Samael e suas experiências com fantasmas

Samael e suas experiências com fantasmas

- emParapsicologia
3547
22

Pergunta: O senhor já viu alguma vez um fantasma?
Samael Aun Weor: Alguns creem em fantasmas, outros duvidam e também há aqueles que zombam. Eu não preciso acreditar, duvidar ou rir, para mim os fantasmas são um fato.

P: Confirma que os viu?
SAW: Meu amigo, não será demais relatar um caso deveras interessante. Eu era ainda muito jovem e ela se chamava Ângela. Era uma namorada um tanto singular; hoje já é morta. Certo dia, quando ela ainda estava viva, resolvi me afastar sem me despedir.

Dirigi-me às praias do Atlântico e pedi hospedagem na casa de uma senhora idosa; nobre mulher que não me negou sua hospitalidade. Passei a morar em uma sala cuja porta dava diretamente para a rua.

Minha cama era um catre de lona estilo tropical e como quer que havia muito mosquito, pernilongo etc., protegi-me com um cortinado fino e transparente. Uma noite jazia em meu leito dormitando quando de repente alguém bateu três vezes compassadamente na porta.

No instante em que me sentei para levantar e sair para abrir a porta, percebi um par de mãos penetrar através do mosquiteiro. As mãos se aproximaram perigosamente e me acariciaram o rosto. Mas a coisa não ficou nisso.

Após aquelas mãos apareceu todo um fantasma humano que se assemelhava àquela namorada que, francamente, não me interessava. Chorava o angustiado fantasma dizendo-me frases como estas: “Ingrato, te afastaste sem te despedires de mim e eu que tanto te queria, que te adorava com todo o meu coração! Etc.”

Quis falar, mas foi inútil porque minha língua ficou presa; então mentalmente ordenei ao fantasma para que se retirasse imediatamente. Novos lamentos e novas recriminações. Depois disse: Me vou. Se afastou devagarzinho, devagarzinho… e quando vi que a aparição ia embora, um pensamento novo, uma ideia especial surgiu no meu entendimento.

Disse para mim mesmo: este é o momento de saber que coisa é um fantasma, do que está feito e o que tem de real. Obviamente, ao pensar deste jeito, desapareceu de mim todo o temor, a língua se destravou e pude falar.

Então ordenei ao fantasma: Não, não se vá, volta, preciso conversar contigo. O fantasma respondeu: Bom, volto, está bem. Não será demais dizer que a palavra foi acompanhada de ação e voltou o fantasma para mim.

A primeira coisa que fiz foi examinar minhas próprias faculdades para ver se estavam funcionando certo. Não estou bêbado, pensei, não estou hipnotizado nem sou vítima de alguma alucinação. Meus cinco sentidos estão bem, não tenho porque duvidar.

Um vez que já verificara o bom funcionamento de meus cinco sentidos, passei a examinar o fantasma. Dá-me a tua mão, disse à aparição. Ela não me recusou e me estendeu a sua destra.

Tomei o braço da singular figura que tinha a minha frente e pude notar uma batida rítmica normal como se tivesse coração. Auscultei-lhe o fígado, o baço e tudo funcionava bem, porém a qualidade daquela matéria mais parecia ser de protoplasma, substância gelatinosa que às vezes se assemelha no tato ao vinil.

Executei todo aquele exame à luz de uma lanterna acesa e ele durou uma meia hora aproximadamente. Depois, despedi o fantasma dizendo-lhe: “Já podes retirar-te. Já estou satisfeito com o exame”. E o fantasma, repetindo as suas múltiplas recriminações, retirou-se, chorando amargamente.

Momentos depois, a dona da casa bateu na porta. Ela pensava que eu não havia respeitado sua casa. Veio me dizendo que me alojara somente a mim e estranhava que estivesse admitindo mulheres no quarto. “Minha senhora, você se engana”, foi minha resposta.

Não trouxe mulher alguma aqui. Fui visitado por um fantasma e foi tudo. Naturalmente, contei-lhe o que acontecera. A dama terminou se convencendo e estremeceu quando percebeu o frio espantoso que havia no quarto, apesar do clima quente; isso lhe pareceu definitivo para confirmar a veracidade do meu relato.

Anotei o dia e a hora da ocorrência e mais tarde, quando me encontrei outra vez com aquela noiva, contei a ela tudo que acontecera.

Ela se limitou a dizer que naquela noite e àquela hora dormia e sonhava que estava em algum lugar da costa atlântica e que conversava comigo em um quarto parecido com uma sala. Então concluí comigo mesmo: ela se deitara pensando em mim e seu fantasma me visitara.

Samael Aun Weor

22 Comments

  1. Vi um caso de uma garota que dizia está rodeada por um homem, era muito estranho porque ninguém via nada somente ela via esse homem.

