Arcano 5 – O Hierarca

0
389

Descrição e símbolos

Nesta lâmina encontramos o Hierarca Anúbis com sua malha de guerra, sustentando na sua mão direita o tcham ou báculo de poder. Seu rosto está coberto com a máscara do chacal ou lobo emplumado. Nas águas da vida a balança da justiça; sobre sua cabeça a chama da Verdade.

O Hierarca Anúbis

Chefe dos 42 Juízes da Lei, com sua malha de guerra, segurando na sua mão direita o báculo do poder; seu rosto está coberto com a máscara do chacal ou lobo emplumado (emblema da Verdade), que utiliza apenas quando está oficiando para fazer Justiça e simbolizando a Suprema Piedade e a Suprema Impiedade da Lei. Seu dedo assinala a balança nas águas da vida, para indicar que o fundamento do trabalho é o equilíbrio, e que os movimentos e reações do corpo físico se baseiam na energia. Os Mestres do Carma são Juízes da Consciência. A Justiça Divina está além do bem e do mal. Quando a pessoa desperta, sabe o que é o Amor, e então, saberá amar e compreender que “Amor é Lei, mas Amor consciente”. Não vale só fazer o bem, mas há que sabê-lo fazer.

O tchan ou báculo do poder, o domínio da Natureza, a força, o poder, a fecundação, o mando. A balança da Justiça representa o equilíbrio, a harmonia que deve existir em toda a Natureza; a medida de todas as coisas, nosso débito e nosso crédito no capital cósmico.

Quando se rompem as Leis do Equilíbrio, o resultado é a desordem, o sofrimento e a dor.

A Chama da Verdade, símbolo da Luz Divina, o emblema da Verdade. “Deus é um Fogo devorador.” Nosso Deus é um Fogo que consome, diz a Bíblia.

Atributo da Deidade

Atributo de Rafael, regente de Mercúrio, representa a energia criadora do Universo, a matéria primordial com que o Logos forjou o Universo no Caos de Cima é a mesma com que se deve criar o Universo interior do Homem no Caos de Baixo, cujo método se emprega na Tábua Esmeraldina. Esse Mercúrio é medida de todas as coisas, tanto de cima quanto de baixo.

Fonema Egípcio: É a letra H, que indica hálito divino, impulso vital, movimento cósmico, ação, espiral ou coisa torcida. Representa também o símbolo do laço ou corda que parece um Caduceu.

Fonema Místico: Representa o Mercúrio enxofrado, isto é, o mercúrio fecundado pelo enxofre; a água lustral, o Arché ou matéria-prima da Grande Obra.

O que é a Lei?

Regra, norma, constante e invariável das coisas, nascida de sua causa primeira ou de suas propriedades. Preceito que dita a autoridade superior para mandar ou proibir algo de acordo com a Justiça e bem dos governados. Existem leis políticas, civis, biológicas, religiosas, físicas, da natureza, dos homens, do Cosmos, etc. O ritmo, a harmonia, o equilíbrio.

A Lei do Carma

Lei de Ação e Consequência, causa e efeito, lei da compensação. A Justiça Divina não é exercitada pelo furor nem pela cólera, mas pela Suprema Lei de Causa e Efeito. É um remédio que nos é aplicado para o nosso próprio bem. Existem diferentes tipos de Carma: pessoal, nacional, mundial, familiar, grupal etc.

A Justiça Divina e o Livre Arbítrio

“Faz o que quiseres, mas de todos os teus atos deves prestar conta.” “A ignorância da Lei não exclui seu cumprimento.” “Toda violação da Lei provoca um desequilíbrio cujo resultado é a dor.”

O capital Cósmico e o equilíbrio da Balança

O Carma é negociável, a Justiça Divina se fundamenta nas colunas da Misericórdia e da Justiça, da liberdade e da Ordem, do Amor e da lei, O Amor sem Lei é complacência com o delito, a Lei sem Amor é tirania.

Faça boas obras para pagar suas dívidas.”

“Ao Leão da Lei se combate com a Balança.”

“Não só se paga pelo mal que se faz, mas também pelo bem que se deixa de fazer, podendo-se fazer.”

“Quem tem com que pagar, paga e se sai bem nos negócios.”

