade de época tinha altíssimos níveis espirituais – e mesmo assim, caíram.
      Imagine nós, com nosso deplorável estado de selvageria…

      1. só queria que vocês me respondessem três coisa onde estão estes deuses agora, para onde foram, porque não voltaram mais a terra.

    2. ai que dizer que tu ta descrevendo a historia de hercules e kratos affs me poupe

  5. Flávio, o q acontece é q ,o planeta está passando por um processo de transformação, e então muitas essências antes da última trombeta” ainda n dissolveu o ego por completo, então o q aproveita-se poem se na arca o “q n ,vai ao fogo,queima-se como palha,entendido?

    1. Essas transformações são profecias biblicas,as sagradas escrituras
      condenam a corrupção moral.tal corrupção destruiu atlantida e destruira essa geração impura.

  6. Vicente Moliterno

    Olá, sou estudante gnóstico e gostaria de saber em quais livros posso encontrar mais da história da queda da Lemúria…grato.

    1. Oi, Vicente. Na verdade há diversos livros que tratam desse assunto, é importante ler a obra completa do VM Samael para ter uma visão mais ampla sobre a evolução humana no planeta.
      Para saber mais, clique aqui.

  7. Lislaine Viscardi

    Desculpem-me, acredito ser completamente ignorante em relação á esse assunto. Nunca consegui ler a biblia por não ter paciência para interpretar o que estava escrito, mas, sempre tive muita curiosidade de saber mais sobre anjos, a queda, Lúcifer. Nunca entendi por que mesmo depois de ter sido lançado ao inferno ainda o chamam de “Estrela do Amanhecer”…queria ter sabedoria o suficiente para estudar esse assunto, mas, fico tonta com tantas informações…E por que o Arcanjo Rafael quase não é citado em muitos estudos sobre anjos? Não sei se o que eu perguntei foge do assunto de vocês, mas, foi o que percebí, pelo menos lendo as matérias que li na internet.

    1. O arcanjo Rafael é o logos, o gerador e mantenedor do planeta Mercúrio.
      Sua vibração em nosso planeta Terra é poderosa e ativa.
      Entre outras, Ele rege as energias curativas, que os grandes mestres da cura canalizam para ajudar a Humanidade.
      Sugiro que você frequente, se possível, algum grupo gnóstico, assim verá que na Gnose se fala, estuda e pratica muito sobre Rafael e seus anjos curadores…
      Para saber mais sobre a energia da cura, clique aqui…

  8. É um pouco complicado entender quem são essas divindades, gostaria de saber com mais detalhes sobre eles, eram homens perfeitos? como assim homens perfeitos? que continentes eram esses que eles habitavam? gostaria de uma indicação de livro onde essas questões possam ficar mais claras….
    desde já grato!!

    1. Estimado Danilo, se estudar o tema Antropologia Gnóstica, irá entender gradativamente a Criação Divina, a Queda, o Mistério do Salvator Salvandus e a Salvação, e finalmente a ascensão do ser humano, que se transforma em um deus terrivelmente divino…

  9. Eduardo Oliveira

    Ótimo texto, muito explicativo mesmo, só uma coisa me intrigou no texto, logo no início onde diz: “fetichistas curandeiros das tribos incultas da África…”. Não quero causar nenhum tipo de tumulto ou discussão que acarrete nisso, até por que brigar seria uma falta de senso e fugiria dos nossos propósitos, mas é que esta afirmação realmente me parece sem sentido. Digo isto porque estudo e pesquiso sobre as antigas civilizações da África e posso dizer que lá se formaram reinos e culturas muito ricas, fugindo completamente do que é dito em muitas obras por aí como sendo povos rudimentares e ignorantes. Talvez eu também tenha compreendido de um modo diferente do que vocês quiseram expor, mas essa afirmação me causou embaraços. Se puderem, humildemente gostaria de saber o sentido que se referiram nessa frase.
    Paz Profunda a todos.