  2. Interessante, gostei desse texto.

  3. sempre vi aparicoes de fantasmas vultos quando menor a ultima foi a um ano …mas de um tempo pra ca ouvi sussuros de frases como ” )pouco tempo”” ou me chamando me ajudem pf

    1. Alguns de seus Chakras estão despertos, porém, não de forma controlada. Você pode escrever as Cartas Astrais suplicando ajuda aos Mestres da Grande Loja Branca para que realinhem seus chakras…

  4. Olá Pessoal !
    Tenho 13 Anos .
    Ultimamente Venho Me Enteressando Muito Pelo Paranormal .
    Ontem Pelas 0:45H Eu Estava No Quarto Pesquisando Sobre Relatos De Aparições De Fantasmas , Tudo Escuro Na Casa A Não Ser A Luz Do Display Do Meu Celular , No Quarto Tava Eu E Meu Irmão De 5 Anos , Ele Estava Dormindo Na Cama Do Lado , Da Minha Cama Dá Para Ver Em Baixo Da Cama Dele , Ví Alguma Coisa Em Cima Da Cama Do Meu Irmão , Depois Ví Embaixo Também Então Resolvi Virar O Celular Pra Lá Para Ver O De Que Se Tratava , Não Havia Nada Então Voltei A Pesquisar No Celular , De Repente Deu Aquele Frio Na Barriga E Eu Sabia , Estava Sentindo Que Tinha Alguem No Quarto Olhei Para O Lado E Ví Um Vulto Branco, Bem Rapido , Reuní Forças Para Saír Da Cama , Me Levantei , Acendi A Luz Do Quarto Abri A Porta Acendi A Luz Da Sala E A Da Cozinha , Me Joguei No Sofá Liguei A TV E Fui Assistir , Não Acordei Ninguém Por Que Se Fosse Fazer Isso , Todos Diriam Que Eu Tava Ficando Louco , 10 Minutos Ou Mais Depois Disso , Meu Pai Chegou Do Trabalho , Fiquei Mais Tranquilo .
    A Alguns Meses , Descobri Que Dos Antigos Donos Da Casa , Uma Idosa Havia Falecido No Último Quarto Da Casa , Ainda Bem Que Não Foi No Meu , Espero Que Ela Não Venha Me Visitar .
    Por Favor , Digam-Me Do Que Se Trata
    Espero Que Não Seja Coisa Ruim.
    Abraço A Todos Os Leitores E ADM’s Do Site.

    1. Bem amiguinho, procure não ficar lendo esse assunto especificamente no escuro, com todos dormindo… Como o Mestre Samael diz no texto, fantasmas existem. Mas a nossa mente também pode criar imagens, nos pregar peças e etc. Pense em coisas boas antes de dormir, peça a sua Mãe Divina que lhe proteja e pode ficar tranquilo.

  5. Ola, Quando eu morava na casa dos meu pais, eu sempre via vultos, passos pela casa e voses, ja ouvi me chamarem e meu nome, e até segui mais acabou atras da casa numa parede, na verdade a casa dos meu pais , é muito pertubada, ja qeimo duas veses e sem motivo. tipo é um ambiante muito pesado. Mais axo q é pq meu pai ele chinga muito bebe demais e maltratava muito agente assim ele atrai muitas coisas ruim, nus tenho minha casa e nus aki é muito diferente d la aki tem paz e uma tranquilidade,
    Antigamente a mae do meu pai tinha uma chacra, ai apareceu uma pessoa disendo q la tinha muito ouro qe eles tinham q cavar o local, ai forao cava e falarao q qando acharao e forao pega tava cheio de minhocas brilhantes, depois disso começo o inferno, incoporava sei la oke no meu tiu e começava a dar risadas e a falar coisas a casa tremia .. nuss bem cabuloso e eu axo qe isso ta vindo d geração a geração, como fasso pa acabar com isso???

    grata

    1. Certamente é um local “carregado” psiquicamente. Deve-se pedir a orientação de um paranormal ou um radiestesista experiente.
      Ou é um local que possui isso que se chama de Chakra Planetário, um portal interdimensional, ou pode ser um antigo cemitério (indígena, por exemplo), ou local onde houve uma tragédia (assassinato).
      Enfim, temos diversas opções…

  6. Célia Ribeiro

    Isso nada nais é que Experiência Fora do Corpo ou OBE em inglês. A Parapsicologia estuda este e outros fenômenos.
    Abraço fraterno!

