Grandes mulheres da história

Grandes mulheres da história

- emMulher Gnóstica
5010
5

Ao contrário do que muitos conjecturam, o Caminho da Iluminação Espiritual pode e deve ser trilhado pelas mulheres, pois em seu interior existem os mesmos elementos negativos e os elementos positivos. Dentro da mulher, obviamente com pequenas particularidades, também se manifestam tanto os defeitos psicológicas quanto as virtudes anímicas.

Claro que elas não foram muito citadas por causa de nossa sociedade patriarcal, machista, que menospreza e até reprime as mulheres líderes, sábias e triunfantes. O que a Gnose sempre defende como uma sociedade justa não é nem uma estrutura patriarcal, nem matriarcal, pois são polos contrários que se alternam ao longo da história (graças a inúmeros fatores, como o astrológico, psíquico etc.), mas uma sociedade “matrística”, onde homens e mulheres se harmonizem, se respeitem e se amem para um bem comum.

A ideia de uma sociedade “matrística” refere-se a que tanto homens quanto mulheres desenvolvam os valores masculinos e femininos, como força, dinamismo, sabedoria, e também sensibilidade, amor, tolerância, compaixão, unicidade etc.

O maior exemplo de homem que rendeu profundo respeito às mulheres foi Jesus Cristo. Em meio a uma cultura de desprezo e preconceito feminino, este Ser Divino sempre foi pintado ao lado de mulheres, as quais, segundo certas linhas gnósticas, eram as mais fiéis de seu quadro apostólico.

Jesus ensinava tanto aos homens quanto às mulheres que as virtudes da discrição, paciência, dependência e submissão a Deus são ferramentas que concederão poder para trilharem a Senda da Iniciação Crística.

A mulher gnóstica, como uma potencial Iniciada nos Mistérios Sagrados, precisa compreender que, assim como o homem, precisa ter maturidade psicológica e uma saúde equilibrada. É importante que ela entenda o dinamismo de seu corpo, de sua psique, de sua sexualidade e suas outras particularidades internas.

Grandes Mulheres da História

Para que possamos notar a importância da mulher ao longo da história, aí vai uma pequena lista das valorosas personagens que lutaram por um mundo melhor:

Arnolda Garro de Gómez (VM Litelantes): Grande mestra iluminada e esposa-sacerdotisa do VM Samael Aun Weor. Foi a grande responsável pelo Avatar se levantar e iniciar a luminosa Era de Aquárius. Esotericamente, ela é uma Virgem do Nirvana e Mestre dos Tribunais do Carma.

Hatshepsut: Foi a primeira faraona (faraó mulher) da história, conseguiu esse título depois de vencer inúmeros obstáculos. Após a morte de seu pai, o faraó Tutmés I, subiu ao poder, estabelecendo um período áureo para o Egito, onde foram edificadas diversas obras arquitetônicas e de engenharia, como os templos em honra ao deus Amon-Rá.

Miriam: Irmã de Abraão e Moisés, surpreendeu a todos por sua grande sabedoria e liderança na viagem de 40 anos dos hebreus no deserto. Era ela a grande conselheira dos dois profetas guias.

Hipatia de Alexandria: Grande iniciada gnóstica, nasceu em Alexandria em 355 e morta em 415, num período em que o cristianismo se afastara de suas raízes esotéricas. Hipatia foi assassinada pelos machistas ciumentos da época que não admitiam que a sabedoria estivesse também fora da Bíblia, e mais ainda, sendo divulgada por uma mulher.

Beatriz: A mulher bela por natureza, no físico e no espiritual. Alma gêmea de Dante Alighieri na obra A Divina Comédia.

Laura: A mulher que inspira a Poesia Divina de Francesco Petrarca.

Khadija bint Khuwaylid: Esposa-sacerdotisa do profeta Maomé, foi também a primeira pessoa a se converter ao Islã. Como digna húri (Vestal, Virgem), foi Khadija quem iniciou Maomé nos Mistérios Tântricos.

Maria de Magdala: A mulher que soube passar de uma mulher instintiva, pecadora, a grande Dama-Adepto. Antigas tradições de Renés le Chateau se referem a ela como a esposa de Jesus de Nazaré.

Maria de Nazaré: A mãe física do Mestre Jesus. Foi vestal do Templo de Jerusalém e esposa-sacerdotisa de José, da tribo de Levi, o único que fez florescer a vara do templo. Ela foi a bodhisatva da Grande Mãe do Mundo.

