A arte objetiva no trabalho esotérico

A arte objetiva no trabalho esotérico

- emArte Superior
2837
8

Antes de tudo, devemos sintetizar o que a Gnose nos ensina sobre a Arte: é uma das quatro colunas do conhecimento, juntamente com a Ciência, a Filosofia e a Mística. Pois, nas obras o artista expressa o que leva em seu interior. Se o artista é um Mestre (que desenvolveu plenamente o conhecimento das quatro colunas) pode nos transmitir uma grande sabedoria.

Aprendendo a apreciar os quadros de Leonardo da Vinci, as sinfonias de Mozart ou Beethoven, ou as esculturas gregas, vamos descobrir o ensinamento que está ali oculto, e sentir emoções sublimes, superiores.

Portanto, a Arte transmite conhecimento quando é Objetiva (quando a pessoa que a realiza tem conhecimento e, portanto, consciência desperta) e, no contrário, é subjetiva, se expressam ali os egos.

O mesmo ocorre com a pessoa que observa, se está adormecida, não sente nada superior, o ego não lhe faz entender, no entanto, o mistério de tais obras pode provocar profundas inquietudes…

Posso afirmar isso, pois tenho conhecimento de causa, quando era um jovem com meus 14 anos, mais ou menos, tinha muito interesse por investigar, mesmo de uma forma intelectual, todas essas maravilhas deixadas pelas civilizações antigas: as pirâmides do Egito com suas medidas astronômicas (portanto Arte e Ciência), as maravilhosas construções de pedra feitas tanto na América como em outras partes do mundo (como teriam cortado pedras tão enormes e levado por dezenas de quilômetros, sem rodas ou cavalos, como ocorreu em Cusco, no Peru, e sendo encaixadas perfeitamente rocha sobre rocha, de tal forma que nem um fio de cabelo poderia entrar entre duas delas?).

Por que tantas pirâmides ao redor do mundo? Por que na Índia e na Grécia os deuses se mostravam nas esculturas com corpos tão sensuais? Qual é a magia da luz dentro de uma catedral gótica? Qual foi a inspiração de Michelangelo para retratar de forma tão poderosa o desenrolar da História do Ser Humano?

É claro que essas inquietudes, aliadas a outras mais inquietantes, me levaram a buscar a Gnose na primeira vez que li sobre ela, e me enchi de entusiasmo arrebatador.

Pois já na primeira conferência se falava sobre Arte, e esperava que me ensinassem a poder contemplá-la, mas não foi bem assim.

Devemos retornar a nos concentrar em quadros objetivos, para extrairmos conhecimento, mas para isso devemos estar praticando intensamente a morte-em-marcha; devemos nos encher do aroma das rosas, das paisagens idílicas, da natureza que possui conhecimento, mas para isso temos de estar transformando todas as impressões, não se identificando com tais paisagens, senão vamos mal, vamos adormecidos.

E o que diremos da música clássica, das palavras poéticas que dizemos ao ser amado, do canto dos pássaros, do pór do sol, de uma conferência, de nossos gestos, da decoração de nossas casas… se vamos adormecidos, e o ego é que se expressa, é uma arte subjetiva, degenerada.

Se morremos em nós mesmos, e temos de morrer, a consciência vai se expressando mais, e, portanto, na medida do trabalho, vamos nos aproximando da Arte Objetiva e das emoções superiores.

No estado em que estamos podemos aplicar uma DISCIPLINA quanto a arte subjetiva, como, por exemplo, evitar a propaganda apelativa que enche as revistas, evitar a televisão, o cinema com sua violência, o teatro orgíaco, os quadros que se fazem desagradáveis, os lugares poluídos, a música de frenesi que tem fundo pornográfico…

Não devemos ser fanáticos, não devemos fugir do ginásio psicológico, para evitar tudo isso devemos praticar a morte-em-marcha intensamente.

Morrendo em nós mesmos vamos tirar conhecimento até dessas manifestações subjetivas.

Temos de compreender que tudo isso de fora não é culpa dos outros… é reflexo do que nós temos dentro, mudando nosso interior mudaremos nossa forma de expressar.

