Atlântida – 4ª raça-raiz

Atlântida – 4ª raça-raiz

- emAntropologia
7801
25

Comecemos recordando este antigo continente submerso, chamado Atlântida.

No velho Egito dos faraós, os sacerdotes de Saís disseram a Sólon que a Atlântida havia sido destruída 9 mil anos antes de com ele terem conversado. A civilização atlante, no entanto, não poderia ser superada por nossa moderna civilização.

Conheceram a energia atômica e a utilizaram tanto na guerra quanto na paz. A ciência atlante teve a vantagem de estar unida à magia, fabricaram-se extraordinários robôs, dotados então de inteligência. Pareciam seres humanos e serviam fielmente aos seus amos. Qualquer robô podia informar a seu dono dos perigos que o cercavam e geralmente sobre as múltiplas coisas da vida prática.

Os atlantes possuíam máquinas tão poderosas e maravilhosas como aquela que telepaticamente podia transmitir à mente de qualquer ser humano informação preciosa intelectual.

As lâmpadas atômicas iluminavam os palácios e os templos de paredes transparentes. As naves marítimas e aéreas eram impulsionadas por energia nuclear. Eles aprenderam também a desgravitacionar os corpos à vontade. Com um pequeno aparelho que cabia na sua palma da mão podiam levantar qualquer corpo, por mais pesado que este fosse.

O Deus Netuno governou sabiamente a Atlântida. Era de admirar ao ver o templo sacratíssimo desse Santo Deus. As paredes e muros prateados do referido templo assombravam pela sua beleza e as cúpulas e tetos eram todos de ouro maciço e da melhor qualidade.

O marfim, o ouro, a prata e o latão reluziam dentro do Templo de Netuno com todos os régios esplendores dos antigos tempos.

A gigantesca e sagrada escultura do muito venerável e muito sublime Deus Netuno era de puro ouro. Aquela inefável e misteriosa estátua, montada num belo carro arrastado por exóticos corcéis, mais a respeitável corte de cem sereias, infundia na mente dos devotos atlantes profunda veneração.

As cidades atlantes floresceram enquanto seus habitantes permaneceram fiéis à religião de seus pais, enquanto cumpriam com os preceitos do Deus Netuno, enquanto não violaram a lei e a ordem. Porém, quando as coisas sagradas foram profanadas, quando abusaram do sexo, quando caminharam com os 7 Pecados Capitais, foram castigados e submergidos no fundo do oceano.

Os sacerdotes de Saís disseram a Sólon: “Todos quantos corpos celestes movem-se em suas órbitas sofrem perturbações que determinam em tempo uma destruição periódica das coisas terrestres por um grande fogo”.

O continente Atlante estendia-se e orientava-se em direção ao Austro (vento sul) e os lugares mais elevados em direção ao norte, seus montes excediam-se em grandeza, elevação e número aos atualmente existentes.

A famosa história do Dilúvio Universal, cujas versões encontram-se em todas as tradições humanas, são simples recordações da grande catástrofe atlante. Todos os ensinamentos religiosos da América primitiva, todos os sagrados cultos dos incas, maias, astecas, etc. etc., os deuses e deusas dos antigos gregos, fenícios, escandinavos, hindustânicos, etc., são de origem atlante.

Os deuses e deusas citados por Homero na Ilíada e na Odisséia, foram heróis, rainhas e reis da Atlântida.

Ela unia geograficamente a América com o Velho Mundo e as antigas civilizações indo-americanas são originárias da Atlântida, assim como tiveram a mesma origem as religiões egípcias, incas, maias, etc.

O alfabeto fenício, pai de todos os alfabetos europeus, tem sua raiz em um antigo alfabeto atlante, que foi corretamente transmitido aos Maias pelos atlantes. Todos os símbolos egípcios e maias, provêm da mesma fonte e assim explica-se a semelhança, demasiado grande, para ser casualidade. Os atlantes possuíam um metal mais precioso do que o ouro a que chamavam Orichaulcum.

A catástrofe que submergiu a Atlântida foi pavorosa. Não resta dúvida de que foi resultado da violação da Lei e, por isso, é sempre catastrófico. A época da submersão da Atlântida foi realmente uma era de transformações geológicas.

Emergiram do profundo seio do mar outras terras firmes que formaram novas ilhas e novos continentes.