    1. O autor certamente ironizou o conceito de inculto, pois o termo é utilizado pelos “cultos” europeus que quiseram “civilizar e cristianizar” o mundo, especialmente as Américas e a África…
      a magia, o contato com a Natureza e a alta sensibilidade mística dos aborígines são muito mais profundos do que nós, os “civilizados”…

      1. Eduardo Oliveira

        Entendi sua colocação. Agradeço a atenção e a resposta, mas antes de encerrar, uma outra dúvida: qual a opinião do gnosticismo a respeito dos cultos de origem africana (me refiro aos cultos “puros”, aqueles que são realmente cultuados até hoje na sua essência, e não a deturpação e a miscelânea que existe atualmente no Brasil)? Se tiver algum texto gnóstico que cite do assunto que possa me recomendar, ficarei grato.
        Abraços.

        1. Uma das máximas do gnosticismo é: “Todas as religiões são pérolas engastadas no fio dourado da Divindade”.
          Todas as religiões, independentemente de lugar, época, raça, nação etc. expressam algo das Grandes Verdades Universais.

          1. Eduardo Oliveira

            Obrigado pela explicação.

  10. Bom,

    Ao entrar neste site observei diversas coisas, e cheguei a uma conclusão, tudo sem fundamento, o homem com uma mente totalmente finita e obvia querendo ainda dar palpite nas coisas do Criador, onde seus pensamentos e caminhos são infinitamente maiores.

    Me revoltei ainda mais quando Li. (É preferível reinar no inferno
    Que servir como escravos no céu!
    (John Milton, O Paraíso Perdido.)

    Isto vindo de um ser humano, é ridiculo, pois para quem estudou, conhece e vive uma vida plena, sabe que Satanás odeio o ser humano, pelo simples fato dele ser a imagem e semelhança do Altissimo, e todo o ser humano que ele encontra e tem autorização ele o tortura e mata, e vendo ele que ele jamais seria imagem e semelhança de Deus, invejou e quis assentar-se acima do Pai, porém deu com a cara no chão. E ainda tem ser humano que está do lado do Cão…

    Mais é bom comentar já, para os desavisados, quando estiverem no inferno sendo, retalhados vivos, crucificados, açoitados, pisados, queimados, chutados, feridos, mordidos, cortados, fatiados, entre outras coisas, vão lembrar que um dia alguém os avisou para sair deste caminho inganoso e abrir os olhos para o único e vivo caminho que é Jesus Cristo.

    1. Guilherme, suas revoltas e conclusões se devem única e exclusivamente ao MEDO.
      O medo nasce da Ignorância.
      E a grande alternativa para isso tudo é o CONHECIMENTO ESOTÉRICO que a Gnose nos dá.
      Abra seu coração e sua mente, ative sua consciência e viva COM CONSCIÊNCIA O QUE O CONHECIMENTO CRÍSTICO PODE PROPORCIONAR.
      Por favor, pare de ter medo do Inferno e encarne a Sabedoria Viva do Cristo por meio do Esoterismo Gnóstico…

  11. ESTOU MODERADO COMO A FLOR QUE BROTA NO LUAR CINGIDO DE AMOR AO PRÓXIMO IDOLATRADO PELA BEN´FICIAS DA VIDA, PASSA E PRESENTE, FUTURA SÓ DEUS SABE!.

  12. Seguindo a confirmaçao da queda dos anjos na biblia sagrada, eu chego ao entendimento que:
    Desde do tempo da mitologia os anjos caidos ou eterno demonios eles vem descontando no homem toda a sua ira que eles tem contra Deus.Veja conta historia de guerra e dor existe guerra porque por eles criaram deuses e santos.
    nos mostraram varias religioes formas de rituais e sacrificios seguindo armas doenças fisicas e piscologicas.
    Na historia da humanidade houve divisao por cor e raça disputa de territorio nao por natureza humana ou questao de sobrevivencia mais sim por vaidade e maldade posta ao coraçao do homem por anjos que autrora foram de luz, criado por Deus para nos ajudar em nosso processo de evoluçao e etendimento da vida.
    mais sabiamente o espirito santo de Deus nos ao nos criar nos deu um bom presente um espaço vazio que so pode ser preenchido por ele mesmo.

  13. Luís Gonçalves

    Não entendi um pormenor sobre o “anjo” Mulciber.