O VM Samael afirma que é necessário transformarmo-nos em super-homens, ter transmutado a energia sexual e nos tornarmos gênios. Diz Samael:

“O Iniciado ama a música dos grandes clássicos e sente repugnância pela música infernal das pessoas vulgares. A música afro-cubana desperta os mais baixos fundos animais do homem. O INICIADO ama a música dos grandes compositores. Por exemplo, A Flauta Encantada de Mozart nos recorda uma INICIAÇÃO EGÍPCIA. Existe íntima relação entre o verbo e as energias sexuais. A palavra do Grande Mestre Jesus se CRISTIFICOU, bebendo o VINHO DE LUZ do alquimista no cálice da sexualidade.”

“A alma comunga com a Música das Esferas, quando escutamos as nove Sinfonias de Beethoven ou as composições de Chopin, ou a divina Polonaise de Listz. A música é a palavra do Eterno. Nossas palavras devem ser música inefável; assim sublimamos a energia criadora até o coração. As palavras asquerosas, sujas, imodestas, vulgares etc. têm o poder de adulterar a energia criadora… de convertê-la em poderes infernais.

“Nos Mistérios de Elêusis, as danças sagradas, os bailes desnudos, o beijo ardente e a conexão sexual convertiam os homens em deuses. A ninguém ocorria, então, pensar em porcarias, senão em coisas santas e profundamente religiosas.”

“As danças sagradas são tão antigas como o mundo e tem sua origem no amanhecer da vida sobre a Terra. Os bailes súfis e os dervixes dançantes são tremendamente maravilhosos. A música deve despertar no organismo humano para falar o verbo de ouro.”

Até aqui, o VM Samael nos fala sobre a Música, a Dança, o cuidado com a fala (o Verbo), tudo isso no livro O Matrimônio Perfeito, em outro livro constatamos que ouvindo as inefáveis músicas de Beethoven, Mozart e Bach, entre outros, desenvolvemos o centro Emocional Superior (A Doutrina Secreta de Anahuac), é claro que Beethoven foi um Iniciado que amou intensamente sua Mãe Divina e transmitiu em sua obra todo esse trabalho titânico. Mais à frente no mesmo texto do Matrimônio Perfeito o mestre nos fala com o cuidado com a casa, com nosso lar:

“A casa dos Iniciados Gnósticos deve estar cheia de beleza. As flores que embalsamam o ar com seus aromas, as belas estátuas, a ordem perfeita e o asseio fazem de cada lar um verdadeiro SANTUÁRIO GNÓSTICO.”

Qual a importância da escultura, da beleza, da ordem, na psique, isso o mestre explica no capítulo Beleza, do livro O Mistério do Áureo Florescer, na conclusão de uma narração de Waldemar:

“…”Se belos seres criam belas estátuas, estas obram de novo sobre aqueles e o Estado há de agradecer às belas estátuas os belos cidadãos. Entre nós, a delicada imaginação da mãe só parece exteriorizar-se em monstros”.”

“Necessário é regressar ao ponto de partida original e cultivar, com singular anelo, a beleza de espírito…”

“A recâmara nupcial deve converter-se no templo da arte; ela é, em si mesma, o centro magnético do amor.”

“As mulheres de santa predestinação não devem perder, jamais, a capacidade de assombro…”

“Contemplai, ó Filhas de Vênus! As divinas esculturas de vossa habitação, a fim de que o fruto do vosso amor seja realmente belo…

“Criai belezas, eu vos digo, em nome do amor e da verdade.. Sede felizes, bem amadas! Sede ditosas com vossas criações …”

“A alcova nupcial é o Santuário de Vênus, não a profaneis, jamais, com pensamentos indignos.

Portanto, procurando a concentração em belas obras de arte, na música, na escultura, nas palavras dignas e pensamentos elevados, tudo isso nos ajudará a melhorar, mas o fundamental é a Morte, de forma radical, senão o resultado seria extremamente incipiente.

Na poesia, o exemplo é Goethe adorando sua mãe Divina:

Virgem pura no mais belo sentido
Mãe digna de veneração por nós
Rainha eleita por nós
e de condição igual aos Deuses.

Ou Dante Alighieri, que na sua Divina Comédia ilustra de forma direta sobre o Inferno, Purgatório e o Céu.

