quinta-feira, setembro 23, 2021

mitologia grega vs. gnose

Home Fóruns mitologia grega vs. gnose

  • Este tópico contém 1 voz e 0 resposta.
Visualizando 1 post (de 1 do total)
  • Autor
    Posts
  • #29997
    lujz
    Participante

    Bom, quais são as revelações indiscretas de Ésquilo?

    A autoria de Prometeu acorrentado não é certa, mas em geral é atribuída a Ésquilo. Faz parte de uma trilogia, sendo que das outras duas obras sobraram apenas fragmentos: Prometeu libertado e Prometeu portador do fogo. Em pdf: http://www.lendo.org/wp-content/uploads/2007/06/prometeu-acorrentado.pdf

    A Oresteia é a trilogia sobre Orestes: Agamemnon, Coéforas e Euménides. Em pdf:
    http://www.lendo.org/wp-content/uploads/2007/06/agamemnon.pdf
    http://www.lendo.org/wp-content/uploads/2007/06/coeforas.pdf
    http://www.lendo.org/wp-content/uploads/2007/06/eumenides.pdf

    Existe algum livro, se não, alguém se anima a fazer uma relação entre a mitologia grega e os ensinamentos da gnose de forma mais aprofundada? Sei que existe alguns trechos dos livros de Samael falando sobre isso e alguns artigos na internet, mas tudo bem parcial. Ainda assim, depois listo estes artigos e trechos, se ninguém o fizer antes.


    Olá,

    Ainda não li Hesíodo, mas a evolução do mito de Prometeu segundo http://pt.wikipedia.org/wiki/Prometeu parece está acertada.

    Uma opção leve, moderna e explicativa para os mitos gregos é a de Menelaos Stephanides que tem uma coleção editada pela Odysseus no Brasil.

    A comparação entre Hesíodo e Ésquilo, podemos resumir assim (Wikipédia):

    Estas inovações refletem a inversão temática da peça, a partir do mito de Hesíodo. Neste, a história de Prometeu (e, por extensão, a de Pandora) serve para reforçar a teodiceia de Zeus: ele é um soberano justo e sábio do universo, enquanto Prometeu é culpado pela existência ininvejável da humanidade. Em Prometeu Acorrentado esta dinâmica é transposta: Prometeu se torna o benfeitor da humanidade, enquanto todos os personagens do drama (com exceção de Hermes) denunciam Zeus como um tirano cruel e perverso.

    Falando de escritores modernos (Wikipédia):

    Goethe descreve um homem extraordinário, que se nega a venerar deuses e, como ato de rebeldia, se prontifica a fazer homens segundo à própria imagem que não precisem venerar os deuses. Essa questão de rebeldia aos deuses e de criação de vida é um tema que permeia a sociedade moderna até hoje.

    Conforme li de Menelaos, Zeus simplesmente não queria partilhar o fogo, e acusa Prometeu de roubo. Como se Zeus continua tendo fogo, apenas a humanidade também passou a ter. No entanto Prometeu não quer colocar os homens contra Zeus, ou contra o Olimpo, apenas quer que a humanidade evolua. O bom do livro Prometeu, os homens e outros mitos de Menelaos é que ele situa os acontecimentos entre Prometeu e Zeus da terceira geração (Bronze), passando por seu fim, até o desenvolvimento da quarta geração (Heróica).

    A revelação indiscreta de Ésquilo então seria que devemos nos rebelar contra as injustiças (contra Zeus) para podermos evoluir. Prometeu tendo dado o fogo, mas também ensinado artes, ciências etc, à terceira geração, e antes de ser acorrentado tendo passado esses conhecimento para Atena transmitir à humanidade da quarta geração, representa a árvore do bem e do mal (ciência). Seria a própria serpente, dentro da visão dos Ophitas.

    Luiz

Visualizando 1 post (de 1 do total)
  • Você deve fazer login para responder a este tópico.