    Quem estudou a mitologia romana, sabe que MULCIBER (que significa “aquele que funde [os metais]”) era um título de VULCANO. Ora, acho estranho que num sítio Samael Aun Weor fale sobre Vulcano de uma forma positiva, comparando-o à “forja ardente do calor [sexual]” e assim à Magia Sexual, enquanto considera Mulciber um anjo caído na melhor das hipóteses, ou um demónio na pior.

    Na verdade, mesmo neste texto podemos entender como Mulciber se aplicava originalmente a Vulcano, uma vez que é dito que Mulciber “caiu do Olimpo” – e esse mito é, por tradição, associado a Vulcano!

    Como fica então?
    Agradeço qualquer dica.

    1. Mulciber foi um Anjo caído de tempos antigos. Está associado a Vulcano porque é uma relação com as práticas tântricas lemurianas, porém, deturpadas por certos indivíduos, como o ser citado…

  14. Minha dúvida é a seguinte: Mas a queda não se deu logo após a primeira emanação (Kether/Binah/Chokmah), antes da criação da matéria, quando Shophia caiu e criou o demiurgo sem seu consorte e o demiurgo criou a matéria para aprisionar a consciencia?

    1. Está aí uma confusão de interpretação: uma coisa é a DESCIDA à matéria, para aprendizagem e autorrealização da Alma.
      Outra é uma QUEDA, ou seja, o afastamento da alma em relação ao próprio Ser Divino…

  15. Algum dos comentaristas já leu O Sistema se Pietro Ubaldi? O que achou do livro?

  16. carlos santos

    Caros amigos do gnoses on line,quando Deus pai criou os céus e a terra e posteriormente os criou,criou-os perfeitos.Mas bem sabemos que quanto mais proximos da luz divina maior a vibração positiva da luz,e que quanto maior a distancia da mesma maior é o resfriamento da energia e consequentimente mais endurecida torna-se a mesma.Até esta energia resfriada tornar-se material.Sabemos tmbm que formada a matéria a mesma esta sujeita a determinadas leis, de acordo com a intensidade desta matéria.Uma destas leis é a do livre arbitrio ,onde quando estes seres ao descerem para a materialidade ficaram sujeitos e acabaram por esperimentar todas as sensações especificas do ambiente.Não poderia ser diferente pois as leis de Deus pai são imutáveis e tmbm se aplicam a estes seres.

  17. demonios humanos
    a paralelos planos de existencia
    seitas…

    1. No livro O Sistema de Pietro Ubaldi você encontrara uma explicação muito interessante sobre a queda dos anjos.Leia.

  18. marcelo r mattos

    e o que dizer sobre o sacrificio de cristo na cruz?e os escritos de dividas que eram contra nós que foram cravados com ele na cruz do calvario?lucifer nao era um querubim ungido como disse o profeta ezequiel no cap 28 de seu livro na biblia?

    1. Todos os escritos contidos na Bíblia sobre os Anjos caídos (Lúcifer à testa) são simbologias de fatos ocorridos em épocas muito arcaicas da Humanidade. E é isso que as pessoas que têm anelos espirituais têm de compreender.
      Essa “queda”, conforme os ensinos gnósticos e esotéricos em geral, deu-se na época da Lemúria. E os autores bíblicos sabiam muito bem disso, só que camuflaram tais ensinamentos com terminologias inteligíveis à época, para pessoas imaturas espiritualmente…

  19. aou estudante do curso de historia estou pretentendo fazer minha monografia sobre a queda dos anjos tem como me orientar sobre este tema? desde ja agradeço!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    1. Jonas, envie seus questionamentos para o e-mail [email protected]

  20. Adorei o comentario sobre a lmuria,nao esqueça entretanto que antes das ctasstrofes que alteraram a psique dos lemurianos,eles haviam saido do paraiso pela queda sexual.

  21. caros amigos , sou um iniciante, estou buscando informações sobre gnoses. Entretanto,gostaria de fazer uma pergunta sobre o texto já que foi sitata a mitologia grega ,qual é a relação da mesma com gnose…

    1. Mitos gregos retratam realidades tanto internas, de cunho iniciático/psicológico e também sobre fatos históricos ocorridos em tempos antiquíssimos quando os Deuses, Semideuses e Heróis caminharam entre as pessoas; isso ocorreu no passado período da Atlântida…
      A Gnose é a Sabedoria Sagrada que os grandes escritores do passado dominaram para escrever os mitos, lendas e simbologias.