Enquanto a pintura, além de representar as paisagens da natureza, pode criticar intensamente o estado animalesco que está a humanidade, assim cita nAs Três Montanhas, no capítulo A Igreja Gnóstica:

“Com tantos e quantos berros, aulidos, silvos, relinchos, chiados, mugidos, grasnidos, miados, ladridos, bufares, roncos e crocitares segue ouvindo o vidente poeta, falando-nos com palavras que são pinceladas lívidas e fosfóricas de El Greco, em aparições extraordinárias, como as Os Caprichos de Goya.”

No mesmo capítulo, ao descrever a Igreja Gnóstica, na dimensão astral, o mestre mostra sua arquitetura transcendental:

“Templo de mármore luminoso que mais parece de cristal por suas raras transparências.”

“O terraço daquela igreja transcendida dominava, invicto, como uma acrópole gloriosa, o âmbito solene de um sacro pinheiral…”

“Dali, o constelado firmamento resplandecente podia ser contemplado como outrora, nos tempos atlantes; aqueles hoje sepultados templos lembrados pela extraordinária poesia de Maeterlink; dos que Asura-Maya, o astrônomo discípulo de Narada, faria as observações prévias para descobrir seus ciclos cronológicos de milhares de anos, ensinando-os, depois, aos seus amados discípulos, à luz da lua pálida, qual hoje praticam seus devotos sucessores.”

Com o trabalho com a Morte, iremos desenvolver as quatro colunas dentro de nós, mas já devemos traçar uma DISCIPLINA dentro de nós, e com toda a Arte ao nosso redor, para irmos nos preparando para quando desenvolvermos o mental superior e o emocional superior.

O trabalho com o Nascer é fundamental, assim nos mostram os templos indianos com os casais divinos se amando, temos que desenvolver nossas faculdades, pois hoje como estamos vamos ainda muito mal.

E o Sacrifício pela Humanidade, pois na Arte se expressa, se expressa não para si, mas para os demais, para poder entregar o conhecimento, para poder amar profundamente toda a Humanidade.

E é isso somente que queremos, amar profundamente toda a Humanidade!

(Luciano Moraes, Retratista, pintor e poeta)

Posts relacionados

8 Comments

  1. voces dizem que apenas a arte dos mestres nos transmitem conhecimento mas se olharmos com olhar gnostico para o mundo veremos como em o labirinto di fauno a menina, no final , se recusa a entregar o recem nascido ao fauno em troca do reino magico que lhe prometera, isso ilustra bem a parte da senda em que temos que enfrentar lucifer o treinador psicologico, e etc

    1. Sendo mestres de Consciência desperta, Eles conseguem nos passar, se assim desejarem, o Conhecimento pelo Raio da Arte de uma forma completa.
      Já esses fragmentos que vemos no teatro, no cinema, nas novelas, são extremamente fragmentários e muitas vezes mais confundem que iluminam nosso Caminho Interno.
      Não se deve confundir falas, seres, objetos jogados aleatoriamente nessas obras subjetivas com a Arte Superior…

  2. Vou explicar o barco samsárico mais uma vez. Bom, quando despertamos depois da pergunta, de onde viemos, para onde vamos e quem somos começamos a perguntar se existe Deus, até os primeiros hominídeos meio amacacados começaram a perguntar isso, algo intríseco como Deus Trovão, Deus Fogo e tudo mais. Com o passar dos tempos e dias o homem começou a se refinar e a criar um sistema como a escrita e a filosofia, tudo em busca de respostas para a tal pergunta de três questões..risos. Afinal, depois de muito experienciar e muito sentir o interno e buscar no insconsciente coletivo respostas montou-se as primeiras religiões e isso trouxe adeptos que as refinaram e ensinaram de geração em geração. Sou reencarnacionista, ou seja, acredito em reencarnação e isso promove o fato de que muitas pessoas tiveram de encarnação em encarnação a mesma filosofia religiosa e que depois de montar no seu interno ou SER a sua síntese passaram para outra religião geralmente encarnando em outros países no meio de pessoas diferentes e assumiram novas filosofias. Disso provém a inspiração e desejo por determinada religião, aspiração por determinada religião por puro e intríseco desejo. Quem sabe se um dia no passado vc não pertenceu à outra religião e hj acha que não precisa mais dela e quer achar outra??? É por isso que devemos respeitar as escolhas de outrem pois não se sabe se ela já não passou pelos caminhos que hj vc trilha??? Converse sem preconceito e troque idéias sem temor repeitando a condição do próximo, acredito que as divergências se tomadas jovialmente e com bom humor serão motivos de diversão mútua.

