Pancho Villa e a Misericórdia Divina

Pancho Villa e a Misericórdia Divina

- emMestres da Senda
3130
Comentários desativados em Pancho Villa e a Misericórdia Divina

Os Mestres da Loja Branca conseguem ajudar alguns mortos destacados que tenham se sacrificado pela Humanidade.

Quando nos propusemos a investigar Pancho Villa, o grande herói da Revolução Mexicana, o encontramos nos Mundos Infernos ainda obcecado com a ideia de matar, ameaçando com sua pistola a todos os habitantes do Submundo. Sem embargo, esse Pancho Villa do Reino Mineral Submerso não é tudo.

O melhor de Pancho Villa vive no Mundo Molecular. Certamente, não alcançou a Liberação Intermediária, que permite a alguns desencarnados gozar de umas férias nos distintos reinos moleculares e eletrônicos da natureza, porém permanece no Umbral, aguardando a oportunidade para entrar a uma nova matriz.

Isso que se reincorpora daquele que foi Pancho Villa não será jamais o Pancho Villa dos Mundos Infernos, o terrível assassino, senão o melhor do General, aqueles Valores que se sacrificaram pela Humanidade, aqueles valores que deram seu sangue pela liberdade de um povo oprimido.

O desencarnado general, ou melhor dizendo, os Valores realmente úteis do general, retornarão, se reincorporarão, e a Grande Lei pagará seu sacrifício, levando-o até a primeira magistratura da nação.

Temos citado o general Pancho Villa de modo ilustrativo para nossos leitores. Esse homem recebeu especial ajuda graças ao grande sacrifício pela Humanidade. Sem embargo, existem no mundo muitas pessoas que não poderiam receber essa ajuda, porque se lhes quitasse tudo o que têm de animal e criminoso, não sobraria nada.

Essa classe de bestas humanas deve entrar nas involuções dos Mundos Infernos da Natureza.

Certo Iniciado sofria o indizível, porque nos Mundos Infernais ele fracassava em todas as provas de Castidade, apesar de que no mundo físico havia alcançado a perfeita castidade. Aquele Iniciado se mortificava, clamava e suplicava, pedindo ajuda superior à sua própria Mãe Kundalini. Sua Mãe Divina o ajudou.

Ela, a Serpente Ígnea de Nossos Mágicos Poderes, rogou por ele, por seu filho, e este foi chamado em Juízo ante os Tribunais do Karma. Os terríveis Senhores do Karma o julgaram e o condenaram ao Abismo, às trevas exteriores onde só se ouvem o pranto e o ranger de dentes.

O Iniciado, cheio de infinito terror, escutou a espantosa sentença. O Verdugo Cósmico levantou a espada e a dirigiu, ameaçador, contra o espantado Irmão, porém, este sentiu que algo se movia em seu interior e, assombrado, viu sair de seus corpos lunares um Eu Fornicário, uma entidade que havia sido criada por ele mesmo em antigas reencarnações.

A perversa entidade fornicária ingressou na involução dos Mundos Infernos e o Iniciado viu-se, então, livre dessas internas bestialidades que tanto o atormentavam.

Realmente, o Ego é uma soma de entidades distintas, diferentes. Não existe um Eu permanente e imutável. O único que existe dentro de nossos corpos lunares é o Eu pluralizado, uma legião de diabos.

Para saber mais sobre as Obras do VM Samael, clique aqui.)

Pancho Villa rodeado de seus melhores homens, os famosos Cien Dorados. Entre eles, estava o comandante Daniel Coronado, anterior encarnação do VM Samael Aun Weor

Posts relacionados

Confira também

Cabeças olmecas – Esculturas de reis afro-mexicanos?

Um dos grandes mistérios antropológicos são as famosas