      1. Parabéns pelos buscadores de conhecimento, vamos formar um exército e trazer remédio para a humanidade doente.

  22. ”…a culpa da ignorante massa de hinduístas, de fetichistas curandeiros das tribos incultas da África…”
    Poxa, um pouco de cuidado para não ser taxativo e preconceituoso. O fato de as tribos africanas não seguirem a mesma lógica hermética de conhecimento que herdamos da Grécia não os torna incultas e nem torna os hinduistas ignorantes. Sob muitos aspectos essas culturas podem ser muito mais esclarecidas que as nossas. Por favor, cuidado para não ser euro-centrista.

    1. Hazuk, você não percebeu que foi uma brincadeira da autora, que cutuca os grandes “luminares” do Ocidente, que chama os antigos de “incultos”, “primitivos” e outros que tais?

  23. Roberto da Silva Pereira

    O orgão kundarguador existiu nos Atlantes ou Lemurianos? Quanto tempo (aproximado) a humanidade usou o orgão? E qual o karma de Sakaki?

    1. O Órgão que você menciona ficou na humanidade lemuriana por dezenas de milhares de anos. Como os dharmas e os karmas de um indivíduo desses são gigantescos, então os Senhores do Karma usarão valores cósmicos complexos para o Senhor Sakaki em próximos dias cósmicos.

  24. Daniel Juino marins lins

    Caros amigos gostaria de saber como que no meio da pureza da lemuria surgil o mal? pois me parece muito estranho, se os lemurianos eram puros como bebes, como que derrepente alguns simplimente desenvolveram a mente sensual e cairam?

    1. Daniel, a Gnose ensina que precisamos evitar termos como Bem e Mal para estudar os processos históricos da humanidade. O que ocorreu na Lemúria, simbolicamente chamado de “saída do Éden”, que a Bíblia nos fala, foram acidentes catastróficos que alteraram a psique coletiva, e de lá para cá a coisa só tendeu a piorar, a criarem-se mais e mais processos involutivos, tanto mental quanto fisicamente.

      1. Daniel Juino marins lins

        Muito obrigado caro amigo, eu ralmente nao deveria ter usado termos como bem e mal, mas de fato o que eu gostaria de saber era como que ocorreu queda? de fato no texto sobre as sete racas deste site, diz apenas que eles se degeneraram e por isto ocorreu a grande catastrofe lemuriana, mas eu gostariam de saber qual foi o acidente catastrofico que alterou de tal forma as atitudes dos gloriosos lemurianos?
        E se eu nao estiver perguntando demais meus caros amigos,eu tambem gostaria de saber, qual a garantia de que a futura raca Koradi nao caira? pois se racas tao gloriosas como a lemuria e a Atlantida cairam o mesmo pode acontecer com a raca koradi,nao? fiquem com Deus, eu estou aguardando as respostas, ate mais.

        1. A “saída de Adão e Eva do Paraíso”, ou seja, a queda dos lemurianos, deu-se por acidentes cósmicos mal canalizados e mal resolvidos pelos guardiães da evolução planetária. Esses acidentes cósmicos desencadearam determinadas “forças luciféricas” que terminaram por degenerar, gradativamente, a psique dos lemurianos, e isso perdura até os dias de hoje, sem uma solução convincente, satisfatória, além do trabalho sobre os 3 Fatores.
          A Raça Koradi, a próxima, iniciará com uma Era de Ouro, mas nada garante que ela não venha se degenerar como nós, os Ários.

          1. Flávio F Lima

            Paz inverencial!

            Só pra complementar, o Venerável Mestre Samael, em seu livro “O Cataclisma Final”, detalha muito bem a próxima raça, Koradi. O mesmo diz que essa Raça será muito gloriosa e espiritualista em sua existência, MAS, que em sua quarta ou quinta sub-raça, não lembro agora, ela irá cair sim, MAS não como a nossa raça ária, até por que ela irá existir em uma oitava superior a nossa, muito mais espiritualista, embora ainda haverá ego.

            Abraço!

Comments are closed.

Confira também

A cura pelos perfumes

Todos os templos esotéricos e curativos do passado