Alguns sobreviventes refugiaram-se em um pequeno continente chamado Grabontzi, atual África, o qual aumentou de tamanho e extensão devido a que outras áreas de terra foram emergidas depois de somaram-se ao mesmo.

O Golfo do México antigamente foi um formoso vale. As ilhas das Antilhas, das Canárias, a Espanha, são partes da submersa Atlântida.

O antigo mar de Kolhidius, situado a noroeste do continente recém-formado e conhecido como Ashartk (Ásia) mudou de nome, sendo conhecido agora com o nome de Mar Cáspio. As costas desse Mar Cáspio são formadas por terras que ao emergirem do oceano haviam-se reunido ao continente asiático.

A Ásia, o Mar Cáspio e todo este bloco de terra anexado são o que hoje conhecemos com o nome de Cáucaso. Esse bloco, naqueles tempos, chamou-se Frianktzanaráli e mais tarde Kolhidishissi, porém hoje em dia, repito, chama-se Cáucaso.

Naquele tempo havia um grande rio que fertilizava a rica terra de Tikliamis, que desembocava no Mar Cáspio. Esse rio denominava-se Okoseria, ele ainda existe, mas não desemboca mais no Mar Cáspio porque um tremor de terra secundário o desviou para a direita. O rico caudaloso precipitou-se violentamente pela zona mais deprimida do continente Asiático, dando origem ao pequeno Mar de Aral; mas o antiquíssimo leito desse velho rio, atualmente chamado Amu-Dária, ainda pode ser visto como sagrado testemunho do curso dos séculos.

Depois da terceira grande catástrofe que exterminou com a Atlântida, o antigo país de Tikliamis, com sua formidável capital, situada às margens do mencionado rio, foi coberto com todos os povos e aldeias pelas areias e agora é apenas deserto.

Por aquela época, desconhecida para um César Cantu e sua História Universal, existia na Ásia outro belo país, conhecido com o nome de Maralpleicie. Esse país comerciava com Tikliamis e até existia entre eles muita concorrência comercial.

Mais tarde, esse país de Maralpleicie recebeu o nome de Goblândia, devido à grande cidade de Gob.

Goblândia e sua poderosa cidade de Gob foram tragados pelas areias do deserto. Entre suas areias estão ocultos riquíssimos tesouros, poderosas máquinas desconhecidas por esta Raça Ária.

De quando em quando, as areias deixam a descoberto todos esses tesouros, mas ninguém atreve-se a tocá-los, porque quem o intenta é instantaneamente morto pelos Gnomos que o guardam. Somente os homens da grande Sexta Raça Koradhi, que no futuro habitará este planeta, poderão conhecê-los e isso em troca de uma conduta reta.

Muitos comerciantes de pérolas salvaram-se da catástrofe atlante refugiando-se em Perlândia, atual Índia.

Os estudantes ocultistas enchem-se de horror quando revisam os arquivos Akáshicos da Natureza e encontram acontecimentos como o que relataremos a seguir.

Eles recordaram-se daquela bela mulher, rainha dos países do sul do continente submerso e a poderosa cidade das portas de ouro, chamada Katebet, a das tristes recordações. Realmente não existe na história dos Bórgias e dos Medicis, semelhante perversidade. Essa bela mulher cativava pela sua beleza e necromancias, seduzia com seus encantos a príncipes e reis… Fascinava com seus embelezamentos.

Muitos adolescentes e meninos foram imolados em nome das tenebrosas entidades do mundo interior.

A medicina sacerdotal atlante descobriu naquela época o que hoje podemos chamar cientificamente Opoterapia Humana, quer dizer, a aplicação nos enfermos e senis de sucos glandulares de pituitrina, tiroidina, adrenalina etc. etc. Os médicos-sacerdotes não usavam apenas a química…

As vítimas de imolação depois de serem retiradas dos altares de sacrifícios, eram levadas a certas câmaras secretas, onde os sacerdotes médicos extraíam dos cadáveres as preciosas glândulas endócrinas tão necessárias para conservar o corpo da rainha fatal, com todo o seu encanto e a beleza de uma juventude que chegou a suportar o peso dos séculos, muitos séculos. O mais espantoso daquilo era que os sacerdotes, depois de extrair as glândulas dos cadáveres, arrojavam-nos às fantásticas multidões aviltadas, que, sequiosas, devoravam-nos. Assim, esses povos tornaram-se antropófagos.