“Pedi e se vos dará; batei e se vos abrirá.”

Negócios com a Lei

Nunca devemos protestar contra o Carma, o importante é saber negociá-lo. Não é possível alterar um efeito se antes não modificamos radicalmente a causa que o produziu; não existe causa sem efeito nem efeito sem causa. Reclamamos fidelidade do cônjuge quando fomos adúlteros nesta vida ou nas precedentes. Pedimos amor quando fomos desapiedados e cruéis. Solicitamos compreensão quando nunca soubemos compreender ninguém, quando jamais aprendemos a ver o ponto de vista alheio. Queremos felicidade quando temos sido sempre a origem de muita infelicidade.

Gostaríamos de ter nascido em um belo lar, com muitas comodidades, quando em passadas existências não soubemos dar aos nossos filhos lar e beleza. Protestamos contra os insultadores, os caluniadores, e sempre insultamos e murmuramos com os outros etc. etc., isto é, pedimos o que não demos, achamos que merecemos o melhor.

Devemos trabalhar sempre desinteressadamente e com infinito Amor pela humanidade, assim alteramos aquelas más causas que originaram os maus efeitos. Há de se fazer o bem por toneladas. Muitas pessoas que sofrem, só se recordam de suas amarguras, desejando remediá-las, mas não se lembram dos sofrimentos alheios, nem remotamente pensam em remediar as necessidades do próximo.

Esse estado egoísta não serve para nada, assim só consegue agravar seus sofrimentos.

Quer ser curado? Pois cure aos outros. Algum parente seu está na cadeia? Trabalhe pela liberdade de outros. Tem fome? Reparta o único pão que tiver com os que estão em pior situação etc. etc.

O Kaom interior

É impossível iludir a Justiça porque a polícia do Carma está dentro de nós mesmos. Este é o Kaom. Onde quer que falte Amor aparece o Kaom, o policial, o acusador, que nos conduz aos Tribunais da Justiça Cósmica, da Lei.

Sefirote Geburah

Geburah é o Rigor da Lei, é o Buddhi, a Alma espírito, a Valquíria, a bela Helena, etc. Geburah, o Budhi, é considerado como exclusivamente marciano, mas isso é um erro, porque no Mundo da Alma-Espírito, que é feminina, está o Leão da Lei que é Solar. Em Geburah encontramos o rigor da Lei, mas também, encontramos a nobreza do Leão, o Mundo Búdhico Intuicional é completamente solar.

No sefirote Geburah, se é certo que existe o Leão da Lei, não é menos certo que achamos a Misericórdia, o Amor. Com justa razão Salomão cantou (no Cântico dos Cânticos) à sua Bela Sulamita…

Para nós, os homens, é uma grande felicidade encontrar ali a nossa Valquíria, a Sulamita de Salomão, essa Alma Feminina Divina, a Bela Helena de Troia. As mulheres encontrarão ali o Bem-Amado, o seu Salomão, o Esposo Eterno.

É no mundo Búdhico ou Intuicional, onde se encontra o nosso/a nossa verdadeira consorte (é uma região de esplendores extraordinários).

Geburah é a Lei da Justiça. O Mundo de Geburah fundamenta-se na Justiça. Os Mestres do Carma apoiam-se na Consciência para julgarem no Tribunal do Carma.

A Alma Divina, Budhi, é como um vaso de alabastro fino e transparente, dentro do qual arde a chama de Prájña.

O homem causal é o verdadeiro homem e a bela Helena, sua esposa real. Os corpos mental, astral e físico são só suas vestiduras: mas como é difícil conseguir tal integração, de modo algum seria possível tal integração sem a prévia eliminação dos agregados psíquicos que carregamos em nosso interior.

João, aquele que predicou o Caminho que conduz à Verdade, era filho de Ísis e de Abel. Isto significa que João, o precursor, era alguém que tinha encarnado a Mônada Divina.

Atman, o Espírito Divino do Homem, tem dois filhos, duas almas, Ísis e Abel. A primeira é a Alma espiritual e é feminina; é a Beatriz do Dante, a bela Helena, a Sulamita do sábio Salomão, a inefável esposa adorável, o Budhi da Teosofia; e a segunda é a Alma Humana e é masculina; o princípio Causal, o nobre esposo, o Maná Superior da Teosofia.