  7. hoje pela manhã minha vó estava deitada, pórém acordada. quando ouvimos seus gritos em desespero. tomamos um susto pensarvamos que ela estava passando mal. então corremos todos para o quarto.e ao chegar ela pediu que nos as segurassem. perguntamos o que ela estava sentindo? foi quando ela diss que algo grande da altura da porta algo grande e o rosto não tinha formato estava puxando ela da cama. ficamos asssutados, pois apesar dela ter 87 anos é uma pessoa lúcida e nunca hávia acontecido isso antes. a pressão dela estava ótimo e o pulso tabem.
    o impressionante foi que quando entramos no quarto suas pernas estavam esticadas e o braços para fora da cama como se estivessem puxando relmente ela. nossa!!!! foi assustador. eu gostaria que alguém podesse me ajudar a entender o que de fato aconteceu. só sei dizer que foi réal o que aconteceu.
    Alguém me ajude porfavor?

  8. fantasma saõ espiritos perdidos

  9. Por favor me responder porque depois da meditaçao sinto uma força enorme na ponta dos dedos e na palma das minhas mao preciso desta resposta urgente por favor porfavor mesmo me responda

  10. MarceloFelipe

    Este texto faz sentido em certa parte. Tenho o palpite de que o corpo astral da moça estava acompanhado de algum ego maligno, por isso o clima frio e tenebroso da sala. Bem, amigos, lembremo-nos que os egos acompanham nossas piores sensações, isto é, rejeição não é uma exceção. O que me intriga neste relato, é a atitude cruel de Samael em relação à moça, gostaria que ele ao menos buscasse se redimir com a mesma. Acredito que ela o perdoou pelo o fato de voltar a conversar e explicar que estava dormindo e sonhara com o mestre Samael.

  11. A procura da espiritualidade e auto-conhecimento

    Saudações aos amigos leitores aqui presentes. Saudações também ao dono do blog, Gnosis Online. Sou uma pessoa muito curiosa e cheia de dúvidas. Nasci em uma família católica, e experenciei coisas muito estranhas na minha infância. Quando criança, eu tinha um medo muito grande do escuro e não raramente via coisas estranhas perto de mim. Uma vez, quando estava passando pela área exterior de minha casa, à noite, fiquei muito assustado quando vi no alto de uma janela um chifre que parecia pertencer a uma cabeça de aspecto escuro – não era possível identificar se havia ou não uma cabeça ao qual pertencesse esse chifre, mas havia, pelo menos para mim, uma vaga noção de que havia algo sobrenatural, como que se houvesse um contorno de um corpo, mais precisamente de uma cabeça. Eu “vi” esta cabeça dotada de chifres como se ela estivesse andando de perfil, de forma semelhante como um motorista vê um pedestre atravessar a rua, só que de uma perspectiva inferior, olhando de baixo para cima. Tinha por volta de 8 anos nesta época, perguntei aos meus amiguinhos se eles também tinham visto, mas a resposta foi negativa. Há um relato semelhante nesta página do blog, de uma menina que vê um boi com chifres ao descer do porão – mas logo advirto que não foi um boi que vi, não tinha forma específica, parecia mais um demônio, na minha lembrança que recordo desta época. Tenho muitas experiências que queria compartilhar e, se possível, gostaria de obter alguma explicação segundo os conhecimentos atuais da doutrina gnóstica: já tive experiências com vozes que falavam ou riam muito próximo a mim, com se estivessem sussurrando ao meu ouvido, além de impressões de vultos, sonhos estranhos – tanto bons (estar sentado em uma planície verdejante, onde o vento soprava delicadamente com um frescor indescritível), quanto ruins ( sonhos em que ia ao inferno, ou que o diabo, segundo o que eu julgava ser ele, vinha até minha casa, junto com seus demônios, e ela começava a queimar enquanto o diabo se transformava em mulher e começava a se ensinuar para mim) – além de experiências com pontos de cores que vejo freqüentemente em minha visão, quando escuro e espécies de “raios” que via em minha infância, que caiam ao meu redor. Devo contar também que passei durante a minha adolescência e recém maturidade por uma espécie de negação e dúvida da existência divina, e que neste período deixei de ver os tais vultos e escutar as vozes, enquanto que a experiência das cores ainda existia com menor freqüência. Atualmente, depois que recuperei uma certa confiança em Deus, após uma grande experiência traumática de minha vida, voltei a experimentar sensações estranhas e até mais fortes do que as que eu tinha na infância.As vezes sinto uma forte força na cabeça, acompanhada de chiados e sons que parecem pulsar com muita velocidade.Recentemente, em uma noite, tive essa estranha sensação enquanto estava tentando dormir, e, de repente, escutei um ronco que vinha de minha própria cama e fatalmente não era eu que roncava, fiquei com medo e ascendi a luz e tive a impressão que tinha um criança ou anão dormindo em minha cama – apaguei e ascendi a luz várias vezes, e tive a impressão de ver um contorno, com cores, na transição entre claro e escuro. Por favor, me explique o que são essas sensações. Isso é alguma espécie de dom? Eu ainda não aceitei muito essa idéia de paranormalidade.

  12. buscadora aprendiz

    Quando tinha entre 10 e 12 anos de idade, passei a notar vultos que passavam muito rapidamente por nós. Meu irmão mais novo e minha mãe também os viam. Foi mais ou menos nessa época que uma tia faleceu, gravemente doente. Minha mãe foi ao velório. Passamos, então, a sentir a presença dela em casa, e, um dia, a vimos, de pé, parada frente a uma porta.
    Ela era uma mistura de sentimentos: tristeza, mágoas, raiva; às vezes parecia sorrir; outras, surgia má, em meus sonhos… Realmente, pode-se observar como o fantasma que resta do defunto é um feixe de “eus”… acabamos exorcizando-a… (seu estado psíquico só piorava, e nos atrapalhava muito…)

    Então, passei a temer ver e ser atormentada por fantasmas… E, quanto mais temia, mais via e era atormentada… Quando me aprofundei mais nos estudos esotéricos, fui percebendo do que se tratavam os fantasmas, compreendendo sua natureza… Parei de temê-los, pensei que não queria mais ver e sentir esse tipo de presenças, já que a mediunidade é algo prejudicial, e eu não queria me tornar médium. Pensei, com firmeza, que não podiam atravessar meu campo magnético (como diz Mestre Eliphas Lévi, em “A Chave dos Grandes Mistérios”, o mago vence fantasmas, larvas e feitiçarias se exercitar sua Vontade…). E assim ocorreu e ocorre, ainda. Raramente tenho visitas indesejadas em sonhos e já não sou atormentada por expectros… Se nos fazem algum “trabalho de feitiçaria” ou nos contaminamos em certos lugares, realizamos as técnicas de Defesa Psíquica… :)

    Sou muito grata a Deus, à Deusa, aos Mestres e a este site…

  13. gente d deus quando eu tinha uns 12 anos eu era muito perturbada depressiva e cheia de magoas…vivia dizendo nomes feios tipo demonio e por aí vai…certa noite eu estava descendo as escadas do sotão onde eu dormia no casarão velho e caindo aos pedaços onde eu morava estava tudo escuro e quando eu olhei pra escuridão vi uma fumaça que se formou um rosto parecia de um boi com chifres que me olhava e sumiu…eu fiquei imovel tremendo ñ acreditando no q havia visto… será q era um demonio mesmo?

    1. Podem ser entidades psicológicas de tua criação, algum eu diabólico criado por sua mente, justamente esse que cria impropérios, ofensas, palavras de baixo-calão etc.
      O verbo, a palavra, as pronúncias, criam essas entidades.
      Por isso na Magia se ensina a cuidar da palavra pronunciada.
      Deve-se sempre usar termos positivos, como bênçãos, alentos, positividade etc.
      Nunca palavras negativas, como maldição, demônios, que azar, eu não tenho sorte e outras negatividades, pois tudo isso atrai a “energia afim”…
      Um ensinamento dado na Gnose é proferirmos diariamente a frase:

      “Que todos os seres sejam felizes
      Que todos os seres sejam ditosos
      Que todos os seres vivam em paz.”

      (por 3 vezes, e em seguida vocalizar o mantra de cristalização AOM também por 3 vezes.)

  14. carlos santos

    Caros amigos, é com grande prazer que mais uma vez participo de uma rodada de opiniões aqui no gonosis on line.Bem neste caso especifico,o ocorrido trata-se de uma experiencia extra corpórea,devido a uma sintonização entre SAW e a pessoa.Nos casos de fenômenos espiritas são os próprios espíritos que recorrem a pessoas mediunicas para pedidos de socorro,ajudas e afins.Já fenômenos fantasmagóricos ocorrem em geral quando geramos formas de pensamentos ,estas direcionadas a determinados fins,bons ou ruins.Estes pensamentos moldan-se protoplásmicamente através da fusão de diversos pensamentos análogos,podendo assim constituiren-se em cópias humanas.Desta forma ao presenciar-mos estes fenômenos temos a nitida certeza de que são espíritos.

  15. Ok… Mas eu sempre pensei que o corpo astral não interferisse com a 3a dimensão… Que fossem coisas distintas! Como é possível algo que está a dimensões superiores ser percebido por uma que está a duas antes da mesma (no caso a terceira dimensão)?

    1. Em determinados lugares (que os místicos chamam de “portais interdimensionais”) e circunstâncias (rituais, trabalhos mágicos, pessoas altamente sensitivas) essas visitas são factíveis…

  16. o mestre samael falou sobre isso e essa experiencia que o mestre teve foi um fnomeno espirita

  17. Fantasma nao espirito que sai do corpo e vai aonde quer estar em um determinado momento

Comments are closed.

Confira também

EVENTOS GNÓSTICOS Novembro, Dezembro, Janeiro, Fevereiro

Saudações fraternas. Nestes próximos meses teremos os seguintes