Reflexionando sobre todas essas coisas, nos espantamos, nos horrorizamos, mas todas essas barbáries tornam-se pequenas e ridículas se as compararmos com as atrocidades cometidas durante a Primeira e a Segunda Guerras Mundiais e com a espantosa explosão atômica de Hiroshima e Nagasaki.

Todo o barbarismo atlante torna-se insignificante, comparado com a câmara de gás, onde milhões de pessoas, mulheres, crianças e anciães, despojados de suas vestimentas, morreram na mais infinita desesperação.

Nos horrorizamos com a bestialidade atlante, porém mil vezes horrorosos foram os bombardeios de Londres, campos de concentração, forca, cidades destruídas por criminosas bombas, enfermidades, fome e desespero.

Nunca antes na história houve perversidade maior do que a desta Quinta Raça Ária, caduca e degenerada.

Assim como a Atlântida submergiu-se com todos os seus habitantes nas profundezas dos oceanos, assim também esta Raça Ária será destruída e dela não restará nem mesmo cinza.

QUE SE SAIBA DE UMA VEZ E PARA SEMPRE QUE DE TUDO ISSO QUE A HUMANIDADE TANTO ESTIMA E ADMIRA NÃO FICARÁ PEDRA SOBRE PEDRA.

Posts relacionados

25 Comments

  1. A raça atlante chegou a ser contemporânea à raça Ária?

    1. Ambas as Raças se mesclaram num período, até que os últimos remanescentes da raça atlante pereceram, por ordens dos Instrutores do Mundo.

      1. Bem, eu não tenho muito conhecimento sobre este assunto, então gostaria que me tirasse outra dúvida. Essas raças-raízes, onde elas se encaixariam na evolução da espécie humana atual (Homo Sapiens)?

        Desculpe-me se falei alguma bobagem, é que, como disse, não sou conhecedor da área, mas fiquei muito interessado pelo assunto e gostaria muito de ser esclarecido. Desde já, agradeço pela compreensão.

        1. O que se chama Homo sapiens é o ser humano da atual Raça Ária. O homem de neanderthal foi o resquício dos atlantes. Tanto que o cérebro dos neandertais era superior aos sapiens.

  2. Lendo um destes comentários, Triste é ver a inconsciência desta raça tão involutiva que não aceita os fatos tão evidentes, ignoram o conhecimento. Não aceitam a pura realidade, não eceitam as leis universais. Minha gentee…é tudo tão óbvio, tudo tão claro…recorrências que se encaixam perfeitamente nas causas que nós mesmos criamos, e mesmo assim, temos o discaramento de negar o conhecimento e abraçar cada vez mais a ignorância.

  3. Flávio Luís

    Ao ler esta página, deparei-me com um comentário jocoso
    sobre o assunto Atlântida. Mas, talvez, haja um fundo de
    verdade nesta observação. Intuitívamente o comentarista,
    captou no inconsciente coletivo um acontecimento do
    passado, que se refletem nos dias de hoje, pela repetição
    cíclica dos acontecimentos. Pois, neste universo tudo se repete
    de tempos em tempos. Apenas mudam de enderêço.

    1. Isso mesmo, Flávio, o mundo fenomênico obedece à LEI DE RECORRÊNCIA, ou seja, tudo se repete (ciclicamente), tudo volta a se acontecer, tudo se repete mais as suas consequências anteriores…
      Por isso a Sabedoria Iniciática diz que o Iniciado tem de fugir, transcender, essa RODA DO SAMSARA, a roda do universo, da natureza e da vida que se repete continuamente…
      O que aconteceu com a Lemúria aconteceu (de forma mais acentuada) com a Atlântida. E o que aconteceu com esta, está acontecendo e acontecerá com a Raça atual, Ariana, porém, pior do que antes…

  4. No texto acima cita-se que milhões de pessoas morreram em câmaras de gás (alusivo a Segunda Guerra). Pois digo aqui que é uma mentira e que já foi provado por especialistas e historiadores sérios; basta que quem queira saber a verdade pesquise na internet, inclusive até livros já foram publicados sobre o assunto. O dito Holocausto é uma das maiores mentiras deste século. Para quem estuda esoterismo e busca a verdade e a justiça, não deve ser difícil de entender o porque de toda a farsa.