Isabel é um nome profundamente significativo. Is-Abel: esse último é o Cavaleiro que ama Is, sua Alma, sua Valquíria. Ainda que pareça estanho, enquanto a Alma Humana trabalha, a Alma espiritual brinca.

O animal intelectual equivocadamente chamado de homem só tem encarnada dentro de si a Essência. Esta última é o Budhata, uma mínima fração da Alma Humana; o material psíquico com o qual se pode e deve fabricar Alma.

Adão e Eva se integram dentro da Mônada, seu valor cabalístico é 10, que nos recorda IO, isto é as vogais IIIIIII…OOOOO, a união sacratíssima do Eterno Masculino como o Eterno Feminino, a integração dos contrários dentro da Mônada Divina.

Seu nome cabalístico é Serafim, sua região a das Potestades e seu atributo é a Justiça.

DESEJA ADQUIRIR O AUTÊNTICO TARÔ EGÍPCIO? CLIQUE AQUI

Letra hebraica: He (h), quer dizer “Essência e Existência”, o vocábulo denota calor, fogo vivo que se infunde e difunde, representa o princípio da Luz Divina, a Luz que vivifica. É a Inteligência em função, o Caminho Universal, a Religião. Tem seu equivalente no Arcano 5, O Hierarca, valor numérico: 5.

O Arcano 5

O Hierarca, no ato de repartir a Graça de seu ministério. É o símbolo do Fogo Vivo que se infunde e se difunde cifrado na letra “He”, representa o princípio da Luz Divina que vivifica, a religião Universal, a Iniciação nos Sagrados Mistérios.

O número 5, como princípio absoluto universal, representa o princípio do Andrógino, o que é em si mesmo Masculino e Feminino, e tem ação circular: é o Fogo Vivo.

Pitágoras chama o 5 de “Macho e Fêmea, aliança essencial, o insuperável, o inconquistável, o que é justo por essência e não admite disputa: a religião Universal, a Providência”.

Representa o desejo na mão de obra e a purificação no pensamento. Promete intuição para penetrar as causas primeiras e as razões últimas; o impulso para buscar e encontrar, dando ao coração amor, desejo e alento para ir a direção aos bens que se esperam, como se o bem esperado alentasse o coração e o coração vivesse a realidade do que só vive em esperança.

Como força atuante nas relações mundanas: “Mudanças de qualidade”, assim o chamaram os Pitagóricos. Como tal mudança é o equilíbrio das aquisições humanas; para o derrotado que está por baixo, eleva os olhos em busca da clemência, promessa de próxima elevação para o vitorioso que está no alto, olha para a terra em busca do material, promessa de próximo descenso. Equilíbrio das aquisições para quem o tem no nome ou data de nascimento.

Relaciona-se, na Criação, com o princípio do Andrógino. No Universal: com Mercúrio.

Letra: Hé (H)

Elemento alquímico: purificação dos ingredientes em sentido místico. Desperta no ser humano aptidão para transcender as limitações.

Signo zodiacal: Leão

Planeta: Mercúrio

Nota musical: SOL

Metal: Ouro

Essência: Verbena

Pedra: Zircão-Azul

Substância química: Azougue

Elemento geométrico: o triângulo piramidal. No ser humano: Plexo Solar e a ação da bile. As ideias engenhosas, a persuasão, a investigação, seleção e compreensão.

Identificar-se com o 5 é conhecer o Mistério da Comunhão. O número 5 é grandioso, sublime, é o número do rigor e da Lei, o número de Marte e da guerra.

O Arcano 5 do Tarô nos indica: “Ensinamento, o Carma, simboliza os 5 dedos, os 5 Evangelhos, os 5 sentidos, as 5 cavidades do cérebro e ovários e os 5 aspectos da Mãe Divina”.

A lâmina 5 do Tarô é a Iniciação, demonstração, ensinamento, Lei Cármica, filosofia, ciência, arte. Vivemos na Idade de Samael, o Quinto dos Sete, que iniciou o retorno para a Grande Luz. A vida começou a fluir de fora para dentro, estamos ante o dilema do Ser ou do não Ser, necessitamos definirmo-nos como anjos ou demônios, águias ou répteis, defrontarmo-nos com nosso próprio destino.