Dulcineia del Toboso: A mulher que inspira todos os trabalhos e esforços dos Cavalheiros da Ordem do Templo. A mulher idealizada por dom Quixote de la Mancha, a mulher que transciende a beleza física até o espiritual.

Joana D’Arc: Vidente que muito jovem comandou os exércitos franceses para libertar seu país. Foi discípula de Samael Aun Weor no SSS da Colômbia e era chamada de Mestre Sum-Sum-Dum.

Rainha de Sabah: Seu nome era Bélkis e governou um país do sul da Arábia, hoje Iêmen. Sua sabedoria, inteligência e beleza impressionaram o rei Salomão, tido como o homem mais sábio do mundo.

Marion: A eterna noiva de Robin Hood, a mulher valente, com força física, fiel e plena de fortaleza.

Sofia: A mulher sabedoria aprisionada pelos Arcontes do Destino, porém, que é liberada mediante o Salvator Salvandus, em troca do sacrifício da Santa Eucaristia. Cristo é o único liberador de Sofia.

Minerva: A sabedoria do  Eterno Feminino, um aspecto peculiar da Mãe Divina. Uma Parte Autoconsciente de nosso Ser Divino. Mas também existe, no mundo astral, uma grande mestra, com um templo secreto em Atenas (Grécia).

Helena de Troia: Em seu aspecto arquetípico, é a Alma Gêmea, a companheira mística que todo guerreiro da Luz anela encarnar.

Helena Petrovna Blavatsky: Mestra da Fraternidade Branca e fundadora da Sociedade Teosófica. Desveladora, no início do século 20, dos grandes Mistérios.

Maria Antonieta: Não a falsa imagem da rainha acusada de prostituição e infidelidade a seu esposo que a história nos dá. O Mestre Samael fala dela como uma digna rainha da França, bodhisatva de um poderoso mestre da Luz.

Cleópatra: Uma das diversas Cleópatras do Egito, a que conheceu Júlio César e Marco Antônio. Com arquétipo, representa a figura da Esfinge Elemental de nosso Egito Interior, nossos mundos internos.

Santa Teresa de Jesus: A maravilhosa e mística de Ávila, na Espanha e patrona do misticismo e da mente interior.

Madre Teresa de Calcutá: Mulher abnegada que encarnou o divino amor pelos mais necessitados, colaboradora da Loja Branca.

Helen Keller: Cega e surda, foi a primeira pessoa nessas condições a ganhar um diploma, graças especialmente ao trabalho de sua professora. Batalhadora incansável pelos direitos dos deficientes.

Nefertiti: Rainha egípcia, juntamente com seu marido, o faraó Akhenaton, alterou as crenças religiosas de seu povo para o monoteísmo e levou-os a louvar o Cristo-Sol.

Guenevere ou Genebra: A esposa do Rei Artur. A mulher que ama seu esposo e ao mesmo tempo o trai. Uma mescla mística de Eros (amor profano) e ágape (o amor sacrificado, transcendido), contida no coração de todas as mulheres.

 

Posts relacionados

5 Comments

  1. Dagomar Moreira

    Olá,pessoal é obvio que está lista retrata apenas algumas personagens da história,.entre tanto sem dúvidas,que existem outras martires que realizaram um grande feito tal como a esposa sacerdotisa do grande alquimista Nicolas flamel,Sra. Perrenelle grande dama adeptp da loja branca,ambos realizaram muitos feitos tais como descobrir e utilizar do elixir da longa vida ou pedra filosofal,o segredo dos alquimistas..e muitas outras damas veneráveis que se perdem na noite aterradora dos séculos..Quer saber mais estude e pratique gnosis/gnose meu msn é:[email protected]/ atenciosamente Dagomar

  2. Marta de Betânia,amiga de Jesus, irmã de Maria Madalena e Lázaro, também está faltando nesta lista!

  3. Se Gunivere está na lista, pq a fada Morgana não está citada ? Ela foi uma grande sacerdotisa, iniciada por Viviane, a suma-sacerdotisa da Cornualha.

  4. É de proposito ou esqueceram de sitar as matriarcas Sarah esposa de abraão Rivica esposa de ytshaq e lia esposa de yaccov sem contar outras personagens biblicas

    1. Boa lembrança, Gilvanio. Há tantas mulheres valorosas a serem citadas, não?

Comments are closed.

Confira também

Yoga gnóstica dos sonhos

“Senhor, ajuda-nos a transitar das trevas para a