    Sds

    1. buscadora aprendiz

      Quanta bobagem, hein?! Você acredita mesmo em tudo que lê?! Caro amigo, desenvolva a crítica primeiro. E não engarrafe a mente em ideias absurdas! O que vc me diz das FOTOS (e a autenticidade delas é incontestada) do holocausto? Eu posso não acreditar em tudo que ouço, mas no que vejo… Triste é que muitos vêem só o que querem ver… (A Linguística moderna, a Análise do Discurso, a Psicanálise, Kant, Nietzsche, Ruth Benedict, que o digam!)

      “Bem-aventurados aqueles que não vêem, mas crêem” (João, 20: 29).

      Triste é ver como o sentido da Intuição – aliás, o Cárdias todo – se atrofiou nesta raça de víboras degeneradas! Só depende de cada um mudar, por mais que ajudemos; todos têm livre-arbítrio, vontade própria… pelo menos, tentamos… o Sol não desiste de enviar seus raios àqueles que preferem a sombra; se eles quiserem, basta sair à luz… (a porta do arrependimento jamais se fecha.) Se a pessoa torna-se incapaz de se ver e enxergar, como mudará? Não vê nada pra mudar…

      Ó Céus! Agora entendo a situação pela qual passou a Mestra Blavatsky, tentando convencer céticos… e porque não se deve mais ficar fazendo isso, como disse o Mestre Samael… afinal, se adiantasse, teria adiantado quando O Grande Cabir Jesus fez todos aqueles milagres perante as multidões, teria adiantado quando Nossa Senhora de Fátima apareceu e fez o Sol bailar mudando de cor por todo o céu, diante de cerca de 70 mil pessoas… (agora dizem que foi alucinação coletiva)

      Daqui a pouco, vão falar que nunca houve uma guerra na história da humanidade, que os agrotóxicos não são tóxicos (quem sabe até sejam remédio…?), que George Bush merece o Nobel da Paz, que pedofilia não existe, que o bombardeio a Hiroshima e Nagasaki é um mito… (Assim como já falam que o aquecimento global e o neoliberalismo é um mito.)

      …”Rogo-te, pois, ó pai, que o mandes [a Lázaro] à casa de meu pai, pois tenho cinco irmãos; para que lhes dê testemunho, a fim de que não venham também para este lugar de tormento. Disse-lhe Abraão: Têm Moisés e os profetas; ouçam-nos. E disse ele: Não, pai Abraão; mas se algum dentre os mortos fosse ter com eles, arrepender-se-iam. Porém, Abraão disse: Se não ouvem a Moisés e os profetas, tampouco acreditarão, ainda que algum dos mortos ressucite.” (Lucas, 16: 19 – 31)

    2. Quanto a saber a verdade, melhor seria procurar neste site as chaves para saída em astral e treiná-las sempre até conseguir; aí você poderá ver o passado ao vivo e em cores, se quiser; basta pensar (fora do corpo físico), concentrando-se em ir até a cena, imaginar-se nela, desejando presenciá-la… Se tiver dificuldade em fazer isso, existe um exercício ensinado pelo Mestre Samael Aun Weor em seu livro “Tratado Esotérico de Teurgia”, na página 14, para desenvolver os poderes do Cárdias (Exercício entitulado “Meditação no Cárdias”). Também é bom o exercício com os tattwas ensinado nas páginas 80 (in fine) e 81 do livro “O Matrimônio Perfeito”. Ambas as obras estão disponíveis na Área Restrita deste site.

      1. o topico da materia me parece um ataque a raça ariana(brancos)??raça degenerada,viboras, etc,,,legal que na africa,nao existe e nunca existiu nem um tipo de barbarie,kkk,e nos amarelos como os chineses por exemplo,sempre reinou um espirito democratico e justo,kkk,e para terminar os povinhos do oriente medio,como judeus,arabes,etc…tao defendidos por suas biblias e outras bobagens,nao se tem nada para falar de mal,muito justos e civilizados!rsrsrsrsrs

        1. Longinus, espero que você leia mais sobre o tema Antropologia Gnóstica, aí você descobrirá que o VM Samael Aun Weor cita o termo RAÇA ARIANA não especificamente para os brancos da atualidade, discriminando-os em relação aos negros, amarelos, índios etc.
          Na verdade, a Raça Ariana é TODA a humanidade atual, independentemente das características raciais. E a degeneração se dá em praticamente a totalidade desta Raça-Raiz.