O Arcano 5 é o Hierofante, a Lei, o Rigor, é o Pentagrama Flamejante, a Estrela Flamígera, o signo da Onipotência Divina, pois este é o símbolo inefável do Verbo feito carne.

Todo poder mágico está encerrado na Estrela de 5 pontas.”

O Pentagrama representa o Homem, o Microcosmo, que, com os braços e pernas abertos, é a Estrela de 5 pontas. O Pentagrama com as duas pontas para cima representa a Satã, o utilizam em Magia Negra para invocar os tenebrosos. Com o angulo superior para cima representa o Cristo Interno de todo homem, simboliza o Divino, o utilizamos na Magia Branca para chamar os Seres Divinos. Deitando um pentagrama ao pé da porta com os dois pés para fora, não entram as entidades tenebrosas. Ao contrário, o Pentagrama invertido, com os dois pés para dentro, permite a entrada dos tenebrosos.

Atributo zodiacal: Mercúrio em Virgem

Virgem é o trono de Mercúrio, é o signo da Virgem Celestial, e antigamente o consideravam unido com Escorpião, que é o signo das forças sexuais. Juntos, são aquele maravilho Éden de que a Bíblia fala. Este é o paraíso dos homens virginais, do andrógino perfeito.

Em Virgem, Mercúrio se torna raciocínio, a razão é da Alma Animal, que é a Mente e a cova do desejo. Quando no mundo físico nos movemos sob a direção da Mente-Matéria ou Alma-Animal, então criamos problemas, ficamos presos no sofrimento. O homem que só se move pela voz do coração é feliz, nunca lhe faltarão pão, abrigo e refúgio, nunca terá problemas.

A guarida da Besta do Desejo está na Mente, nos grandes intelectuais, nos seres terrivelmente passionais e viciosos. Subjuguem os sentidos e dominem a Mente para que não reajam aos impactos externos. Apelem à Virgem Mãe para pedir-lhe auxílio na luta contra as fraquezas e defeitos.

Atributo modelador

– Espiritual: é a lei Universal, através da qual o Criador se manifesta as suas criações, o sentido místico, a quintessência das coisas, o magnetismo cósmico.

– Mental: representa a Lei e a Liberdade, o ensinamento, o conhecimento, o domínio das paixões, a identificação conosco mesmo e com os outros.

– Físico: propende a dar direção e controle às forças naturais, conceder liberdade dentro da disciplina e outorgar eficácia aos processos orgânicos, às criações físicas e mentais.

Axioma Transcendental: “Já tinha ouvido falar de ti; mas agora meus olhos te veem e meu coração te sente.”

Isso nos indica precisamente o que é a teoria e o que é a prática. Uma coisa é que por meio dos livros e conferências estejamos informados sobre os Mistérios, as Leis, os Mestres, a Divina Mãe, as dimensões superiores da Natureza e do Cosmo, os Elementais etc., e outra coisa é ter experiências, isto é, uma coisa é ter ouvido e outra é ter visto com nossos olhos e realizado em nosso coração.

A fé é percepção direta do real, da sabedoria fundamental, vivência disso que está além do corpo, das emoções e da mente.

Infelizmente, existe sempre a tendência geral a confundir fé com crença, e ainda que pareça paradoxal, enfatizamos que: “Quem tem fé verdadeira não precisa crer”.

A fé autêntica é sabedoria vivida, cognição exata, experiência direta. Acontece que durante muito tempo se confundiu a fé com a crença e agora custa muito trabalho fazer com que as pessoas compreendam que a fé é sabedoria e não crenças vãs. É necessário converter as teorias em vivência íntima, em realidades concretas aos olhos do Espírito e formar a Fé Consciente.

Elemento de Predição: “Promete liberdade e restrições, liberdade e disciplina, amores e desamores; novas experiências, aquisição de ensinamentos proveitosos; viagens de prosperidade malograda, amigos propícios e de sinistro augúrio; seres e coisas que vêm e vão, as primeiras para irem-se a as segundas para regressarem”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.