  3. Bom, e as outras religiões??? Bom, Samael se propôs a fazer uma síntese delas para criar um “CREME DE LA CREME” do conhecimento e saber do mundo, para facilitar o aprendizado e iluminação da consciência. Muita gente diz que é uma mistureba de coisas mas isso tem um sentido oculto que é reunir o rebanho perto de um único pastor. Isso para evitar guerras espirituais, coisa proíbida pois não tem um que não definhe com isso.

    É errado colocar o dedo na cara de outrem que acredita em outra religião pois o Kabir disse: “Não condene a felpa no olho do próximo sem ter percebido a trave na sua”

    Ninguém é dono da verdade no todo, só um à possue que é o KABIR TOTAL, deixo para outro mencionar pq não ouso fazê-lo aqui.

    Se uma pessoa se sente bem com determinada filosofia, cria uma esfígie mental com ela e a usa para experienciar filosoficamente e acho e acredito fielmente que é crime atentar contra isso ou determinada pessoa pois ela pode perder o seu barco psicológico e filosofal e entristecer. Só faça isso se estiver preparado com um iate luxuoso como backup OK. Pq disso, pq é um crime e falta de compaixão guerra celestial ou religionária, respeite primeiramente o próximo e sua economia psicológica e se quiser veêmente ela na sua religião, ofereça algo melhor filosoficamente. Geralmente isso acontece depois da pessoa se saciar com a antiga e procurar algo novo, espere e se apresente.

  4. Ressurecto SAW

    Todo trabalho desde que seja feito com louvor, ascepcia e honestidade é santo. O trabalho é lei desde que se instituiu a existência e o existencialismo.

    Mas oque é o existencialismo??? Pq experienciar??? Se somos criados à imagem e semelhança do PAI (isso na nossa essência mais íntima onde mora nossa herança celestial e nosso presente único)

    Quando fomos criados, embora à imagem do PAI, não hangariamos saber de nossa condição, embora com todo o saber intríseco não existimos como conhecimento ou experiÊncia por não ter colocado à prova nosso saber. Acordamos como seres diante Dele mas simples e humildes no sentido de não sabermos de nós mesmos como filhos celestiais e donos do nosso reino preparado por Ele, então o PAI criou o existencialismo para dar tempo para o FILHO se conhecer e experiênciar e assim ter a única e fervorosa realização existencial de saber sua filiação e entrar em alegria plena por descobrir seus direitos como SER e como filho. É a volta ao reino de Deus depois de tanto apanhar com a nossa inoscência e acordar para o caminho verdadeiro. Contraste, se resume à isso, contraste.

  5. Bom dia

    frequentei gnose entre 1998 e 1999 aprox.
    o conhecimento é arraigado desde então e a morte em marcha constante. A disciplina de selecionar a qualidade do que entra em nossas percepções, não se expondo ao lixo midiático… é consequência da “higiene” mental propiciada pela morte em marcha. Sou artista, fotógrafo conceitual, ao ler esse texto entendi um pouco do meu “olhar fotográfico, ou poética. Gostaria de sua opinião, se é arte objetiva ou subjetiva. Saudações reverenciais, Ordilei

    1. Ordilei, se o seu trabalho parte de seu coração e do conhecimento esotérico que você adquiriu ao longo de sua vida, então a possibilidade de sua arte ser cada vez mais objetiva e benéfica ao próximo será maior.
      Faça com consciência e conhecimento superior, e seu trabalho será benéfico ao próximo, com certeza…

      1. ok, ,as de sua opinião por favor.

        http://www.ordicalder.com

        pode ser por e-mail

        sds

        Ord i Lei

Comments are closed.

Confira também

Anjo Adonai, o Filho da Luz e da Alegria

O venerável mestre Samael Aun Weor, com seus