O caminho secreto revolucionário

O caminho secreto revolucionário

- emTextos Especiais
1952
3

Com grande alegria me dirijo a vocês com o evidente propósito de ajudá-los no Caminho Esotérico da Autorrealização Íntima do Ser. Estamos entregando uma Mensagem à Humanidade, para a Nova Era de Aquário, completamente Revolucionária e diferente de tudo que se conhece publicamente.

Temos vários livros: Introdução à Gnosis, O Livro dos Mortos, Desfazendo Mistérios, e mais adiante temos os ensinamentos que poderíamos chamar de secundários, tais como: O Matrimônio Perfeito, Revolução de Bel, Rosa Ígnea, Os Mistérios do Fogo etc.

E os ensinamentos de ordem superior, que estão perfeitamente explicitados nas Mensagens de Natal de cada ano.

De agora em diante as Mensagens não levam mais esse nome, irão com os títulos específicos dos livros, por exemplo: O Parsifal Desvelado, O Mistério do Áureo Florescer, As Três Montanhas, e para mais tarde O Livro de Ouro etc.

Todos os ensinamentos de tipo superior irão se desenvolvendo nas Mensagens de Natal de cada ano, de uma forma didática e progressiva, e cada mensagem representará uma nota mais elevada, uma oitava mais alta, no Caminho do Esoterismo Transcendental.

Quando chegarmos à nota mais elevada, ao cume, à Nota Síntese, estão as Mensagens estarão concluídas. Depois disso, é claro que eu irei com a minha Mãe Divina Kundalini para a eternidade…

Peço a vocês que estudem mais a fundo as Mensagens de Natal de cada ano.

É necessário que se reproduza incessantemente, porque até agora não se as tem reproduzido, esgotaram-se as edições e não há quem as reproduza, e isso é verdadeiramente lamentável.

Nossas mensagens diferem totalmente de quaisquer ensinamentos conhecidos deste fim de século, são essencialmente revolucionários. Examinemos alguns fatos concretos para que compreendamos em que consiste a revolução.

Vejamos, por exemplo, a Reencarnação de Almas: tem-se falado muitas coisas sobre esse assunto, mas até agora, não se tem sabido compreender essa coisa que é a reencarnação das Almas, diante de tudo isso tenho que dizer-lhe que a palavra “Reencarnação” me parece demasiadamente exigente.

Encarnação, por exemplo: sabe-se que a descida da Divindade no Homem e Reencarnação, o processo se repete, a Divindade volta a tomar o corpo físico, se reincorpora. No Tibete, por exemplo, se fala das Reencarnações de Vishnu, o que estou de acordo, lembre-se que no Tibete se celebram com grandes festas as Reencarnações. Quando nasce um Dalai Lama, se diz que é uma reencarnação, e é festejada de uma forma divinal.

Para que haja uma reencarnação, necessita-se que exista uma Individualidade Sagrada totalmente definida. Dizer que José, Pedro, João, Diego, Lucia etc., se reencarnam é um absurdo…

Qual é o fundo desses fulanos? O Ego. E o que é o Ego? Senão um conjunto de Eus, um montão…, uma soma de agregados psíquicos, que personificam determinados erros, os agregados da Ira, que são múltiplos, são até certo ponto Criaturas Subjetivas, ou Demônios, melhor dizendo, do tipo subjetivo, dentro dos quais está presa a Consciência.

A inveja…, vocês sabem que ela é um conjunto de Eus da inveja, são muitos eus… Fornicação, também, são inúmeros os Eus fornicários, que se formos enumerá-los ficaremos assombrados.

Assim é que depois da morte o que continua é um montão de Diabos, de Agregados Psíquicos.

Agora dizer que uns montões de diabos se reencarnam me parece um pouco absurdo. Pensando bem, coloquem a sua mão direita sobre o seu coração e perguntem a si mesmo, se seria correto esse montão de eus psicológicos se reencarnarem.

Agora, se não tem Individualidade definida, o que é que reencarna? É claro que esses Eus não podem se reencarnar, eles se reincorporam, ou seja, retornam, e isso é outra coisa muito diferente.