    3. buscadora aprendiz

      Sobre saber a verdade, procure neste site as chaves para saída em astral e pratique sempre, até conseguir. Então, no astral, vc pode ir aonde quiser, até ao passado, basta se concentrar e se imaginar lá, desejando lá estar. Se não estiver conseguindo, existem uns exercícios ensinados pelo V. Mestre Samael Aun Weor: No livro “Tratado Esotérico de Teurgia”, página 14 (Meditação no Cárdias), e no “O Matrimônio Perfeito”, p. 80 (final) e 81, para ver os tattwas. Ambos os livros estão disponíveis na Área Restrita deste site. Desulpem-me todos se me exaltei na resposta anterior… :)

  5. guilherme doria jr

    uma duvida a respeito do texto citado acima estudantes ocultistas que tentam achar as reliquias atlantes do deserto sao guardadas por gnomos que matam os invasores mas,gnomos sao parte sintetica do homem como elemento terra portanto sao controlados pelo homem entao por que fazem isso?

    1. Mestres da Grande Loja Branca usam os elementais para protegerem locais sagrados. E ninguém tem permissão para avançar sobre tais locais sem permissão prévia…

  6. Gostei do texto e quero deixar meu e mail pra quem souber de livros sb o continente atlante realmente bons.Vcs do gnosisonline tem sugestoes de titulos pra me dar? O mestre Samael tem algum livro fora Antropologia Gnostica que aprofunde pra gente algo sb a atlantida?

  7. O ser humano atual está caminhando novamente para o cáos. Por mais que a tecnologia avança nossa raça não se liberta de seus antecessores símiescos. Senão vejamos: Um sujeito gordo desajeitado tenando imitar um dançarino exímio como Michael Jackson. Um indivíduo bocejando e abrindo desmesuradamente a bocarra ao levantar, um porcalhão enfiando o dedo no nariz, um bobalhão sofrendo um ataque de hilaridade, rindo aos borbotões. um mar de idiotas idolatrando jogadores de futebol lotando estádios, isso e muito mais que tornam o ser humano “ridículo,limitado com sua cabeça animal,” (como diria o já falecido Raul Seixas).

  8. Se a quinta raça é pior do que a quarta, isto significa que a sexta será pior que a quinta?

    1. Esperamos que não.
      Mas se fizerem a mesma estupidez que fazemos, Deus os ajude.

  9. Bom dia! cada vez que veja alguma leitura sobre nossa raça humana fico sempre a pensar o quanto ja fomos intelectualmente sabios e ricos, e fortes e belos e ainda persistemos na maldade e da incrudulidade em Deus, quantas eras serão necessarias ainda para que possamos iniciar o caminho da luz podemos observar que sempre evoluimos mas começamos do zero novamente apos cada catastrofe, para podermos nos regenerar sempre conseguimos envoluir em sertos aspectos tecnológicos e científicos em todas as eras não conseguimos evoluir moralmente e nem religiosamente o qunto necessário quem sabe agora no fim desta era começaremos acreditar em um so Deus ! pois a paciência dele tambem tem limites!

  10. Eu poço diser que ezte çenhor Melhoral é algém qe feis uns movimento nu paçado momento da terra, e agora ele fica procurandu dicípulus.
    Como eu çõ Mestri, eu póçu mais qui eli.

  11. Sim, verdade.

    Um grande Atlante que hj vive nos mundos superiores, eu também já sonhei com ele, me passando ensinamentos

  12. Me diga o seu sonho que poderemos conversar mais
    Melhaur era um grande Rei Atlante

  13. Olá,boa noite

    Gostaria muito de saber quem é ” Melhaur “(não sei se é assim que se escreve),escrevi como ouvi em meu sonho.
    Se for relevante ,falarei sobre o sonho.
    Espero que possam me ajudar,pois o som deste nome ainda ecoa dentro de meu ser.

    PAZ E LUZ

  14. Flávio henrique

    tudo tem um ciclo atlantida e um ciclo que vivemos agora e so esperar

Comments are closed.

Confira também

Magia do estoraque

Disse mais o Senhor a Moisés: Toma especiarias