Ain Sof, o átomo superdivino dentro de nós

2
1128
Incensos

É necessário compreender, é urgente saber, que no pobre animal intelectual equivocadamente chamado homem há três aspectos perfeitamente definidos:

O primeiro deles é isso que se chama Essência e no budismo zen chamam de Budata. O segundo aspecto é a Personalidade, a qual em si mesma não é o corpo físico, ainda que se utilize desse veículo para sua expressão no mundo tridimensional. O terceiro aspecto é o Diabo, o Eu Pluralizado dentro de cada um de nós, o Mim Mesmo.

A Essência, o Budata, dentro do homem é quem tem verdadeira realidade, isso que lhe é próprio. A Personalidade é aquilo que não lhe é próprio, o que vem do mundo exterior, o que aprendeu no lar, na rua, na escola etc. Quanto ao Eu Pluralizado, ele é esse conjunto de entidades diversas, distintas, que personificam todos os nossos defeitos psicológicos.

Ain-Soph-gnosisonlineAlém da máquina orgânica e desses três aspectos que se manifestam por intermédio dela, existem inúmeros Princípios Espirituais, Substâncias e Forças que, em uma última síntese, emanam do Ain Sof. E o que é esse Ain Sof?

Nós dizemos, de maneira abstrata, que é a Não Coisa sem limites e absoluta. Sem dúvida, é necessário particularizar e concretizar algo mais para que haja maior compreensão.

Ain Sof é o nosso Átomo Superdivino, singular, especial, específico e Superindividual. Isso significa, em última análise, que cada um de nós não passa de um átomo do Espaço Abstrato Absoluto. Esta é a Estrela Interior, atômica, a qual sempre sorriu para nós.

Certo autor dizia: levanto meus olhos para o alto, para as estrelas, de onde haverá de chegar auxílio, porém, eu sigo sempre a estrela que guia meu interior.

Claro que esse Átomo Superdivino ainda não está encarnado, porém, encontra-se intimamente relacionado com o chacra Sahasrara, o lótus das mil pétalas, o magnético centro da glândula pineal.

Experimentei diretamente o Ain Sof quando me encontrava em estado de meditação profunda. Um certo dia, não importa qual, atingi o estado que na Índia se conhece como Nirvi Kalpa Samádhi, e minha alma se absorveu totalmente no Ain Sof para viajar pelo Espaço Abstrato Absoluto. A viagem iniciou na glândula pineal e depois continuou no seio profundo do espaço eterno…

E vi a mim mesmo além de toda galáxia de matéria ou de antimatéria, convertido em um simples Átomo Autoconsciente. Que feliz me sentia na ausência do Eu! Sentia-me além do mundo, da mente, das estrelas e das antiestrelas.ain-soph2-gnosisonline

Aquilo que se sente durante o Samádhi é inexprimível, somente experimentando-o se

compreende. E entrei pelas portas do templo, embriagado de êxtase. Vi e ouvi coisas que as animais intelectuais não lhes é dado compreender.

Queria falar com alguém, com algum sacerdote divino, e o consegui, e assim pude consolar o meu dolorido coração.

Um daqueles tantos átomos autorrealizados do Ain Sof (o Espaço Abstrato Absoluto), aumentou o seu tamanho e assumiu, diante de minha insólita presença, a veneranda figura de um Ancião dos Dias. Da minha laringe criadora brotaram palavras espontâneas que ressoaram no espaço infinito e perguntei por alguém que no mundo das formas densas conhecia.

arvore-da-vida-cabala-gnosisonlineA resposta de tão ínclito Mestre Atômico foi certamente extraordinária: “Para nós, habitantes do Ain Sof, a mente humana é o que é o reino mineral para vós”. E acrescentou: “Nós examinamos a mente humana da mesma forma como vós examinais qualquer mineral”.

Em nome da verdade, devo dizer que a resposta me causou espanto, assombro, admiração, estupefação… A demonstração veio depois.

Aquele Amador Essencial estudou a mente da pessoa por quem perguntara e me deu informação exata. Já se passaram muitos anos, mas jamais me esqueci daquela experiência mística.

Tive a sorte de conversar com um Cabir Atômico além dos Universos Paralelos, no Ain Sof. Mas, nem todas essas estrelas atômicas do Firmamento espiritual estão autorrealizadas.

O Átomo-Gênese, Ain Sof, de qualquer pessoa que não tenha fabricado seus Corpos Solares na Forja Incandescente de Vulcano, é muito simples, não contém outros átomos.

O contrário acontece com os Átomos-Gênese autorrealizados que, nas ciências ocultas, são chamados de Ain Sof Paranishpanna: eles contêm dentro de si mesmos quatro átomos sementes que na alquimia são representados simbolicamente pelas seguintes quatro letras: C. O. N. H. (Carbono, Oxigênio, Nitrogênio e Hidrogênio).

Uma noite de verão qualquer, interrogava a um grupo de estudantes gnósticos, dizendo-lhes: se no final do Mahavântara devemos desintegrar os Corpos Solares fabricados com tantos esforços na Nona Esfera, então para que os fabricamos? Nenhum dos irmãos pôde dar a resposta certa e coube a mim explicar.

Quando chega a Noite Cósmica, o Grande Pralaya, o Ain Sof absorve as três forças primárias e desintegra os quatro corpos, porém, retém e atrai para a sua esfera interior os quatro átomos sementes correspondentes aos quatro corpos.super-atomo-ain-sof-gnosisonline

Assim, dentro do Ain Sof Paranishpanna, isto é, Autorealizado, estão as três forças primárias e os quatro átomos sementes.

A letra C simboliza o corpo da Vontade Consciente. A letra O corresponde ao veículo da Mente Cristo. A letra N relaciona-se com o Astral Solar e a letra H alegoriza o corpo Físico.

Na aurora do Mahavântara, Dia Cósmico, o Ain Sof Paranishpanna reconstrói seus quatro corpos mediante seus correspondentes átomos sementes. Os quatro corpos constituem o Mercabah hebraico, o carro dos séculos, o veículo solar do Ain Sof Paranishpanna, o Não Coisa, sem limites e absoluto.

Os quatro corpos assumem a forma do Homem Celeste manifestado, o veículo de manifestação e de descida no mundo dos fenômenos.

Pantáculos
  • Fabio Alexandre

    Jesus amado! Isso é Maravilhoso!

  • Aparecida Maria Soares dos Santos

    Boa tarde a todos, é sempre gratificante e uma dádiva divina poder tomar conhecimento dos ensinamentos ao nosso espirito à nossa alma ávidos de luz, muito agradecida por tudo que a Gnoses faz por nós