Cada um de vocês tem retornado muitas vezes, isso é verdade. Vocês tiveram muitos corpos no passado, mas isso não é reencarnação, que é somente para aqueles que já não possuem o Ego, que não possuem agregados psicológicos, que são Espíritos Divinos e Puros…

Façamos essa distinção da Reencarnação do Retorno, ou Recorrência.

Não negamos a Lei da Evolução, o que não podemos permitir é que se coloquem nessa lei atributos psicológicos que ela não tem.

É evidente que existe evolução em tudo o que nasce, em tudo o que cresce e desenvolve, vejamos qualquer planta: tem evolução na semente que se germina, o galho que vai crescendo pouco a pouco, vai se desenvolvendo, até se tornar uma árvore que dá fruto…, mas existe a involução do vegetal que murcha as folhas e essa árvore se converte num monte de lenha.

Há evolução em todo o organismo que nasce, cresce e desenvolve e involução, o outro lado da Lei, que decresce murcha e morre.

Nós, os gnósticos, nos separamos da lei da Evolução e Involução, porque são completamente mecânicas, pertencem à Roda de Samsara. Nós fundamos a Senda da Revolução da Consciência que nos conduz à Liberação Final.

A Senda é difícil, nela tem três fatores, que são: MORRER, porque há de se morrer, o Ego deve morrer, deve ser reduzido ao pó cósmico. Temos que NASCER, necessitamos nos converter em verdadeiros Filhos da Luz, Mestres do Templo dos Duas Vezes Nascidos. E temos que nos SACRIFICAR PELA HUMANIDADE, Jesus definiu isso quando disse que: “Aquele que quiser me seguir, tome a sua Cruz, negue a si mesmo e siga-me”.

Negar a si mesmo é Morrer, é a eliminação total do Ego. Tomar a Cruz é trabalhar na Forja dos Ciclopes para chegar ao Segundo Nascimento.  E sacrificar-se pela Humanidade, meus caros irmãos, é seguir o Cristo, imitar o Cristo, estar dispostos a entregar a vida pelos demais…

Quero que sejais verdadeiramente estudiosos, que sejais sérios, que estudeis esta mensagem que está sendo entregue à Humanidade para a Nova Era de Aquário.

Existem muitos irmãozinhos que tentam misturar essa Doutrina com mensagens antiquadas, com ensinamentos do século passado e princípio deste século, ou seja, existem pessoas que pretendem resolver uma coisa com outra, isso é impossível, não me parece conveniente colocar “vinho novo em tonéis velhos”.

Com isso quero dizer-lhes para que não mesclem a Doutrina, as Mensagens que estamos entregando com ensinamentos antiquados.

Pergunta: Mestre, por que se diz que temos de trabalhar na Forja dos Ciclopes?

Samael Aun Weor: Temos de estudar os clássicos gregos, ali temos muitas informações que você poderá intuir, se explicarmos tudo do ponto de vista lógico, seria como se castrássemos o Ensinamento.

É claro que os Ciclopes existiram, isso nos fala perfeitamente Homero em sua obra intitulada Odisseia. Lembre-se do caso de Ulisses, enfiando a terrível clava no Terceiro Olho de um desses Ciclopes. Esse Olho de Ciclope não é outra coisa senão o Olho da Divina Clarividência, os Ciclopes foram os lêmures, os homens que conheceram a fundo os Mistérios do Sexo, foram homens que se  deixaram cair.  A Forja deles não é outra coisa senão a do SEXO! Quando se diz que se tem de trabalhar na Forja dos Ciclopes, se quer dizer sinceramente que é nessa Forja onde, verdadeiramente, se fazem os Titãs, os Deuses. Não é outra coisa senão o Sexo, porque do Sexo saem os Deuses…

Agora só me resta despedir-me de todos os nossos queridos irmãos gnósticos.

Paz Inverencial!

SAMAEL AUN WEOR

Posts relacionados

3 Comments

  1. Gnose é fácil, porém nós é que chegamos a um nível muito baixo. Gnose é renúncia, sofrimento, dor, pois lutamos contra nós mesmos.

  2. a veces hay que entender lo que los maestros quieren decir, mas que lo que dicen literalmente.

  3. gnosi uma filosofia muito erudita e dificil entender.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Confira também

O caso Barney e Betty Hill

O caso desse casal de classe média americana