Copan – A runa Gibur

Copan – A runa Gibur

- emAntropologia
2796
0

Copan foi uma prolífica e poderosa cidade maia, localizada a oeste de Honduras (país da América Central). Esotericamente, possuía templos e ricas esculturas, indicando que sua especialidade era a Magia Elemental e a Magia Dévica.

Uma das esculturas mais impressionantes de acervos artísticos, trata-se de uma série de esculturas, e cada uma conta determinados dramas, tanto em âmbito histórico quanto esotérico.

No exemplo abaixo, o VM Samael Aun Weor nos ensina acerca da estátua conhecida pelos historiadores como O Deus da Chuva, e na Gnose como O Portador da Chama (ou Postura Gibor):

Descrição da Rina Gibur: Cruz Jaina ou Suástica, Cruz em Movimento

Representa: Sexo-Yoga, Maithuna, Magia Sexual,  Alquimia Sexual.

Muito interessante esta figura, uma perna para cima e outra para baixo, indicando a runa Gibur.

Tem na mão uma espécie de cálice, marcado com a cruz Tao. Do cálice sai uma chama.

Esta simples figura indica-nos por si mesma o trabalho na nona esfera. A runa Gibur designa geração, Gnosis, a força sexual.

O cálice representa o yoni feminino, o princípio eterno.

Bafometo tem o mesmo significado de Lúcifer…

Da Idade Média encontramos inúmeras representações do Bafometo. O Bafometo é o que dá impulso sexual sem o qual é impossível a autorrealização íntima do Ser.

As oito portas indicam as 8 grandes iniciações que todo adepto deve qualificar-se para recebê-las. Também indica a estrela de oito pontas. As seis grandes inferiores designaram a “Indecisão” para lançar-se à eliminação do ego.

Luta terrível entre o amor e o desejo, mistérios do ligam yoni, a suprema afirmação e a suprema negação, de Satã.

Assim como está representado, o Bafometo convida-nos a adentrar no templo, mas são poucos os que podem adentrar ao templo da sabedoria.

Ali está um grande livro da Mãe Natureza onde estão escritas as Leis Cósmicas. Raros são os que podem abri-lo e nele estudar. A prova do santuário é muito terrível e os aprovados recebem o Anel ou Selo de Salomão; onde estão representadas as forças positivas e negativas do magnetismo universal.

O selo de Salomão reúne o trabalho na Grande Obra. As 6 pontas da estrela são masculinas, as reentrâncias são femininas. Totalizando doze raios, símbolo perfeito do sol central.

No Macrocosmo, a runa Gibur representa as incessantes evoluções e involuções dos Sete Cosmos. Seus braços apoiados na incansável rotação terrestre e no movimento renovador do jardim cósmico.

No plano físico representa o homem com um dos braços para cima e outro em direção à terra.

É o Martelo de Thor, produtor das tempestades, ação dos pigmeus da terra para defenderem-se dos gigantes ou forças titânicas pro-cósmicas opostas a lei da harmonia universal.

A runa Gibur é um signo alquímico, cosmogônico e antropogônico, sob 7 chaves de interpretação. No México asteca significa o Deus da Vida e traz a Suástica sobre a fronte.

Com os mistérios desta Runa magnificamente elaborada nas ruínas de Copan chega-se ao Segundo Nascimento.

Gibur  altar, gibraltar, alta magia.

Mistérios de Copan
A Escadaria dos Hieróglifos
Campo de Bola Cerimonial
Templo das Meditações
A Runa Gibur
O Deus Morcego

Posts relacionados

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Confira também

Vidas Passadas – Estudos básicos

Muitas pessoas escrevem para a direção do GnosisOnline