A religião marciana e o símbolo da Divindade

0
295
Incensos

Este texto foi retirado do livro Estive em Marte, de autoria do discípulo de Guglielmo Marconi, Narciso Genovese, que visitou o Planeta Vermelho. Entre outros ensinamentos que Genovese trouxe dessa viagem interplanetária, está o ensinamento de um sábio desse planeta vizinho, que explica o conceito de “Religião” para eles. Portanto, este é o texto foi orientado por um irmão do planeta Marte para nós, habitantes da Terra. Que e quem é o Deus dos marcianos? Saberemos um pouco mais, lendo e meditando sobre o texto a seguir:

Vemo-nos rodeados de tantas coisas das quais é difícil o entendimento, que devemos forçosamente admiti-las sem compreendê-las. Contudo, se raciocinarmos com um pouco de filosofia, ou se tão somente refletirmos um pouco seriamente, veremos que tudo em nosso redor evolui e muda.

Tudo quanto muda teve princípio e tem fim. Nada que teve princípio e fim pode haver principiado sem uma causa externa, a causa primeira, que deve ser imutável, ou seja, sem princípio nem fim.

Essa causa é intrinsecamente ativa, a manifestação de sua atividade é extrínseca, causa de outras, princípio, e por isso, fim de outras causas e motivo de ser de outros princípios.

Deus é a causa primária de quanto é ou existe, é o princípio e o motivo do princípio de todas as coisas, com maior razão e mais diretamente do ser racional que mais que todas as coisas a ele se assemelha e, único entre todas, o reconhece e participa em maior graus de sua Essência.

Essa Causa Suprema é o que nós chamamos SÚNDI, Deus.

Deus não vive, Deus é Tudo quanto vive, nasce, muda-se e morre. Deus não teve princípio porque deixaria de ser princípio. Deus não muda porque é princípio eterno. Deus não morre porque nunca começou a existir. Tudo existe por Ele, com Ele e n’Ele. Deus é tudo. Ante ele, nada vale algo, e o mesmo nada vale tudo, Ele vale por tudo e tudo vale somente por Ele.

Todo ser inteligente, todo investigador da natureza e de suas leis deve partir do princípio de que todo efeito tem sua causa e que todas as causas têm um só fim, que é a causa suprema.

Ao descer da causa ao efeito ou ascender do efeito à causa, é preciso ter sempre presente o fim de ambos, que dá a ambos sua razão de ser.

Sem o conhecimento da existência de Deus e sem seu reconhecimento, todo o edifício científico desmorona. O culto e reconhecimento de Deus em Marte são absolutos. A manifestação desse culto é tão simples e espontânea como geral.

O Símbolo de Deus em Marte

O símbolo mais comum da Divindade em Loga (Marte, na língua marciana) é uma circunferência (o Universo)com um núcleo central dourado (Deus). Do núcleo derramam-se raios luminosos para a circunferência e retornam ao centro como raios convergentes: Deus, Suprema Causa de tudo, para quem tudo converge como ao único fim.

Esse símbolo campeia como escudo distintivo em todos os edifícios públicos e privados. É o signo sagrado de todos os habitantes do planeta. Em todos os núcleos mais importantes da população eleva-se um templo, de forma esférica, que culmina no símbolo sagrado.

Pingente com o símbolo de Deus entre os marcianos. Pode-se usar esse pingente ou pintar o símbolo na laje de nossas casas para invocar os Irmãos do Cosmo
Pingente com o símbolo de Deus entre os marcianos. Pode-se usar esse pingente ou pintar o símbolo na laje de nossas casas para invocar os Irmãos do Cosmo

Uma vez por ano celebra-se com imponente magnificência a festa em honra, adoração e gratidão a SÚNDI, com ritos especiais na capital, TÂNIO. Todos os nascimentos, casamentos e falecimentos são comemorados à sombra dos templos com cerimônias especiais…

O templo à Divindade em Tânio é uma verdadeira maravilha de pedra ou mármores seletos, com preciosas incrustações metálicas e fartura de ouro. São, também, de extraordinário atrativo e arte muitos outros edifícios, como o público, que chamaríamos de governo, o edifício central de investigações científicas, o de observação sideral etc.

Até aqui, o ensinamento do grande sábio sobre a religião marciana. O VM Samael Aun Weor, por ter o seu Ser Divino vindo do planeta Marte para auxiliar a humanidade terrestre, dá testemunho da sacralidade desse símbolo sagrado de Deus no Planeta Vermelho. No entanto, faz uma pequena correção nesse símbolo, afirmando que os raios que saem do centro e os que retornam ao centro devem ser pintados/desenhados com a cor azul.

Mais ensinamentos de Samael Aun Weor sobre o Símbolo Marciano da Divindade => CLIQUE AQUI

Pantáculos

SEM COMENTÁRIOS