Magia do pinheiro

3
6824

Pinus sylvestris

O pinheiro é a arvore de Aquário. O pinheiro é a árvore da Nova Era. Ele é o signo do pensamento aquariano.

O elemental do pinheiro possui toda a sabedoria da cana. Esse elemental tem uma aura branca e imaculada, cheia de beleza.

Cada pinheiro tem seu elemental próprio porque toda planta, toda árvore, tem corpo, alma e espírito como os homens.

Os poderes ígneos do elemental do pinheiro manejam nas chamas abrasadoras do universo.

O anjo que governa essas populações elementais dos pinheiros trabalha com a geração humana.

Esse anjo está encarregado de fazer as almas humanas chegarem ao ambiente que lhes corresponde em cada reencarnação, de acordo com as leis cármicas.

Os elementais dos pinheiros têm o poder de mostrar as coisas do futuro na água.

magia do pinheiro1

O oficiante, vestido com a sua túnica, fará com que uma criança inocente olhe fixamente em um recipiente com água.

Pôr-se-á uma pedra na porta do templo durante todo o tempo que durar o ofício. A criança estará vestida com uma túnica branca. Realiza-se esse ritual do pinheiro em templos subterrâneos ou em qualquer caverna do bosque.

Toda criança é clarividente durante os quatro primeiros anos de idade. Se nossos discípulos querem despertar a divina clarividência, precisam reconquistar a infância perdida. Os Átomos da Infância vivem submersos em nosso universo interior. Precisamos despertá-los para uma nova atividade.

Quando esses átomos infantis surgem das profundezas da consciência para reaparecer em nosso sistema objetivo e secundário, reconquistamos a infância perdida e vem o despertar da divina clarividência.

Por meio do verbo, podemos fazer com que esses átomos infantis subam desde as profundezas da consciência até a superfície exterior.

O bendito e Venerável Guru Huiracotcha falou-nos em seu livro Logos, Mantra, Magia sobre o verbo sagrado da luz e disse-nos que tínhamos de começar a soletrar pouco a pouco, como faz a criança quando começa a pronunciar a palavra Mama (mamãe).

Nesse livro, o Mestre Huiracotcha falou do poder maravilhoso da vogal M, mas como o grande Mestre falou em chave, somente os Iniciados entenderam.

Quem quiser reconquistar a infância perdida, deve começar vocalizando as sílabas infantis.

Vocalizem as palavras MA-MA e PA-PA, subindo a voz na primeira sílaba de cada palavra e baixando na segunda sílaba de cada palavra.

Durante a prática, a mente deve assumir uma atitude totalmente infantil.

O elemental do pinheiro possui aura muito branca, imaculada

Assim, despertará a divina clarividência em nossos discípulos sob a condição da mais perfeita castidade.

Durante o ritual do pinheiro, o sacerdote se deitará no chão, enquanto a criança estiver observando a superfície cristalina da água.

Em seguida, o sacerdote vocalizará a sílaba AU várias vezes.

Sobre a criança, põe-se um ramo de pinheiro. Esse ramo fará sombra sobre a cabeça da criança, mas não tocará na cabeça dela.
Então, a criança verá clarividentemente o lugar desejado.

Bastará que se ordene a criança ver, que ela verá. Ordena-se imperiosamente ao elemental do pinheiro para que mostre à criança a pessoa, o ambiente ou o lugar que nos interesse. Implora-se também a ajuda do Espírito Santo durante esse trabalho ritual do pinheiro.

Nossos discípulos devem trocar o processo do raciocínio pela beleza da compreensão. O processo do raciocínio divorcia a mente do Íntimo. Uma mente divorciada do íntimo cai no abismo da magia negra. A razão é um delito de lesa majestade contra o íntimo. Todos os grandes raciocinadores são habitantes do abismo.

A razão divide a mente com o batalhar das antíteses. Os conceitos antitéticos convertem a mente em um campo de batalha. A luta de conceitos antitéticos fraciona o entendimento, convertendo-o num instrumento inútil. Uma mente fracionada não pode servir de instrumento ao íntimo. Quando a mente não pode servir de instrumento ao Íntimo, converte o homem em um ser cego e torpe, escravo das paixões e das percepções sensoriais do mundo exterior.

A mente que e escrava dos sentidos torna a alma inválida como o bote que o vento extravia sobre as aguas. Os seres mais torpes e passionais que existem sobre a terra são precisamente os grandes raciocinadores e intelectuais.

O intelectual devido a falta de um ponto ou de uma vírgula perde o sentido de uma oração. O intuitivo sabe ler onde o Mestre não escreve e escutar onde o Mestre não fala. O raciocinador é totalmente escravo dos sentidos externos e sua alma é tão inválida como o bote que o vento extravia sobre as águas.

O processo da opção divide a mente no batalhar das antíteses. Uma mente dividida e um instrumento inútil. Quando a mente não serve de instrumento ao íntimo, serve de instrumento ao eu animal. Os raciocinadores espiritualistas são os seres mais infelizes que existem sobre a terra.

Têm a mente totalmente entulhada de teorias e mais teorias e sofrem horrivelmente por não poder realizar nada do que leram. Esses pobres seres têm um orgulho terrível e pelo comum terminam separando-se do Íntimo, convertendo-se em personalidades tântricas do abismo. O processo do raciocínio rompe as delicadas membranas do corpo mental.

Quando realizamos uma prática de amor e respeito com o elemental do pinheiro (abraçando a árvore, irradiando pensamentos de amor a ele etc.), nossa aura é purificada com uma poderosa luz branca
Quando realizamos uma prática de amor e respeito com o elemental do pinheiro (abraçando a árvore, irradiando pensamentos de amor a ele etc.), nossa aura é purificada com uma poderosa luz branca

O pensamento deve fluir silenciosa e serenamente como um doce fluir. O pensamento deve fluir integralmente sem o processo do raciocínio. Temos de trocar o processo do raciocínio pela qualidade do discernimento. O discernimento é percepção direta da verdade; sem o processo do raciocínio. O discernimento é compreensão; sem necessidade de raciocínios.

Devemos trocar o processo do raciocínio pela beleza da compreensão. Devemos libertar a mente de todo tipo de desejos, preconceitos, temores, ódios, escolas etc. Todos esses defeitos são travas que amarram a mente aos sentidos externos.

Essas travas convertem a mente em um instrumento inútil para o Íntimo. A mente deve se converter em um instrumento flexível e delicado através do qual o íntimo possa se expressar. A mente deve se converter em uma chama do universo.

A mente-matéria deve se converter em Mente-Cristo.

Há que se controlar a mente por meio da vontade. Quando a mente nos assediar com representações inúteis, falemos assim à mente: Corpo mental, retira de mim essa representação, não a aceito; tu és minha escrava e eu sou teu senhor.

Então, como que por encanto, as representações inúteis que nos assediam desaparecem do nosso entendimento. O corpo mental da raça humana encontra-se até agora na aurora da sua evolução.

Observando clarividentemente a fisionomia do corpo mental dos seres humanos, confirmamos esta afirmação. O rosto do corpo mental de quase todos os seres humanos tem aparência animal.

 

Quando observamos os costumes e os hábitos da espécie humana, compreendemos porque o corpo mental das pessoas tem fisionomia animal. A Kundalini do corpo mental converte a mente-matéria em Mente-Cristo.

Deva Elemental que rege um grupo de pinheiros

Quando a ROSA ÍGNEA da laringe do corpo mental faisqueia ardentemente por entre as chamas universais, o Arhat fala o grande verbo da luz no augusto brilhar do pensamento. A mente deve se tornar completamente infantil.

A mente deve se converter num menino cheio de beleza. O pinheiro é a árvore de Aquário. A magia do pinheiro está totalmente relacionada com as crianças.

O pinheiro é a árvore de Natal. O pinheiro é a árvore do Menino Deus.

Devemos reconquistar a infância perdida. O pinheiro é o símbolo da mente da Nova Era.

Samael Aun Weor, ROSA ÍGNEA

3 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta para RUI Cancelar resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui